Ceclin
dez 05, 2010 1 Comentário


Câmara de Vereadores de Pombos aprova orçamento para 2011


A Câmara de Vereadores da Cidade de Pombos realizou na quinta feira (25) mais uma reunião ordinária. Foi registrada a ausência do vereador Severino João do Nascimento (Pirraia do Feijão do PR).

O Presidente da Casa Legislativa Marcos Severino da Silva (Marcos de Porteira do PC do B), comunicou que de acordo com o Regimento Interno, essa Sessão tratará única e exclusivamente da LOA – Lei Orçamentária Anual para o Exercício Financeiro 2011 do Município, em seguida, informou que foi protocolado na Casa os Projetos de Lei que tratam de doação de terreno a Empresa DSP Indústria e Comércio de Bebidas, bem como ao que se refere ao Plano Municipal de Educação.


O presidente da Casa Legislativa colocou em votação o Projeto da Lei Orçamentária (LOA) e dos Pareceres das Comissões referentes ao mesmo, os quais foram aprovados por unanimidade dos presentes nas duas votações.

Não havendo mais matérias para deliberação, o Presidente iniciou o tempo livre para que os parlamentares fizessem suas citações pessoais.


Sendo a primeira a usar a Tribuna a vereadora Maria das Graças Bezerra (Neide de Roque do PMN), após cumprimentar a todos tornou público o seu descontentamento com a Gestão Municipal referente à sua atuação na área de educação, anunciando que o FUNDEB está com um saldo negativo de R$ 77.866,22 (Setenta e sete mil oitocentos e sessenta e seis Reais e vinte e dois centavos).


A parlamentar citou a demolição de alguns prédios escolares da área rural de Pombos, além da doação para terceiros do material retirado sem o conhecimento da Câmara de Vereadores ou qualquer alegação da Prefeitura. Neide usou como exemplo absurdo a demolição da unidade escolar da comunidade de Frexeiras, prédio que havia sido reformado há pouco tempo tendo instalações sanitárias novas, grades de segurança, madeiramento, cerâmicas e telhados.

Neide também relatou o fato das unidades restantes estarem passando por imensas dificuldades devido à falha no abastecimento d’água causando cancelamento de aulas, por não poder fazer merenda e comprometer a higiene básica do prédio e dos alunos.

“Existem crianças com conjuntivite e diarreia e não há água sequer para lavar as mãos que é um procedimento básico para se evitar contágios”, relatou a parlamentar.


Comentou ainda a “guerra de nervos” causada pela Secretaria de Administração devido às constantes ameaças do não pagamento do 13º salário dos funcionários da educação, bem como o fato ocorrido no Alto de Frade onde os moradores realizaram um mutirão de limpeza na rua e após ter terminado, vieram dois caminhões da Prefeitura e derramaram terra, voltando a sujar completamente toda a rua.


Usando a Tribuna o vereador Joabes Gomes da Silva (Murilo Força Jovem do PR), ressaltou a importância do 13º salário do funcionalismo público lembrando que além de ser um direito constitucional, se faz necessário que os mesmos mantenham seus compromissos em dia.

Chamou a atenção para os carros pipas, afirmando que a gestão municipal tem um contrato de R$ 25.000,00 (Vinte e cinco mil Reais), por mês para o abastecimento e não havendo motivos para que as escolas fiquem sem aula devido a falta d’água.

“É um absurdo que as crianças vão para a escola e tenham que voltar porque na instituição não tem água para fazer a merenda e a limpeza do prédio”, lamentou o vereador.


Murilo relatou o fato da ausência de médicos no hospital de Pombos no fim de semana, tendo por exemplo próprio, um familiar seu que precisou de atendimento médico e teve que ser removido para Vitória de Santo Antão devido ao fato de não ter médico de plantão na unidade hospitalar.


O vereador se comprometeu em verificar o livro de ponto do hospital para constatar se o problema se estendeu por outros finais de semana.

Quanto a sua atual posição política no município, Murilo fez o seguinte comentário:

“Votei na atual gestão e não me arrependo do que fiz, mas não votaria de novo porque procuraria uma pessoa que tivesse um compromisso não de microfone ou de palanque, mas de fato com a população pombense”, salientou.


O vereador José Chalegre de Farias (Chalegre Vereador do PMN) iniciou seu tempo livre comentando os transtornos que estão ocorrendo nas vias públicas devido à obstrução da via principal do Alto do Frade onde o mesmo presenciou brigas durante um acidente de trânsito.


Chalegre também deu seu testemunho sobre o incidente que houve entre a Gestora Municipal e os moradores. A Prefeita passava quando os mesmos estavam em mutirão limpando a rua principal, quando de sua passagem alguns moradores inconformados gritaram palavras de ordem contra a mesma, que em seguida mandou derramar dois caminhões de terra voltando a sujar toda a rua.


O parlamentar também se mostrou inconformado com a demolição dos prédios públicos dizendo que os mesmos deveriam ser entregues para a comunidade usá-los como sede de suas entidades.


Finalizando, o parlamentar comentou que na gestão passada os professores recebiam seu 13º em dia e ainda o rateio do FUNDEB, hoje, os professores vivem sob a ameaça de não receber. Chalegre disse que há uma esperança, pois o governo federal envia todo final de ano 1% a mais no Fundo de Participação, dinheiro que ele calcula ser suficiente.


O vereador Beto da Ambulância iniciou seu tempo livre falando a respeito dos comentários feitos a respeito dos colégios dizendo que realmente a gestão pública deveria ter sido mais transparente com a comunicação para a Câmara e o povo. Beto informou que a desativação (demolição) de alguns colégios foi devido ao fato de não haver número de alunos suficientes para que se formasse sala de aulas.

Em relação a falta d’água nos colégios, o parlamentar informou que toda vez que recebe informação do problema ele informa a prefeita e em seguida o problema é sanado, enfatizando que o problema é ocasionado por um funcionário da Ação Social que não está dando a atenção devida ao trabalho.


Beto também informou que o 13º salário dos servidores municipal estará sendo pago integralmente pela Prefeitura de Pombos a partir do dias 10 de dezembro;
enquanto ao Fundo de Pensão, o parlamentar informou que brevemente o problema estará resolvido. Ele acredita e continua apostando na gestão municipal, contrários a alguns vereadores que antes eram situação e agora estão em base contrária.


Referente ao episodio do Alto do Frade, Beto disse que procurou a prefeita e a mesma informou que já havia mandado retirar o entulho da rua e quando passava no local um cidadão gritou: “JOGA UMA PÁ DE TERRA NELA”, então a mesma agindo no calor da emoção ligou para a garagem e mandou despejar os dois caminhões de terra no mesmo lugar.


Não havendo mais oradores, o Presidente da Casa fez algumas explanações após cumprimentar os presentes. Iniciou explicando o porquê hoje é oposição, lembrando que não é nada igual ao que apoiou em época de campanha.


Disse não estar arrependido de ter votado, mas não repetiria tal ato por ver que a atual gestão não está dando certo, pois no início de 2009, Pombos não tinha débitos e hoje está bem próximo de R$ 5.000.000,00. (Cinco milhões de Reais), juntando todos os débitos devidos, então, observando coisas como estas pergunta-se se valeria a pena está do lado deste Governo.


Quanto à questão tão comentada sobre o barro derramado a pedido da Sra. Prefeita no Alto do Frade, não acha que ela agiu por emoção e sim por um deboche (abuso de poder).


“Acredito que um gestor público tem que saber agir pelos dois lados, situação e oposição, pois tem que haver equilíbrio, visto que ninguém tem cem por cento do eleitorado, devendo saber agir em todas as situações”, pontuou Marcos. Finalizando, convida a todos a comparecer na próxima Sessão.


Por Orlando Leite.