• Ceclin
ago 13, 2011 2 Comentários


Câmara de Gravatá adia decisão sobre aumento no número de vagas

com informações do Blog de Castanha

O desabafo emocionado do vereador Doca da Cavalhada sobre a agressão que sofreu do popular Ademar do Prado na semana passada, o debate sobre a falta de iluminação pública na BR-232 e a leitura do projeto de lei do Executivo sobre LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias foram os principais temas tratados na Sessão dessa sexta-feira (12). A Câmara de Gravatá não colocou em votação o aumento de 10 para 15 das cadeiras dos vereadores para a próxima legislatura.

Outro debate interessante e muito produtivo foi protagonizado pelo vereador Fernando Resende (PSB) ao abordar a questão da falta permanente de iluminação na BR-232 e a polêmica que envolve os governos federal, estadual e municipal e a CELPE. O vereador Danilo Melo (PMDB) fez um aparte e enriqueceu ainda mais o debate.

Outra questão importante foi a leitura do projeto de lei enviado pelo prefeito Ozano Brito (PSDB), que trata sobre a LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS – LDO que deve ser votada a partir do dia 30. Diretores do Sindicato dos Servidores Públicos e Sindicato dos Professores foram a tribuna (representado pelo diretor Marcelo Brito) protestar que não foram ouvidos ou consultados sobre a elaboração da LDO. Solidário com os servidores o vereador Fernando Resende deu seu voto de protesto e tentou pedir que o texto da LDO fosse revisto. Foi voto vencido: 1 X 9.

A Câmara de Gravatá não votou o projeto de lei que aumenta de 10 para 15 o número de vereadores na próxima legislatura. O projeto deve ser colocado em pauta para primeira votação na próxima terça-feira dia 16 de agosto.