• Ceclin
abr 24, 2009 3 Comentários


Caixa já negocia com prefeituras

Pequena analogia.

Publicado em 24.04.2009

A Caixa Econômica Federal conseguiu reunir, ontem, representantes de 118 municípios de Pernambuco, incluindo 66 prefeitos, para esclarecer as dúvidas sobre o Minha casa, minha vida. Durante a reunião, a principal questão abordada pelos prefeitos foi a cota de unidades que cada município vai receber. Eles estavam preocupados em prometer uma quantidade específica de casas e não conseguir cumprir a promessa. Segundo a assessoria de Imprensa da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), a Caixa não esclareceu a questão.
Para Pernambuco, o governo federal divulgou a construção de 44 mil residências. Especialistas dizem que a quantidade será insuficiente para a demanda. O secretário estadual das Cidades, Humberto Costa, calcula que Pernambuco terá uma demanda de 120 mil famílias apenas na faixa de renda de até três salários mínimos.
A Secretaria das Cidades informou que a prioridade será dada aos 14 municípios que fazem parte da Região Metropolitana do Recife, além de cidades com mais de 100 mil habitantes como Caruaru, Garanhuns e Petrolina.
Outra prioridade será concedida aos municípios onde o aumento da população deve ocorrer por motivos econômicos como Bom Conselho (que vai abrigar uma fábrica da Perdigão) e Santa Cruz do Capibaribe (que faz parte do polo de confecções do Agreste).
Mesmo assim, a Caixa vai treinar, a partir da primeira semana de maio, um funcionário das prefeituras para ocupar o cargo de gerente municipal de contratos e convênios. Ele será a ponte entre o banco e as demais instituições em relação aos projetos da cidade.
As prefeituras ainda não sabem como vão fazer as inscrições das famílias interessadas no programa. Até agora, as inscrições estão sendo realizadas na sede da Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab), que fica na Rua Odorico Mendes, nº 700, em Campo Grande, Recife.
(Jornal do Commercio).