Ceclin
maio 21, 2009 0 Comentário


BRF já está presente em Bom Conselho

Publicado em 21.05.2009

Logomarca da Brasil Foods é exibida nos descansos de tela dos computadores do escritório em Bom Conselho, que abrigará a 1ª fábrica de produtos lácteos da gigante do setor de alimentos do Nordeste

Adriana Guarda

BOM CONSELHO – No escritório da Perdigão, em Bom Conselho (a 266 quilômetros do Recife), os descansos de tela dos computadores já exibem a logomarca da Brasil Foods (BRF) – empresa criada com a fusão da Sadia e Perdigão, na última terça-feira. A cidade, que vai abrigar a primeira fábrica de produtos lácteos da companhia no Nordeste, recebeu a notícia com entusiasmo.
A expectativa é que a indústria seja inaugurada até o final de junho com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, quem sabe, com os dois executivos que co-presidem o Conselho de Administração da BRF, Nildemar Secches e Luiz Fernando Furlan.
O produtor de leite José Milton Matos, de 61 anos, conta que viu a notícia na internet. “Não sei nem dizer o nome da nova empresa, que é em inglês, mas acho que agora o grupo deve ficar mais forte e poderá pagar melhor ao fornecedor”, ironizou, aproveitando para cobrar uma melhora no valor pago pelo litro do leite, que está em R$ 0,64 e deverá passar para R$ 0,67 nos próximos dias.
Seu José Milton é um dos 111 produtores de 18 municípios que estão fornecendo leite para a Perdigão na bacia de Pernambuco, dentro do programa FidelizaLeite – criado há um ano pela empresa. Hoje, a companhia capta 55 mil litros de leite e já está industrializando parte da produção com a marca Elegê.
“Nosso município será sede de uma das fábricas dessa gigante e nós queremos oferecer as melhores condições para o funcionamento da indústria”, disse a prefeita de Bom Conselho, Judith Alapenha (PDT).
O gerente administrativo da Perdigão em Bom Conselho, Leomar Lino Lorenzett, diz que o leiaute da fábrica vai manter a logomarca da Perdigão, pintada numa caixa d’água com 67 metros de altura. A unidade de produtos lácteos, que consumirá investimentos de R$ 150 milhões, deverá operar com todas as linhas de produção (leite UHT, achocolatados, fermentados, iogurtes e bebidas lácteas até agosto).
Em junho, a planta inicia a produção apenas com o leite UHT.
O executivo confirma que o projeto de processados de carnes foi postergado, em função do desaquecimento do consumo provocado pela crise global.
“O projeto inicial era inaugurar todo o complexo agroindustrial em 2009, mas vai ficar para depois”, afirma, sem precisar data.
O adiamento também vale para a construção da central de distribuição. “Com a criação da BRF, a CD da Sadia em Vitória de Santo Antão pode ser usado pela unidade de produtos lácteos”, observa.
(Jornal do Commercio).

LEIA TAMBÉM: