Ceclin
ago 12, 2008 9 Comentários


Bione entrou com medida cautelar para se preservar

O candidato a vice-prefeito, Dr. Edvaldo Bione, na chapa do candidato a reeleição, Prefeito Demétrius Lisboa, ambos do PSB, entrou com uma ação cautelar eleitoral com pedido de liminar datado em 03/08, ao Juiz da 018ª Zona Eleitoral, Dr. Uraquitan Santos, no sentido de impedir que as coligações que lhe fazem oposição usem imagens e sons de seus posicionamentos políticos em eleições passadas.

Pelo fato de está candidato a vice-prefeito da Coligação “Frente Popular da Vitória”, ele alega no pedido que, as coligações majoritárias “Vitória bem administrada” (Elias Lira) e “Vitória de Cara Nova” (Cristiano Pilako), bem como as coligações proporcionais: Vitória Unida e Forte, Aliança Social Cristã e Vitória do Futuro, estão de posse de material gravado, com imagens e discursos feitos no pleito eleitoral de 2004, quando na época era candidato a vice-prefeito na chapa do então candidato Elias Lira (DEM). Segundo a ação, estes discursos retratam uma realidade vivida naquela época, portanto, “é totalmente distinto da realidade atual”, diz o teor do pedido.

Acrescenta que fazer uso deste material seria “irresponsável, criminoso infringindo a legislação eleitoral, sendo este um ato de desespero distorcido, diante da inevitável derrogada do pleito que se avizinha”, invoca.
Diante deste pedido de tutela antecipada, o Dr. Bione requer a vedação da veiculação do uso da voz e imagem dele em qualquer meio de comunicação ou transmissão. Afirma ainda “que caso haja o uso indevido da imagem e voz nos moldes acima descrito, estarão materializando a difusão de condutas ilícitas e criminosas, nos termos já narrados, suportando o peticionário as consequências nefastas de tais condutas delituosas”, sublinha o texto.

Até o momento o Juiz Eleitoral não proferiu decisão a respeito.
O médico Bione em 2004 era o vice de Elias Lira na época. Se faz presente ainda na memória política local os discursos efusivos contra a administração de José Aglaílson, adversário naquele período eleitoral e hoje aliado partidário.

por Editoria Política.