Ceclin
maio 26, 2010 10 Comentários


Bione afirma que a suposta candidatura de Joaquim apenas interessa a Aglaílson

O Programa A VOZ DA VITÓRIA transmitido pela Rádio Tabocas FM (98,5), em Vitória de Santo Antão, de segunda a sexta das 06 às 08h da manhã, contou com mais uma participação do Médico Edvaldo Bione – que é pré-candidato a Deputado Estadual pelo PHS.

Durante a coluna, todas às sextas, Dr. Bione mencionou quanto a suposta candidatura do filho do atual prefeito de Vitória de Santo Antão, Joaquim Lira, opinando ainda sobre as pré-candidaturas de senador e a construção das chapas à sucessão para o governo do Estado.
Indagado pelo apresentador sobre as notícias veiculadas na imprensa da região sobre a possível candidatura de Joaquim Lira para deputado estadual a fim de fortalecer a proporcional do DEM, Bione afirmou não acreditar, pois segundo ele, uma candidatura para se construir precisa de apoio, além de ser trabalhada com antecedência, e duvidou se o jovem advogado era realmente filiado aos Democratas.
“Se houvesse a pretensão de lançar a candidatura de Joaquim Lira para deputado estadual, ela teria sido posta para as pessoas em momento bem anterior a esse,” analisou.

Bione indicou a quem interessa esse tipo de notícia: “Esse interesse na candidatura de Joaquim é muito mais importante para o deputado Aglaílson Júnior do que para o deputado Henrique Queiroz que na próxima eleição deverá chegar aos 65.000 mil votos”, confabulou.

Segundo a avaliação do médico, o interesse maior na possível candidatura de Joaquim Lira seria do próprio José Aglaílson (PSB) que foi prefeito da Vitória de Santo Antão. “A pretensão seria promover um debate importante havendo assim uma polarização que daria consistência a votação que o deputado Aglaílson Júnior terá em Vitória, que pelas pesquisas, será uma boa votação”.

“Ele consolida a candidatura dele e consolida também uma pré campanha para a Prefeitura da Vitória daqui a três anos. O interesse hoje de Joaquim Lira candidato é de José Aglaílson, para que no embate eleitoral ele se antecipe no que diz respeito à eleição de prefeito”, acrescentou Bione na entrevista.

Lissandro Nascimento perguntou a Edvaldo Bione como ele vê o apoio do Prefeito Elias Lira em relação à reeleição do deputado estadual Henrique Queiroz (PR).
Segundo Bione se Henrique tiver uma votação expressiva em Vitória ele vai querer ser candidato a Prefeito nas próximas eleições, pelo que poderia haver um confronto com Elias Lira.

“Quando os interesses se conflitam, transformam-se parceiros em adversários”, sentenciou.

“Não seria lógico que o prefeito desse todas as chances para que Henrique Queiroz seja o majoritário em Vitória. Eu acredito que não dará, haja vista a presença de Paulo Roberto no palanque de Raquel Lyra do PSB”, cutucou.

O pré-candidato citou que a polarização e o ‘voto barrista’ predominam no Município: “Mesmo assim o espólio político de Elias Lira é um espólio grande. Ele teve 20 mil votos em Vitória de Santo Antão, se Henrique tiver a metade desses votos ele passaria de 5 mil da eleição passada para 15 mil votos, o que seria uma significativa expressividade”, analisou.
Provocado se Bione queria também uma parte dos eleitores do Prefeito Elias Lira, disse: “Eu não ficaria insatisfeito com um apoio desses”, brincou Bione.

Bione acredita que o compromisso de Elias Lira em apoiar Henrique Queiroz será mantido porque não foi feito apenas no palanque, pois o prefeito já se posicionou em relação a isso.
“Creio que a eleição de Henrique já é fato garantido. Talvez ele precise adequar seus interesses políticos em relação a Vitória de Santo Antão, mas isso é uma avaliação pessoal dele, ele precisa se consolidar politicamente em Vitória”, aconselhou.

Perguntado sobre suas chances de chegar à Assembleia Legislativa, Edvaldo Bione mostrou-se otimista e disse que está trabalhando muito para isso.
“Vitória sempre teve três deputados, nesses 26 anos de trabalho conheci bem a cidade e gostaria de ter uma chance para aumentar a representatividade da Vitória de Santo Antão”, refletiu.

“Eu sou uma opção para uma parte dos votos de Elias Lira, pois os eleitores de Elias Lira não votam em Aglaílson Júnior e quem vota em Aglaílson Júnior não vota em Elias Lira. Espero que nessa divisão eu consiga ser mais um a representar Vitória de Santo Antão na ALEPE”.

Lissando perguntou a Edvaldo se haveria alguma possibilidade de Inocêncio Oliveira sair da base de Eduardo Campos (PSB) para ingressar candidato ao Senado na majoritária com Jarbas Vasconcelos (PMDB).

Edvaldo mencionou que Inocêncio Oliveira foi um dos responsáveis pelo início da candidatura e eleição de Eduardo Campos na eleição passada, mas que sua origem política é do antigo PFL que agora se chama DEM. “Ele militou durante quase toda sua vida no PFL que hoje é o DEM, depois foi para o PR e eu não vejo porque Inocêncio não sairia candidato a senador junto à chapa de Jarbas Vasconcelos. A chance é grande”. […] “Marco Maciel (DEM) hoje lidera as pesquisas sem grupo influente e sem campanha na rua, ele é um homem sério e eu acho que uma das vagas é de Marco Maciel,” ressaltou.

“A segunda vaga está embolada. Tem um candidato forte com o apoio e o interesse do governo estadual que é Humberto Costa. Temos Armando Monteiro Neto (PTB) que possui uma estrutura forte e Raul Julgman (PPS) e Inocêncio (PR) que tem um espólio político. Oliveira é muito articulado e já possui oito mandatos de deputado Federal. Eu não vejo com perplexidade a candidatura de Inocêncio ao Senado ao lado de Jarbas Vasconcelos,” confabulou.

Bione acredita na vitória de Eduardo Campos. Porém reconhece que Jarbas é um grande adversário o que tornará essa eleição bastante concorrida, um verdadeiro clássico. Jarbas já partiria com 31% de intenção de votos contra 51% de Eduardo (pesquisa divulgada no dia da entrevista) tornando assim essa disputa política um verdadeiro clássico.

Finalizando, Edvaldo Bione comunicou que é um dos novos sócios do Instituto Histórico e Geográfico da Vitoria. Agradeceu a todos que compareceram à solenidade e em especial ao professor Pedro Ferrer, um dos responsáveis por ele ser um membro efetivo.

Apresentação: Lissandro Nascimento.
Produção:
Jáder Siqueira, Orlando Leite e Cláudio Gomes.
Equipe:
Emerson Lima, Berg Araújo, Genilda Alves.