Ceclin
mar 23, 2012 0 Comentário


Audiência pública na Câmara do Recife marca início da campanha salarial dos servidores federais em Pernambuco

Na próxima segunda-feira, dia 26 de março, às 9h, na Câmara dos Vereadores do Recife, será realizado o lançamento estadual da Campanha Salarial 2012 dos servidores federais. A atividade é aberta ao público e está sendo organizada pelo fórum cutista da categoria, formado pelo Sindicato dos Servidores Federais no Estado de Pernambuco (Sindsep), Sindicato dos Servidores do Judiciário Federal (Sintrajuf), Sindicato dos Previdenciários (Sindsprev) e Sindicato dos Policiais Federal (Sindprf). Além da audiência pública, está prevista uma apresentação do grupo de teatro TV Sindical, que fará uma crítica ao governo pelo descaso com a categoria.

Também na segunda-feira que vem, à tarde, uma caravana do fórum cutista dos servidores partirá do Recife com dois ônibus rumo à capital federal para participar de uma grande marcha no dia 28 deste mês. A atividade faz parte da campanha salarial da categoria e reunirá trabalhadores de todo o país. No mesmo dia, entidades que representam os servidores federais nacionalmente têm uma reunião agendada com o Ministério do Planejamento.

NEGOCIAÇÕES

As negociações com o governo não vão nada bem. Semana passada, a Confederação Nacional dos Servidores Federais (Condsef) e mais 31 entidades que representam os servidores públicos federais nacionalmente se reuniram duas vezes com o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, para discutir política salarial e reajuste de benefícios. Não houve avanço nesses encontros, o gestor disse que qualquer reajuste nos benefícios só será possível em 2013, além de querer estender as negociações da campanha salarial 2012 para o final de agosto.

Os servidores cobram a revogação da portaria 13/2012, que limita e congela o auxílio alimentação em R$ 378 e apresentaram dois estudos feitos pela subseção do Dieese na Condsef. O primeiro é uma proposta de revisão inflacionária geral e emergencial de 22,08%. O segundo é uma análise do valor dos benefícios pagos pela União.