Ceclin
mar 05, 2020 0 Comentário


Audiência pública cobra solução da Compesa quanto a falta d’água em Escada

Durante a audiência foi articulada uma comissão a fim de buscar uma solução junto ao governador Paulo Câmara. Foto: Sanchilis Oliveira / Escada News

Durante a audiência foi articulada uma comissão a fim de buscar uma solução junto ao governador Paulo Câmara. Foto: Sanchilis Oliveira / Escada News

com informações do Escada News

A Câmara de Vereadores de Escada, na Mata Sul, realizou na manhã da quarta-feira (04/03), uma audiência pública sobre o irregular abastecimento de água no Município. Estiveram presentes os representantes da Companhia Pernambucana de Saneamento – Compesa, o coordenador regional Marcos Antonio, o Engenheiro Carlos, responsável pelos projetos da Compesa, além dos vereadores Sandra Valéria, Valdênia de Cassia, Cátia da Farmácia, Fernando Empreiteiro, Antonio Rufino Binho, Elias Ribeiro e Marcos Santiago. Também participaram o secretário municipal de Infraestrutura Renato, a secretária de Cultura Terezinha Melo, o vice-prefeito Ivanildo Bigodão, bem como vários representante da sociedade civil.

Na reunião, a equipe da Compesa apresentou os projetos que estão sendo executados pela empresa e a demanda que Escada necessita para solucionar os problemas relacionados ao abastecimento d’água. Segundo o coordenador Marcos, seriam necessários investimentos na ordem de R$ 27 milhões para a construção de uma barragem de contenção, ampliação da ETA – Estação de Tratamento de Água, instalação de novas tubulações, além da construção de novas estações elevatórias.

Atualmente estão previstos apenas investimentos paliativos de cerca de R$ 750 mil, para diminuir o rodízio atual que é de seis dias sem água e dois dias com água, para quatro sem água e dois com água.

Várias indagações acerca da falta de investimentos e atenção do governo do Estado com Escada foram feitas, além da intervenção política do governo municipal com o governo do Estado. Em uma das falas, o vice-prefeito Ivanildo Bigodão classificou como omissão do prefeito a não articulação política para buscar solução junto ao governador Paulo Câmara (PSB). “Só tem uma coisa a dizer sobre o que o governo municipal tem feito, omissão, é isso que tem acontecido”, vaticinou.

O secretário de Infraestrutura, Renato, rebateu a afirmação de Bigodão dizendo que o possível tem sido feito pelo governo e que várias parcerias já foram realizadas com a Compesa em várias obras e serviços.

A audiência terminou com vários desabafos da população e dos vereadores quanto a insatisfação dos serviços prestados pela empresa, desde o número de dias sem água, até a qualidade da água fornecida nas torneiras da população. Ao fim da audiência, foi articulada uma comissão com representantes dos Poderes Executivo e Legislativo, mais a sociedade civil a fim de buscar uma solução junto ao governador Paulo Câmara.

Outra novidade anunciada pela Compesa durante a audiência na Câmara de Escada foi que a partir do dia 16 de março um novo calendário de abastecimento deverá ser anunciado.

Prefeitura da Escada 

No último dia 13 de fevereiro, a Prefeitura da Escada se reuniu com os representantes da Compesa, Câmara e secretários municipais, requerendo da empresa uma intervenção diante dos transtornos causados à  população escadense diante do irregular abastecimento. Foi solicitado o fornecimento em caráter de emergência de carros-pipa, caixas d’água, bem como perfurações de poços a fim de minimizarem os transtornos e problemas decorrentes da falta de água.