• Ceclin
jul 08, 2019 0 Comentário


Ativistas da causa LGBT pedem justiça para professor achado morto em Pombos

Ato em homenagem ao professor achado morto foi realizado em Pombos, na Zona da Mata de Pernambuco, neste domingo (7) — Foto: Fran Sete Cores/Divulgação

Ato em homenagem ao professor achado morto foi realizado em Pombos no domingo (07) — Foto: Fran Sete Cores/Divulgação

Protesto foi realizado na tarde do domingo (7), nas ruas centrais da cidade. Corpo de Sandro Cipriano foi achado com tiro na cabeça, em junho.

Por G1 PE

Moradores de Pombos, no Agreste de Pernambuco, distante 54 quilômetros do Recife, realizaram, no domingo (07/7), um protesto para pedir justiça a agilidade nas investigações da morte do professor Sandro Cipriano, de 35 anos, ativista da causa LGBT. O corpo dele foi encontrado no dia 29 de junho, na área rural da cidade, com um tiro na cabeça.

professor Sandro CiprianoA mobilização dos militantes da causa LGBT para pedir agilidade nas investigações começou logo depois da descoberta do corpo de Sandro. No dia 1º de julho, uma comitiva participou de uma sessão na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no Centro do Recife. Em seguida, os ativistas foram para a sede da Secretaria de Defesa Social (SDS), na capital.

No ato deste domingo, os ativistas e amigos de Sandro usaram camisas com a foto do militante assassinado e com as palavras “justiça, paz e segurança”. O protesto foi divulgado nas redes sociais com a marca “#sandro presente”. Os manifestantes saíram do Alto do Frade e foram até a Praça João Pessoa, no Centro, onde fica a delegacia da cidade. “A violência está muito grande aqui. Uma morte dessas não pode ficar impune”, afirmou Gibson Santiago, militante do Grupo Sete Cores, do qual Sandro fazia parte.

Sandro era professor do curso de Agroecologia na ONG Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta), e há 20 anos atuava dentro da organização na causa LGBT e também no campo da agricultura familiar.

Crime

Sandro desapareceu no dia 27 de junho, segundo a família. A causa da morte, de acordo com a Declaração de Óbito, foi uma lesão na cabeça provocada por um tiro. Os parentes de Sandro também não sabiam sobre nenhum tipo de desavença ou ameaça. O carro dele foi encontrado na manhã do dia 30, no Loteamento Menino Jesus, que fica às margens da BR-232, também no município de Pombos. No dia do ato ocorrido na SDS, o secretário Antônio de Pádua informou que as investigações estavam sendo realizadas sob sigilo.