Ceclin
Maio 25, 2009 13 Comentários


"As carcaças não podem continuar", diz ouvinte sobre o transporte vitoriense

Apresentado por Lissandro Nascimento o Programa A VOZ DA VITORIA da última sexta-feira (22) em sua tradicional Mesa Redonda pela Rádio Tabocas FM (98,5), sempre no início da tarde, trouxe como tema o “Transporte Público Urbano da Vitória de Santo Antão”.
Para o debate foram convidados o Sr. Décio Filho – Secretário de Defesa do
Cidadão da Prefeitura local, José Reinaldo – Diretor Executivo de Trânsito e Transporte, e o Coronel Paulo Carneiro – Comandante da Guarda Municipal da Cidade da Vitória de Santo Antão.
Após as tradicionais apresentações, o Secretário Décio Filho fez um relato sobre o trânsito em nossa Cidade, salientando que a questão “trânsito e transporte estão vinculados um ao outro e de uma maneira abrangente temos que incluir também o transporte alternativo e as moto-táxi que circulam em nosso município”, completando “que não adianta tentar incrementar um sistema sem resolver os problemas que englobam todo o mesmo”, salientou.

A começar pelo trânsito destacou o atual quadro que não possibilita qualquer projeto de estruturação do transporte público em Vitória, “por isso a Secretaria e seus técnicos procuraram órgãos especializados para se ter uma orientação e tomar decisões coerentes a respeito do trânsito em nossa cidade”, pontuou Décio Filho.
“Consultamos CETRANS (Conselho Estadual de Trânsito) e em seguida o DETRAN que após ter em mão relatórios sobre o trânsito problemático da cidade enviou uma equipe de técnicos que permaneceram na cidade durante duas semanas estudando e fazendo o mapeamento global do centro da cidade”, explicou.
“Foi firmado um compromisso para que o resultado desses estudos estivessem em nossas mãos no máximo em junho para que a partir daí fazer um trabalho com base técnica trazendo assim bons resultados para o Município”, ressaltou o Secretário.

Indagado pelo apresentador como se procede para ter uma concessão para explorar comercialmente uma linha de ônibus ele foi didático: ”O interessado apresenta um projeto/cadastro com nome e documentação pessoal, roteiro de ida e volta do trecho a ser explorado e a quantidade de veículos disponíveis, após apreciação da Câmara de Vereadores, se estiver tudo adequado às necessidades da comunidade assistida, a concessão é autorizada e sancionada pelo Poder Executivo”, explicou Zé Reinaldo.

Em seguida Lissandro lembrou que há poucos dias foi votado um Projeto de Lei de uma nova linha para suprir a demanda dos arredores da Sadia em Vitória, o qual foi confirmado pelo Diretor de Trânsito, completando dizendo que a mesma já está operando em caráter de experiência.
Sobre a quantidade de concessões de linhas do Município o Diretor de Transportes nos informou que 21 é o número total de linhas de ônibus (urbano e rural) que rodam em Vitória, entre carros reservas e trabalhando são de 50 veículos, citou.
Quanto à fiscalização ela está sendo feita através da Secretaria e com a Guarda Municipal que fica orientando os motoristas para que não fique muito tempo parados nos pontos, “a fim de não gerar engarrafamentos principalmente nos horários de pico”, exemplificou.
Em seguida foram apresentados áudios com perguntas colhidas pela produção com a população da cidade com perguntas e sugestões.
No Debate, as perguntas foram sempre coincidentes e relativas ao estado precário dos veículos, superlotação em algumas linhas, transporte misto (pessoas e cargas no mesmo veículo) e a demora da saída dos mesmos.
Em conjunto os representantes das Secretarias e diretorias deram o seguinte esclarecimento: “Temos consciência desses problemas que não podem ser resolvidos da noite para o dia. Temos em nossos planos organizar pontos de ônibus bem sinalizados com veículos adequados a população, saindo em horários regulares oferecendo conforto e segurança. Seria irresponsabilidade minha ou dos componentes da Secretaria se indicássemos uma data definitiva para concluir todo o projeto”, ponderou.
“Mas estamos trabalhando e lutando junto à população que nos ajuda muito, dando sua opinião e reinvidicando o que é de direito”, destacou.

Em outra roda de perguntas as maiores indagações dos ouvintes foram:
Acessibilidade para deficientes e idosos, transporte de escolares e a conservação das ruas que em certos casos não permitem ao acesso dos ônibus.
A resposta foi categórica afirmando que o problema do transporte é tão extenso que envolve até outras Secretarias como a de Obras, por exemplo, e “que estão em sintonia para vencer mais essa etapa e dar condições para que os veículos rodem com segurança e aí sim poder exigir que os mesmos também dêem conforto e segurança para os usuários”.

A terceira e última rodada de perguntas teve a participação do ouvinte assíduo Chico Taxista que indagou à Mesa se haverá algum projeto de cadastramento para moto-táxi e qual a posição sobre os táxis clandestinos que rodam em Vitória sem o Alvará, fazendo concorrência desleal com quem roda regulamentado; também houve a do jovem estudante Elton da Matriz que perguntou se há algum projeto para a implantação de estacionamento tipo
“Zona Azul” em Vitória de Sto. Antão.
Com relação aos táxis clandestinos e moto-táxi o Secretário foi enfático:
“Com certeza esses dois segmentos de transporte terão nossa total atenção e apoio. Nosso objetivo é cadastrar todas as motos que rodam em Vitória dando prioridade as pessoas de nossa cidade e em seguida faremos palestras educacionais na área de trânsito, comportamento social para que o serviço desses profissionais que tanto arrisca a vida agregue valores para eles e referencias para a cidade”, adiantou o Secretário. “Os taxistas e moto-taxistas fiquem tranquilos, pois todos serão chamados neste novo formato”, garantiu.
Quanto aos táxis que rodam sem alvará estes também receberão a mesma atenção, mas ele foi bem claro em dizer que não é motivo de preocupação que não será da noite para o dia que esses problemas vão ser resolvidos, “vai haver comunicação prévia e com certeza a Gestão Municipal fará tudo que estiver ao alcance para não deixar ninguém sem direito ao seu trabalho”, garantiu o Décio Filho.
Quanto ao sistema de estacionamento Zona Azul ele comunicou aos ouvintes que o projeto que o DETRAN está fazendo para Vitória já vislumbra a instalação do sistema que é uma forma democrática de aproveitar as poucas vagas existentes evitando assim (citando o exemplo) de uma pessoa que deixe o carro pela manhã em certa rua e só volte para pegá-lo à noite.
Como última mensagem ele fugiu do tema para dar um aviso muito importante a população ribeirinha de nosso Município, alertando que a previsão para os próximos dias é de muita chuva colocando em riscos esses moradores que habitam essas áreas.
Deixou bem claro que a Secretaria de Defesa do Cidadão vai estar em alerta total e encarecidamente pediu aos cidadãos que tome o maior cuidado possível com o lixo produzido em suas residências para que não provoquem entupimentos nas galerias evitando as enchentes.
Todos os ouvintes que interagiram neste debate deixaram claro a sua apreensão pelo serviço de transporte público que é oferecido na cidade. “Já não basta o monopólio da Empresa Borborema”, disse um deles; já o outro foi direto: “Não é possível termos que continuar a andar nestas carcaças dentro da cidade”, reagiu outro.

Apresentação: Lissandro Nascimento.
Produção: Jáder Siqueira, Orlando Leite e Cláudio Gomes.
Equipe: Felipe França, Genilda Alves.
Colaboração Especial: Adriano Campelo.