Ceclin
jul 06, 2012 0 Comentário


Artesanato produzido no Presídio de Vitória será exposto na Fenearte

Blog do Jamildo

Pela sétima vez consecutiva a Secretaria de Ressocialização marcará presença na Fenearte, divulgando os produtos artesanais produzidos por reeducandos de 13 unidades prisionais do Estado: Abreu e Lima, Itamaracá, Vitória de Santo Antão, Buíque, Igarassu, Petrolina e Limoeiro.

As peças foram fabricadas por cerca de 150 artistas de unidades masculina e feminina. Os materiais utilizados na confecção das peças são variados, como madeira, papel, palito, tecido, metal e palha de bananeira.

Os produtos são diversificadas, cerca de 200 tipos, dentre eles, tabuleiro de xadrez, casinha de boneca, almofada, artigos para decoração, brinquedosinfantis, toalhas bordadas e baú decorativo em madeira.

O destaque deste ano será o boneco de Luiz Gonzaga, que homenageia o centenário de nascimento do Rei do Baião. O material foi confeccionado pelo reeducando da Penitenciária Agroindustrial São João (Itamaracá), José Benedito de Melo Filho.

Já o Tacaruna Social está com um stand na Fenearte para comercializar cerca de 600 peças utilitárias, de moda e de decoração, o resultado das oficinas promovidas pelo projeto de inclusão social do shopping para mulheres de baixa renda de Santo Amaro.

Depois de aprenderem técnicas como Pintura em MDF, Papel e Resina, Bijuterias com garrafas PET, Modelagem, Biscuit, Craquelê e Vitrificação, entre outros, elas tiveram os trabalhos selecionados para uma das mais importantes feiras de artesanato da América Latina.

Grande parte desses trabalhos é de material reciclável. Exemplos são garrafas PET transformadas em pulseiras forradas com tecidos, carteiras de mão criadas a partir de retalhos de tecidos montados em base de papelão e flores de palha de bananeira. Também estarão no stand objetos vitrificados, embalagem em papel microondulado e pátina.

Este é o terceiro ano consecutivo de participação do Tacaruna Social na Fenearte. Criado com o objetivo de estimular a valorização da cidania, atuando junto à comunidade de Santo Amaro, o projeto já capacitou 1.032 mulheres nas oficinas de artesanato e 1.419 jovens e adultos em cursos de qualificação.