Ceclin
dez 06, 2016 0 Comentário


Argentinos querem exportar derivados do leite para Pernambuco

09cfb3653165b7ebc58bcae8053f13ae

Bacia leiteira de PE está em grave crise, provocando baixa de derivados do leite.

Em rodada de negócios que aconteceu nesta última segunda (5), empresários do setor negociaram com empresas pernambucanas. 

Novos produtos argentinos do ramo de laticínios devem entrar em Pernambuco em breve. Aconteceu ontem no bairro de Boa Viagem uma rodada de negócios entre produtores de leite estrangeiros e 12 empresas de distribuição e logística no Estado. De acordo com a Associação das Pequenas e Médias Empresas Lácteas da Argentina (Apymel), representante de mais de 100 empresas no País, a expectativa é de $ 300 mil (cerca de R$ 1 milhão) em geração de negócios. Estiveram presentes no encontro grupos locais como o Walmart, o KarneKeijo e a rede Nordeste de Supermercados.

De acordo com o Cônsul Geral do Consulado da República Argentina no Recife, Jaime Beserman, o objetivo é estreitar os laços comerciais entre Brasil e Argentina. “Estamos tentando abrir o mercado. Hoje, foram sete empresas da Argentina negociando com 12 do Brasil. Em breve, poderemos ter resultados desse encontro”, afirma. A preocupação também é de reduzir o custo para o consumidor final e ter processos simplificados no mercado pernambuco, por isso a preocupação em dialogar também com empresas de logística.

PERNAMBUCO

A bacia leiteira do Estado se encontra em grave crise. No início do ano, produtores sofriam principalmente com o aumento do preço dos insumos, a exemplo da soja e do milho. Agora, com a importação dos produtos que também vêm da Argentina, os preços diminuíram, mas outro problema se agrava, o da falta de água. “Muitos criadores dependem de carros-pipa para suprir as necessidades do rebanho, mas nem os carros chegam mais”, aponta o p residente da Sociedade Nordestina dos Criadores, Emanuel Rocha.

Jornal do Commercio