• Ceclin
mar 14, 2018 0 Comentário


Após polêmica judicial, eleição da nova Mesa da Câmara de Escada ocorre nesta sexta-feira (16)

Vereador Elias Ribeiro e a Vereadora Sandra Valéria. Foto: Sanchilis Oliveira

Membros da atual Mesa, vereadores Elias Ribeiro (na Tribuna) e Sandra Valéria romperam politicamente. Fotos: Sanchillis Oliveira

Sandra do Matadouro, designada pela Justiça, convocou para esta sexta-feira a eleição para quem comandará a Câmara de Escada a partir de 2019. 

O cargo de Presidente da Câmara de Vereadores de Escada, cidade com 62 mil habitantes na Mata Sul pernambucana, vem sendo cobiçada pelos seus vereadores eleitos em 2016.

Desde o dia 27 de fevereiro, a Câmara Municipal tenta antecipar a eleição da sua Mesa Diretora para o biênio 2019/2020, contudo, a cada dia marcado para a escolha uma ação inusitada acontece provocando o cancelamento da votação. Na primeira data escolhida pelo atual presidente Elias Ribeiro, do partido Solidariedade, feita através de alteração no Regimento Interno da Casa Legislativa, a sessão acabou não ocorrendo devido ao blackout apenas no prédio da Câmara (Reveja AQUI). A disputa pelo cargo se dar entre Elias Ribeiro, que tenta sua reeleição, e o vereador Eduardo do Arretado, do partido Progressista (PP), quando os parlamentares deverão também escolher os novos membros para os cargos de 1º Secretário e de 2º Secretário.

Já na segunda sessão ordinária marcada para o dia 07 de março, novamente foi cancelada por conta da perda das chaves sob a responsabilidade da equipe técnica da Câmara de Escada. Até então, nem a falta de energia e nem a perda das chaves foram justificadas pela atual presidência.

Plenário da Câmara de Escada 03.2018Contrariados diante dessa estranha situação, um grupo formado por oito vereadores (Eduardo do Arretado, Antônio Rufino Binho, Professora Valdênia, Sandra do Matadouro, Roberto do Pichá, Marcos Santiago, Deda Móveis e Gil Sat), deram entrada em uma ação na Justiça local conquistando liminar através de um Mandado de Segurança, quando a sessão e a votação da nova Mesa Diretora foi assegurada. A determinação judicial foi proferida pelo Juiz Demétrius Liberato Silveira Aguiar, da 1ª Vara da Comarca da Escada, dando poderes a 1ª Secretária da Câmara, vereadora Sandra Valéria do Matadouro (MDB), primeira substituta do presidente, a convocar e presidir a eleição no prazo que apresenta o Regimento Interno da Casa Legislativa. O Juiz entendeu que o presidente da Câmara havia descumprido o prazo inicialmente estipulado pela Justiça, designando a vereadora a proceder com o pleito.

A decisão judicial foi divulgada durante sessão ordinária do último dia 12 de março, o que fez com que um grande número de populares lotasse as dependências do prédio da Casa Sizenando Cabral. Sandra Valéria, portanto, convocou para esta sexta-feira (16/03), às 19h30, a eleição para quem comandará a Casa Legislativa a partir de 2019.

Agora, são candidatos ao cargo de presidente os vereadores Elias Ribeiro (SD), Antônio Rufino Filho (PTB), e Eduardo do Arretado (PP), apontando uma disputa bastante acirrada.

VEREADORES do PMN em ESCADA

Na manhã da segunda-feira (12/03), foi deliberada pela direção estadual do Partido da Mobilização Nacional (PMN), a expulsão dos vereadores Roberto Barreto do Nascimento (Roberto do Pichá) e José Marcos da Silva (Marcos Santiago), por insubordinação ao partido no momento em que os vereadores não se posicionarem na bancada de oposição na votação da presidência da Câmara de Vereadores de Escada, na Mata Sul do Estado.

A ordem do partido era de que os vereadores ficassem na oposição a atual presidência da Casa, seguindo seu voto ao candidato Eduardo do Arretado, do partido Progressista. Ao que indica, os vereadores se renderam ao atual presidente da Câmara, o vereador Elias Ribeiro, do Solidariedade, que por duas vezes adiou a votação, que ele mesmo antecipou do mês de junho para a última semana de fevereiro deste ano, conforme alteração no Regimento Interno, proposta pelo vereador do Solidariedade.
A direção municipal do PMN enviou a Câmara de Vereadores o comunicado pela expulsão dos dois parlamentares.