Ceclin
ago 08, 2011 0 Comentário


APAMI busca reinserir ex dependentes do álcool ao mercado de trabalho


Em entrevista ao Programa A VOZ DA VITORIA pela Rádio Tabocas FM (98,5), a Terapeuta Educacional e Coordenadora da Unidade de Cuidados Prolongados para Pacientes com Doenças Crônicas, Dra. Rosa Queiroz, além da Pedagoga Lígia Oliveira, ambas do Hospital Maternidade APAMI, em Vitória de Santo Antão, apresentaram o “Projeto de Reconstrução de Vida considerando a reintegração ao Trabalho como meio eficaz para recuperação de alcoolistas”.

Tal Projeto de reinserção surgiu quando se averiguou a necessidade através de entrevistas com pacientes que logo depois de recuperados de seus vícios, constatou-se a dificuldade destes serem reinseridos ao convívio social, sobretudo ao mercado de trabalho. Desde então diante da constatação de toda a equipe interdisciplinar da APAMI, surgiu a ideia de um projeto para sensibilizar os empresários em geral de Vitória e região, a fim de que os mesmos abrissem essa oportunidade para os pacientes recuperados da alcoolemia.

Segundo a avaliação minuciosa feita por toda a equipe que é composta por Psicólogos, Pedagogos, Médicos, Assistentes Sociais, Fisioterapeutas, Nutricionistas e Fonoaudiólogos, eles formataram mecanismos para estes tornarem-se capazes de retomar socialmente suas vidas. Diante do exposto, foram considerados nessa avaliação os fatores preponderantes como o comportamento do paciente para com sua família e o nível de escolaridade.

Segundo a Dra. Rosa Queiroz, os pacientes que tiverem precisando desse tratamento poderão procurar a APAMI que conta com todo o tratamento custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), também podendo contar com entidades como o SARAVIDA e a AMA (Associação Maria Amélia), ambas fixadas em Vitória de Santo Antão.

De acordo com a ação que também conta com o apoio do Programa governamental “Todos com a Nota”, eles passam na APAMI de trinta a sessenta dias, e se for necessário serão acomodados nas casas das demais entidades já citadas, onde caso precisem de maior assistência ficarão até um ano, não trazendo nenhum tipo de custo para o paciente.

Já a parte pedagógica do projeto de acordo com a Pedagoga Lígia Oliveira, esta abrange toda a cobertura educacional com reforço escolar, aulas de informática, música e cidadania, pelo qual na seqüência é preparado o curriculum para encaminhamento para o mercado de trabalho daqueles que já estão recuperados.

Os empresários que quiserem participar desse Projeto poderão procurar a APAMI, tendo eles a garantia de ter todo o acompanhamento desse paciente recuperado inserido em sua empresa por toda a equipe da APAMI. O hospital está agendando um encontro com os empresários interessados neste projeto para o dia 04 de setembro, buscando sua melhor compreensão.

Por Josimar Cavalcanti.