Ceclin
jun 12, 2011 0 Comentário


Ansiedade eleitoral já toma conta de Moreno

RUMO A 2012 Os pré-candidatos já se movimentam

Gabriela Bezerra
[email protected]

A atual situação de Moreno, distante 28 quilômetros da capital, e o fato do prefeito Edvard Bernardo (PMDB) já estar no segundo mandato, têm criado um “cenário eleitoral ansioso” no município, como definiu o vereador e pré-candidato Ubirajara Paz (PT). É unânime, inclusive entre os aliados da prefeitura, que a gestão não está bem e esse desgaste tem contribuído para o surgimento de projetos alternativos para a cidade, todos empenhados em inserir Moreno no ritmo de desenvolvimento de Pernambuco.

O próprio prefeito parece reconhecer que a gestão não está exatamente como ele gostaria, ao se esquivar da equipe de reportagem, afirmando que “não é uma boa época para falar sobre a cidade, em função do momento de chuva e das temeridades climáticas”. Até o líder do governo na Câmara Municipal, Marcelo Bruno (PHS) – apontado como pré-candidato da prefeitura –, não avalia positivamente a gestão do aliado, classificada, por ele, como “regular”.

Também é consenso entre os pré-candidatos que Moreno é uma cidade de difícil administração, por depender quase que exclusivamente de repasses federais. “O IPTU da cidade não chega a 50 mil. Há um problema de infraestrutura muito grande. Não é culpa da administração municipal”, minimizou M

arcelo Bruno. O vice-prefeito, Nino de Enoque (PP), é outro que destaca essa dificuldade. Ele assume a pré-candidatura e também deve contar com o apoio do atual gestor. “Todo vice quer ser prefeito, mas ainda não conversei com Edvard sobre isso”, despistou.

Com o discurso de que só alguém “com experiência” poderá tirar Moreno dessa “situação arrasadora”, o ex-prefeito Vavá Rufino (PSDB) acena com a intenção de voltar à prefeitura da cidade. Ele governou o município em três ocasiões – 1989-1991, 1997-2000 e 2001-2004 – e, atualmente, atua como secretário de Planejamento de Jaboatão dos Guararapes. “Precisamos implantar uma prática diferente de gestão. Planejar o governo, avaliando como estamos, onde queremos chegar e qual o melhor caminho para isso”, afirmou. Contudo, a derrota sofrida nas urnas em 2008, quando teve quase metade dos votos do atual prefeito, pode ser um indicativo de que os morenenses não estão dispostos a conceder um novo mandato a Vavá.

Candidato do PSB se articula


RUMO A 2012 Sem assumir a pré-candidatura, Adilson Filho ataca o fato de em 30 anos Moreno ter sido governado por poucas pessoas

Adilson Gomes Filho (PSB), cotado para ser mais um postulante majoritário na cidade em 2012, acredita que a população quer uma mudança mais radical na gestão de Moreno. “De 30 anos para cá, o município foi administrado por apenas duas pessoas, praticamente. Observamos que há uma certa fadiga no morenense em relação a isso”, avaliou o socialista.

Apesar de Dilsinho – como é chamado – nunca ter disputado eleições, a sua candidatura contaria com um grande trunfo: o apoio do Palácio das Princesas. Gerente da Casa Civil estadual, ele já estaria se articulando para a disputa. Contudo, Dilsinho ainda não assume a pré-candidatura. “Não excluo o meu nome, mas não tenho a eleição como prioridade agora. O PSB está num processo de reestruturação e a decisão sobre candidatura é para 2012.”

Para os concorrente, que já se colocam como pré-candidatos, o discurso de Dilsinho não corresponde à realidade. A acusação se baseou na festa de aniversário dele, no início do mês. A celebração foi interpretada pelo vereador Marcelo Bruno (PHS) como “politicagem”.
A interpretação foi reiterada pelo também vereador Ubirajara Paz (PT): “Claro que a festa foi é uma provocação política. Não sejamos ingênuos. Ele não mora na cidade, festejou o aniversário aqui por quê?”, questionou.
(Jornal do Commercio).