Ceclin
nov 06, 2009 2 Comentários


André fala da Hemobrás e da Previdência no A VOZ DA VITÓRIA

Depois de visitar, no município de Goiana (30/10), o canteiro abandonado de obras da Hemobrás, empresa pública federal criada com o fim de produzir e distribuir hemoderivados mediante processamento de plasma sangüíneo e de seus produtos intermediários, André de Paula (DEM) denuncia o abandono: “é uma vergonha para todos”.
Afirmou em entrevista ao Programa A VOZ DA VITÓRIA pela Rádio Tabocas FM (98,5) em Vitória de Santo Antão, na manhã da quinta-feira (05).
Na oportunidade parabenizou o Programa pelos 02 anos de edição. “Faço o registro merecido pela prestação de serviços prestados a comunidade da Vitória de Santo Antão”, felicitou.

A Hemobrás foi autorizada pela Lei nº 10.792/04, mas até o momento a obra está parada. Se estivesse em funcionamento, o Brasil não só melhor atenderia à população hemofílica, mas se livraria dos escorchantes preços cobrados pelos poucos produtores estrangeiros.
Com promessa de investimentos de R$ 100 milhões, por parte do governo federal, André considera lamentável o desprezo do governo em relação à instalação da Hemobrás, empreendimento que viabilizaria a consolidação de um Pólo Farmoquímico na Região.

“Eu entendi que isso era um absurdo e me coloquei a disposição de procurar o presidente da Hemobrás para saber o que estava acontecendo. Para nossa felicidade o próprio presidente Lula acabou dando um puxão de orelha no Ministro Temporão, que garantiu que iria corrigir e acelerar a obra”, mencionou.

“Vou continuar cobrando junto ao Governo Federal e estou contactando meus companheiros de bancada para acompanhar esta obra. Até porque ela é importantíssima para o desenvolvimento do polo farmoquímico do Nordeste”, ressaltou.

Com relação a votação do aumento salarial para os Aposentados brasileiros, o Plenário da Câmara terminou adiando a votação da emenda do Senado ao Projeto de Lei 1/07, que garante a todos os benefícios mantidos pela Previdência Social o mesmo aumento concedido ao salário mínimo.

A regra também beneficia os 8,1 milhões de aposentados e pensionistas que ganham acima do mínimo. A proposta é a mais polêmica da semana e foi pautada pelo presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB).

A emenda recebeu parecer favorável da comissão especial que analisou a matéria. Desde junho, o governo tenta negociar com representantes dos aposentados uma proposta alternativa, mas até agora não houve acordo. Para o Executivo, o reajuste unificado pode comprometer as contas da Previdência nos próximos anos. O Dep. Federal André de Paula lamentou o ocorrido, visto que o Relator da matéria pediu vistas, já que este tem direito a esta prerrogativa. Portanto, adiando a votação para a próxima semana.

“Todo mundo diz que isso é prioridade. Porém, causou uma forte frustração entre os aposentados presentes. No fundo o governo descumpre compromissos, inclusive compromissos históricos do PT. Mostrando a total falta de apreço que tem o presidente Lula com os aposentados”, alfinetou.

André afirmou para Lissandro que acha difícil este projeto ser votado na próxima semana. Com relação ao déficit da Previdência Social, André afirmou que o Presidente Lula empurra com a barriga. “Não teve nestes sete anos capacidade de viabilizar a saúde econômica do Ministério e retirar suas perdas que são enormes. E mostra a falta de competência da gestão e o desrespeito absoluto com os aposentados”, finalizou.

por Lissandro Nascimento.