• Ceclin
ago 13, 2009 0 Comentário


Amupe: Prefeitos cobram mais dinheiro

O debate sobre a redução do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) não estava na pauta, mas terminou ganhando espaço na reunião realizada ontem na Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe). Os mais de 50 prefeitos presentes ao encontro, que contou com a participação de representantes de 100 municípios, voltaram a reclamar da redução dos recursos.

Segundo eles, a parcela de agosto chegou às prefeituras com um corte de 18%. Insatisfeitos, alguns gestores chegaram a sugerir uma paralisação (de um dia) em protesto à medida adotada pelo governo federal, tendo como justificativa a crise econômica internacional.

Apesar de reconhecer os problemas dos municípios, o presidente da Amupe e prefeito de Lajedo, João Antonio Dourado (PDT), ponderou que, mesmo com fim da crise e com o aquecimento da economia, as dificuldades vão continuar. “A questão é estrutural”, frisou. “Precisamos discutir a reforma tributária e os repasses de programas sociais, porque o que recebemos é menor do que investimos”, observou.

Sobre a paralisação, João Dourado afirmou que quando o assunto foi abordado na reunião de ontem parte do prefeitos já havia ido embora. “Até concordo com o protesto, mas temos que organizar direito, para ter a adesão de todo mundo. Não podemos fazer uma paralisação com o apoio de 50%. Então, temos que aprofundar o assunto”. Um novo encontro deve ser marcado, mas ainda não tem data definida.

O presidente da Amupe informou, também, que no último encontro dos prefeitos com o presidente Lula (PT), em Brasília, o petista prometeu que não iria aumentar os valores, mas assegurou que manteria os mesmos percentuais de 2008. “Ele está fazendo isso sempre que é possível. Então, não podemos dizer que Lula quebrou as prefeituras”, defendeu.

De acordo com dados da Confederação Nacional Municipalista, até agora o governo federal repassou para os municípios R$ 27,5 bilhões, quase um bilhão a menos que o valor repassado no mesmo período em 2008 (R$ 28,405 bilhões).
(Diário de Pernambuco).