• Ceclin
dez 09, 2010 0 Comentário


"Amor próprio evita contaminação", alerta Stevam Rios


O Mesa Redonda do Programa A VOZ DA VITÓRIA, transmitido pela Rádio Tabocas FM (98,5) em Vitória de Santo Antão, no início da tarde da sexta-feira (03), contou-se com a participação do Ginecologista e Obstetra Dr. Stevam Rios, e da Coordenadora do Centro de Testagem e Aconselhamento – CTA da Vitória, Lindalva Carneiro.
Ambos debateram os aspectos da Saúde da Mulher, bem como as DST’s/AIDS e as bactérias que hoje preocupam a medicina.

Na Semana Mundial de Prevenção à Aids, o apresentador Lissandro Nascimento, destacou a luta incansável do Dr. Stevam Rios, onde o mesmo vem ao longo dos anos desenvolvendo um projeto social muito interessante, prestando palestras em instituições públicas, sobre as doenças sexualmente transmissíveis.


Segundo Dr. Stevam Rios “este trabalho vem sendo desenvolvido há vários anos, em escolas, comunidades, igrejas, universidades e na imprensa; e com muito orgulho hoje se pode afirmar, que este acesso está sendo muito amplo, pois quando falamos de DTS’s, não falamos só do vírus HIV, mas sim também de outros tipos de infecções bacterianas, que se alojam no corpo e são transmissíveis através dos atos sexuais”, assinalou.


Lissandro Nascimento indaga ao Dr. Stevam Rios, como vem sendo desenvolvido ao longo dos anos no Brasil à prevenção do vírus HIV. “Quando o SUS foi criado em 1998, foi entendido que saúde é um direito de todos, pois esse desenvolvimento das políticas de prevenção começaram a se intensificar bastante; em 1980 eram contabilizados 6 meninos para cada menina infectada, especificamente pelo vírus HIV, entre adolescentes de 13 à 19 anos; e isto foi desenvolvido ao longo do tempo, onde os homossexuais começaram a se prevenir cada vez mais, e o grupo dos heterossexuais não. Achando que a doença era específica daquele grupo, já hoje comparado aquele tempo, encontramos uma incidência de 8 meninos para cada 10 meninas heteros. Percebemos que houve uma incidência do vírus HIV propagados nas mulheres, por motivo de muitos homens não gostarem de se prevenir usando preservativo. Temos que entender que as doenças sexualmente transmissíveis são doenças de comportamento e não de grupos sociais ou sexuais”.

De acordo com Lindalva Carneiro – Coordenadora do Centro de Testagem e Aconselhamento – CTA da Prefeitura da Vitória de Santo Antão, explica: “Hoje o Centro mantém uma grande parceria para estar realizando campanhas em todas as comunidades e entidades do Município, realizando palestras e coletas. No dia 1º de dezembro foi lançado o Plano de Feminilização de Combate a Aids, onde começamos com um seminário seguido por toda a semana. Sabemos que todas as gestantes em seu pré-natal vão as unidades de saúde da família, é pedido todos os exames que possa ser acompanhado por toda sua gestação, o qual fornecemos uma boa notícia de que já está implantado o teste rápido dentro do CTA, pois toda gestante que chega em nossa unidade
realiza o teste e sai com seu resultado no mesmo dia”.

Para Stevam Rios, o período de propagação de algum sintoma de uma DST é muito imprevisível, um período de evolução pode chegar durar até 6 meses, já o segundo estágio pode durar em torno de 5 anos. “É quando o paciente não apresenta nenhum sintoma, porém os testes já dão positivos, então não existe momento exato para uma incubação, pois existem fatores que podem desencadear uma situação de alguma propagação”, salientou.

Para o médico, aconteceu uma inversão no quadro de prevenção, onde as mulheres estão se contaminando mais e os homens menos. “A contaminação acontece por existir um grande vilão o “AMOR”, pois se não existe amor próprio, ou seja, se as mulheres se amassem mais, existiria menos contaminação”, comparou.



Apresentação: Lissandro Nascimento.
Produção: Jáder Siqueira, Emerson Lima.
Assistente: Apolo Oliveira.