• Ceclin
ago 19, 2016 0 Comentário


Ambulatório do Hospital João Murilo será fechado e serviços transferidos para Prefeitura de Vitória

Ambulatório Jodalvo Sampaio

Por Lissandro Nascimento

O Ambulatório de Especialidades Médicas do Hospital João Murilo de Oliveira, em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata, será fechado e seus serviços serão transferidos para a Policlínica aos cuidados da Prefeitura Municipal de Vitória.  A unidade, localizado anexo ao prédio central do hospital, funciona há quase quatro décadas e será transformada em emergência pediátrica, contudo, ainda não há prazo definitivo para esta transferência.

O Ambulatório Dr. Jodalvo Sampaio – do Hospital João Murilo atende cerca de mil atendimentos por mês e conta com 30 profissionais divididos nas especialidades de cardiologia, psicologia, psiquiatria, fisioterapia, nutrição, além de primeiros atendimentos para a infância. Apesar de os funcionários já estarem cientes do fechamento, nenhum comunicado foi afixado nas paredes do estabelecimento. “Não sabemos nem para onde seremos transferidos. A única coisa que nos falaram é que vamos trabalhar num prédio do Município”, afirmou um empregado, que não quis se identificar. “Não avisaram nada sobre onde o atendimento será continuado”, lamenta o costureiro Vitor Mendes, 42 anos, que acompanhava a mulher em consulta com o cardiologista.

A supervisão geral do Ambulatório informa que “os pacientes com agendamento já estão sendo informados de que haverá transferência das atividades, talvez a partir de outubro. Haverá ampla divulgação a partir do momento em que forem definidos os locais para onde serão remanejados os serviços”, adiantou Benedita Pessoa.

Apesar de os endereços dos postos de atendimento da rede municipal ainda não terem sido definidos, a grande dúvida é: com a transferência, será que a mesma estrutura continuará com o que é oferecida hoje?

Segundo a administração, após a transformação do espaço, o serviço de emergência será prioritário tanto para o geral quanto para o pediátrico, ambos serão ampliados no João Murilo, além de o prédio passar por readequação na recepção e consultórios. “Há uma resolução do Ministério da Saúde em deixar com que os municípios assumam os serviços ambulatoriais, enquanto que o Estado atenda as emergências médicas. Estamos começando um diálogo entre o Governo e a Prefeitura para termos um acordo quanto ao remanejamento destes serviços, porém ainda não há previsão para isso ocorrer”, afirmou Roberta Câmara, coordenadora geral do hospital, em entrevista ao Blog A Voz da Vitória.

O que vamos esperar trabalhando na estrutura da rede municipal de Saúde, pois todos sabem que os Postos de Saúde sob a gestão de Elias Lira não dispõem sequer de dipirona, é preocupante!”, desabafou um médico. Fotos: Pedro Silva / A Voz da Vitória

“O que vamos esperar trabalhando na estrutura da rede municipal de Saúde, pois todos sabem que os Postos de Saúde sob a gestão de Elias Lira não dispõem sequer de dipirona, é preocupante!”, desabafou um médico. Fotos: Pedro Silva / A Voz da Vitória

Administrado pelo Tricentenário, através das Organizações Sociais (OS’s), herança do governo Eduardo Campos e persistida pelo atual governador Paulo Câmara (PSB), os serviços oferecidos pelo João Murilo recebem toda demanda da região. O convênio entre o Estado e a Prefeitura será efetivado, pois representantes da Secretaria Estadual de Saúde já dialogam com o Prefeito Elias Lira (PSD) para absorver todos os serviços e os profissionais deste Ambulatório. “Os funcionários e profissionais continuarão pelo Estado, porém oferecendo seus serviços na estrutura da rede municipal de Saúde e vamos firmar as condições para que o Município continue com estes atendimentos”, explicou Roberta Câmara. A coordenadora afirmou ainda que não definiu quais projetos serão implementados no prédio ambulatorial. “Estamos avaliando os diversos projetos de atendimento que dispomos, pois diante da contingência financeira, vamos priorizar o que for mais viável”, concluiu.

Os servidores do Estado estão entre as 7h. às 13h no Ambulatório Dr. Jodalvo Sampaio, já os funcionários do Tricentenário lá estão das 07h. às 17h. O setor psiquiátrico é o que detém o maior volume de atendimentos. “Não há vagas para quem precisar deste atendimento. Só teremos vagas para consultas ao setor da psiquiatria a partir do próximo mês de outubro”, informou Benedita Pessoa, mostrando o livro de agendamentos, atestando a grande demanda por este tipo de serviço médico.

O maior receio pela transferência foi percebido por parte dos funcionários do Ambulatório, alguns atuando no espaço há muito tempo. “É a marca deste governo que quer jogar a responsabilidade da Saúde e da Educação nas mãos do setor privado. O que vamos esperar trabalhando na estrutura da rede municipal de Saúde, pois todos sabem que os Postos de Saúde sob a gestão de Elias Lira não dispõem sequer de dipirona, é preocupante!”, desabafou um médico, que pediu reservas do seu nome. Uma paciente que utiliza do serviço, Lucinda dos Prazeres, resumiu a apreensão pela transferência. “Penso que este não seria o melhor momento para transferir por conta das eleições, pois não sabemos quem será o próximo prefeito de Vitória. Se o Estado apenas transferir os serviços à Prefeitura, sem exigir maior compromisso e garantias, o que será de nós, pacientes?!”, refletiu ela.