Ceclin
set 09, 2015 0 Comentário


Alunos de Chã Grande sem transporte para Gravatá

ETEPais de alunos do município de Chã Grande estão tendo que custear o transporte diário para uma instituição pública de ensino de Gravatá, no Agreste, onde estudam inglês e espanhol, das 17h às 19h, três dias por semana por um período de dois anos e meio. Os estudantes são da zona rural da cidade e com a falta de transporte público correm o risco de abandonar as aulas do Programa Ganhe o Mundo, ofertado pela Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco.

Uma das mães afirma que o custo mensal do coletivo particular chega a R$ 80,00, entretanto, garante que não tem como arcar com as despesas, apesar que esta assistência pública esteja assegurada pela Resolução/CD/FNDE nº 45, de 20/11/2013. Ela ainda ressalta que no primeiro dia de aula poucos estudantes se dirigiram à Escola Técnica Estadual de Gravatá. A responsável pela denúncia procurou o Conselho Tutelar para notificar o caso e agora aguarda decisão do órgão junto à Secretaria responsável.

A pendenga ocorre desde o último dia 24 de agosto, segundo relatos e cópias dos ofícios encaminhados ao nosso WhatsApp A Voz da Vitória (81) 9 9992-9364, onde por sua vez, a Prefeitura de Chã Grande, através do Ofício nº 125/2015, assinado por Edjane Alves da Silva, Secretária Municipal de Educação, atestar que este recurso do FNDE já atende aquela unidade escolar em Gravatá em outros horários.

“Conceder transporte exclusivo para os indivíduos listados implicará em prejuízo para o transporte do alunado da zona rural, fator que impede a essa disponibilização”, descreve em resposta a cobrança da ETE de Gravatá, Edjane Silva. O Conselho Tutelar encaminhou o caso ao Promotor Paulo Diego, do MPPE.