• Ceclin
dez 22, 2010 4 Comentários


Agentes de Saúde decidem montar sindicato regional



Contemplando Vitória de Santo Antão e as cidades de Pombos e de Chã Grande, foi fundado nessa segunda-feira (20), o Sindicato Regional dos Agentes de Saúde (SINDRAS) que vai representar as categorias dos Agentes Comunitários de Saúde e os Agentes de Combate as Endemias, nestes três municípios.

Em uma ação pioneira em Pernambuco, a categoria decidiu no Clube Abanadores o Leão, em Vitória, ter sindicato próprio com caráter intermunicipal.

Em entrevista ao Programa A VOZ DA VITÓRIA, na manhã desta quarta-feira (22), na Tabocas FM (98,5), Luzia Rosa, conhecida por Milu, contou que a diretoria foi eleita com chapa única neste evento. Milu é a atual presidente da Associação dos Agentes Comunitários de Saúde em Vitória de Santo Antão, a qual foi eleita para também presidir o novo sindicato regional.
“Em parte temos necessidades semelhantes com os agentes dos outros dois municípios. A razão principal de termos construído o Sindras deve-se para que tenhamos mais força nas reivindicações, além de podermos dispor de uma estrutura ampla que garanta o êxito das lutas da categoria”, explicou Milu.
A presidente do Sindras mencionou que há desafios postos pela frente, na busca de melhores condições de trabalho e de salários, além de acompanhar mais de perto a implantação do Saúde Plena na região. Procurando intervir nas questões de interesse da categoria que estão sendo lançados a nível nacional. “Daremos apoio incondicional para que nossos direitos sejam respeitados e conquistados, pois esse Sindicato não será mais um, a entidade veio única e exclusivamente da categoria para a categoria”, salientou Milu.
Ressabiados com a atuação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do SINDACS, que estiveram presentes no Clube o Leão na segunda-feira para tentar convencer os agentes de saúde a não efetuarem a formação do sindicato regional, a categoria acabou retirando os representantes do local do evento após um barulhento incidente.
Alguns agentes de saúde argumentaram que não se sentiam representados por estes sindicatos pelo fato destes nunca terem dado a atenção necessária a estes municípios. “Por essa e outras razões montamos um sindicato regional”, afirmou um dos diretores.



por Lissandro Nascimento.