Ceclin
fev 21, 2011 4 Comentários


Agência do Ministério do Trabalho corre o risco de ser extinta em Vitória de Santo Antão

Sob o risco da cidade não poder mais contar com os serviços do Ministério do Trabalho e Emprego, a Associação Comercial (ACIAV), em conjunto com o Clube de Dirigentes Lojistas da Vitória – CDL e com o Conselho Regional de Contabilidade – CRC/secção Vitória, levaram ao conhecimento do Poder Público a necessidade em manter a Agência do Ministério funcionando em Vitória de Santo Antão.

Atualmente, a Agência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego de Vitória de Santo Antão, antiga sub-DRT, ocupa um pequeno imóvel alugado localizado à Rua Henrique Dias – nº28, no Bairro da Mangueira, dispondo apenas de um funcionário além do chefe Sr. Ednaldo Ferreira da Silva, que é responsável pela referida agência.

No momento, o Sr.Ednaldo encontra-se em gozo de férias, mas, os serviços prestados na agência são basicamente: emissão de CTPS, encaminhamento para o pagamento do Seguro Desemprego e algumas homologações trabalhistas. “Tendo um local com instalações mais adequadas, poderíamos ter a ampliação do quadro de funcionários, bem como dos serviços, como já ocorre em outras regiões”, diz a nota destas entidades com cópias enviadas à Prefeitura e a Câmara Municipal.

Há vários anos, desde 2005, o Ministério do Trabalho e Emprego tem promovido a reestruturação das unidades da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Pernambuco, antiga DRT, no que diz respeito ao atendimento ao público e infra estrutura.
Segundo a ACIAV e o CDL, de acordo com as informações repassadas verbalmente pelo Sr. André Luz Negromonte, Superintendente Regional do Trabalho e Emprego em Pernambuco, Vitória de Santo Antão corre o risco de perder esta Agência Regional, a qualquer momento, pelo fato de não funcionar em prédio próprio.

Ainda segundo André Luz, um terreno com no mínimo 1.200 m² e situado no máximo a 1,5 km e meio do Centro da cidade, para a construção da referida agência, a princípio, seria o suficiente para colaborar na manutenção da mesma em nossa cidade.

“Podemos imaginar o inconveniente para a população e para o comércio, em geral, caso todas as pessoas que necessitassem tirar uma carteira de trabalho, dar entrada num seguro desemprego ou fazer alguma homologação de rescisão de empregado de algumas categorias tivessem que se deslocar para cidades próximas como Gravatá, Carpina, Jaboatão ou Recife para fazê-lo”, salienta a nota. Que considera que a perda desta Agência Regional do M.T.E. caracterizará um retrocesso para a cidade.


As entidades que representam os empresários e comerciantes da Vitória de Santo Antão, solicitam por parte da Prefeitura local, bem como à Câmara dos Vereadores, a doação de um imóvel ou um terreno, o mais breve possível, para que seja instalada uma nova Agência Regional capaz de atender às necessidades do crescimento do Município.

com informações da Assessoria.


LEIA MAIS: