Ceclin
ago 17, 2022 0 Comentário


Advogado é expulso da Delegacia de Vitória e OAB-PE promove desagravo

O advogado Bruno de Pádua Branco da Silva foi impossibilitado de ter acesso aos autos do flagrante de seu cliente. Foto: Yacy Ribeiro/Divulgação

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Pernambuco realizou na manhã desta quarta-feira (17.08) desagravo público em favor do advogado Bruno de Pádua Branco da Silva. O ato foi realizado em frente à Delegacia da Polícia Civil de Vitória de Santo Antão, na Mata Sul. “A OAB Pernambuco não vai pestanejar um único instante em dar apoio ao colega no exercício das suas atividades. Estamos ao lado dos colegas em momentos como esse para que ele possa exercer o seu trabalho de forma plena e livre”, asseverou o presidente da OAB-PE, Fernando Ribeiro Lins.

O advogado Bruno de Pádua Branco da Silva foi impossibilitado de ter acesso aos autos do flagrante de seu cliente. Ele foi expulso da sala da Delegacia de Polícia Civil de Vitória de Santo Antão por um policial civil. Além disso, na ocasião, sofreu tentativas de agressão física e intimidações verbais.

Além de Fernando Ribeiro Lins, estiveram presentes no desagravo a vice-presidente da OAB-PE, Ingrid Zanella; o coordenador estadual de defesa das prerrogativas, Carlos Barros; o diretor-geral da Escola Superior de Advocacia de Pernambuco (ESA-PE), Leonardo Moreira; o presidente da OAB Vitória de Santo Antão, Washintgon Amorim; o presidente e a vice-presidente da Comissão de Defesa, Assistência e Prerrogativas (CDAP), Yuri Herculano e Tássia Perucci. Também presentes, a presidente da Comissão de Acompanhamento do Sistema Penitenciário e das Execuções Penais, Nary Gonçalves; e o presidente da Subcomissão de Estudos Sobre o Tribunal do Júri, Rawlinson Ferraz.

Confira as frases do desagravo proferidas nesta quarta (17) em Vitória de Santo Antão:

Fernando Ribeiro Lins, presidente da OAB Pernambuco
“Estamos fortalecendo a nossa Comissão de Prerrogativas para que todo advogado, onde quer que ele se encontre, no Grande Recife ou no interior do Estado, se sinta protegido. O ato de hoje é uma reafirmação das prerrogativas da advocacia, da mesma forma que o Conselho Federal tem fortalecido atos como esse para que o colega advogado não se sinta violado e desprotegido. A OAB não vai permitir isso”.

Ingrid Zanella, vice-presidente da OAB Pernambuco
“Hoje é Bruno. Hoje Bruno representa 40 mil advogados e advogadas de Pernambuco. E hoje, os 40 mil advogados estão aqui dizendo ‘Bruno, não abaixaremos a cabeça’. A advocacia é indispensável. Ninguém coloca rédea em advogado e advogada em Pernambuco. Precisamos das nossas prerrogativas garantidas”.

Carlos Barros, coordenador estadual de defesa das prerrogativas

“Esse ato tem por objetivo reafirmar a dignidade profissional da advocacia, de Bruno de Pádua, que estava aqui exercendo o seu honroso múnus. Nenhum advogado e advogada terá as suas prerrogativas violadas neste Estado de Pernambuco sem que a OAB esteja à frente desta luta e desse embate. Ninguém soltará a mão de ninguém. Sigamos firmes”.

Yuri Herculano, presidente da Comissão de Defesa, Assistência e Prerrogativas

“O livre exercício da advocacia deve ser respeitado. Esse ato é de acolhimento para mostrar ao nosso colega Bruno Branco que a instituição e os 40 mil advogados pernambucanos não deixam o colega só”.

Bruno Branco, advogado desagravado

“O que foi ferido foi a advocacia nacional. Existe uma previsão constitucional do nosso trabalho. Existe o nosso Estatuto que prevê os nossos direitos”.