Ceclin
Maio 19, 2010 0 Comentário


Acusado de matar ex no RJ é preso em Vitória de Santo Antão

Publicado em 19.05.2010

Policiais do Rio prenderam em Vitória de Santo Antão o pernambucano Rafael da Silva Lima, suspeito de matar a ex-mulher e colocar o corpo em mala. Ação, sem conhecimento da polícia local, gerou mal-estar

Wagner Sarmento

A Polícia Civil do Rio prendeu ontem em Pernambuco o suspeito de matar a ex-mulher, a paraibana Íris Bezerra de Freitas, 21 anos, cujo corpo foi encontrado dentro de uma mala em um canal no Leblon, na Zona Sul carioca, no último dia 8. A prisão de Rafael da Silva Lima, 27, causou um mal-estar entre instituições.
A Polícia Civil de Pernambuco alega que não foi informada sobre a busca e criticou a conduta do órgão fluminense. Rafael teve a prisão decretada pela Justiça no dia 9 e, desde então, estava foragido.

A prisão aconteceu no município de Vitória de Santo Antão, Zona da Mata. Um agente da delegacia da cidade confirmou a informação. Ele foi levado de avião, à tarde, para o Rio. A Polícia Federal (PF) reforçou que agentes fluminenses passaram pelo Aeroporto Internacional dos Guararapes, no Recife. Rafael será apresentado amanhã. A Divisão de Homicídios do Rio não deu maiores detalhes.

Na última quarta-feira (12), o delegado Francisco Caúla, do município vizinho de Chã de Alegria, chegou a realizar diligências na cidade após denúncia anônima de que o suspeito estaria lá. Na ocasião, Rafael não foi encontrado. A dona de casa Maria Marinete da Silva Lima, 56, mãe do acusado, prestou depoimento a Caúla, mas negou saber do paradeiro do filho.

Francisco Caúla disse que soube da informação de que o acusado estaria em Vitória e que havia programado incursões hoje ao município. “Rafael tem uma tia em Chã de Alegria e outra em Vitória”, contou.

A Polícia Civil fluminense agiu sem o conhecimento do órgão equivalente local. O diretor-geral de Operações da Polícia Civil pernambucana, Osvaldo Moraes, classificou a atitude como antiética. Segundo ele, a instituição deveria ter solicitado autorização à Secretaria de Defesa Social (SDS) para atuar em Pernambuco. Moraes lembrou que somente a Polícia Federal (PF) tem competência para agir em outros Estado sem precisar de aval.

“Não fomos procurados. Isso é deselegante. Eles tinham que ter falado com o secretário Wilson Damázio para informar sobre a estada do acusado e pedir autorização. Eles são policiais civis do Rio, e não daqui. Não podem entrar armados. É uma questão de ética”, criticou. “É como um cara entrar na tua casa sem pedir licença, tirar uma coisa e ir embora sem falar nada”, comparou.

(Jornal do Commercio).


Família de Íris afirma estar mais aliviada

Publicado em 19.05.2010

Alívio. É a palavra que define o sentimento dos familiares de Íris Bezerra de Freitas diante da prisão de Rafael da Silva Lima. “Agora me sinto mais aliviada. Sei que não terei minha filha de volta, mas pelo menos esse monstro não está solto. Espero que a Justiça faça ele pagar por esse crime na cadeia até o último dia da vida dele.
Na prisão, ele não vai fazer maldade com outra inocente. Isso me conforta”, declarou por telefone, do Rio, a agente de saúde Maria da Guia Bezerra de Freitas, 53 anos, mãe adotiva da vítima.

A estudante Maria Aparecida Bezerra de Freitas, 18, irmã adotiva de Íris, também comentou a prisão. “Fico mais aliviada. Uma vizinha me ligou para dar notícia. Agora é esperar que a Justiça faça sua parte e que ele pague pelo que fez”, afirmou ela, do município paraibano de Fagundes, a 120 quilômetros de João Pessoa.
Aparecida disse que nunca perdeu a esperança de ver o acusado preso. “Houve até boato de que ele tinha sido morto. Mas a gente acreditava que ele seria preso”, afirmou ela.

(Jornal do Commercio).


Suspeito de colocar corpo da ex em mala e jogar fora: ‘Fui eu’