Ceclin
Maio 04, 2011 0 Comentário


Acesso a Vitória de Santo Antão continua com dificuldades

Acesso mais complicado encontra-se na Ponte do Areal, população do entorno ilhada.



As chuvas persistem em toda a região e o Rio Tapacurá continua com alto volume de águas no entorno do Município da Vitória de Santo Antão. Esta quarta-feira (04) foi de monitoramento por parte da Prefeitura Municipal, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Codecir e SAMU.
O acesso a Vitória de Santo Antão pela “Ponte do Petrobrás”, conhecida como ponte do Gaúcho, no Bairro de Redenção, está interditada parcialmente pela Codecir. Só motocicletas conseguem passar com facilidade, pois as águas do rio insistem em confrontar com a ponte, a qual passa por avaliação, devido a sua base lateral estar parcialmente danificada.
Com o alto nível do rio, a Ponte do Dique, situada no Bairro do Lídia Queiroz, que é bastante movimentada ligando quatro localidades populosas da área urbana, se transita com lentidão. Cena agravante se repetiu nesta quarta-feira com a Ponte do Areal que liga três Bairros, ilhando mais uma vez a população que depende dela para transitar conforme foto acima.
Polo Universitário da região, Vitória de Santo Antão paralisa as atividades escolares, tanto a FAINTVISA, FACOL e o Centro Acadêmico da UFPE, além de algumas unidades escolares da rede estadual e municipal, suspenderam suas aulas nesta quarta-feira. Com relação a quinta-feira não se definiu ainda a volta, tudo vai depender dos acessos e da vazão das águas.


No início da noite desta quarta, a Av. Mariana Amália e a 15 de Novembro ficaram alagadas no Centro Comercial da cidade, as águas só vieram baixar depois de uma hora. Ainda nesta noite, registrou-se alagamentos na Rua da Madeira (Centro), parte baixa dos Ferreiros, início dos Bairros do Mário Bezerra, Amparo e Jardim Ipiranga, a comunidade de Natuba encontra-se ilhada, além das águas terem tomado mais uma vez o Parque de Eventos Otoni Rodrigues, no Bairro da Mangueira.

A previsão do tempo para esta madrugada é de mais chuvas.


por Lissandro Nascimento,
com Josimar Cavalcanti.



MATÉRIA VINCULADA