Ceclin
Maio 30, 2011 2 Comentários


Abusos contra crianças e adolescentes serão denunciados nesta terça em Vitória de Santo Antão

Acontece nesta terça-feira (dia 31) a 8ª Passeata de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, às 8h, com saída da Praça do Fórum, em Vitória.

A data de 18 de maio representa uma referência para às minorias no Brasil, pois é nele que se registra o Dia Nacional de Combate à Violência Contra Crianças e Adolescentes, temática um tanto polêmica para a sociedade brasileira que ainda sofre com cenas de violência perante a infância de milhares de pequenos cidadãos brasileiros. Para refletir a Equipe do A VOZ DA VITÓRIA trouxe o debate para o Programa de Rádio que já é tradicional, o qual vai ao AR todas as sextas-feira na Rádio Tabocas FM (98,5), para conhecer o que se têm desenvolvido em defesa das crianças vitorienses.


O Programa Mesa Redonda foi buscar todos aqueles que mais entendem do assunto e trabalham diariamente contra os atos covardes e cruéis daqueles que farão o futuro de nossa sociedade. Em debate nos estúdios da Tabocas FM os representantes do Conselho Tutelar da Vitória de Santo Antão: Joselito Elias, Armando Macêdo e Dona Deia, além do representante do COMDICA – José Silveira e o Professor de Direito da Criança e do Adolescente – Walter Lisboa.


De acordo com Silveira, hoje um dos maiores carros chefes que norteiam essa perca dos valores morais da família e corroboram para essa cultura da não educação é exatamente o baixo índice de escolaridade do povo brasileiro que culmina também numa total falta de boa informação sobre o sexo, pois o que já existe são informações que só ajudam na destruição da imagem do cidadão.
“Essas campanhas que banalizam o sexo e incentivam nossos jovens a praticá-lo sem qualquer preparo psicológico para tal, nos faz muitas vezes seres selvagens diante do ato covarde que é o abuso a uma criança. Precisamos de punições que eduquem e não somente tire a liberdade dos criminosos para que os mesmos reflitam sobre a importância de uma sociedade melhor”, defendeu Silveira.

O Professor Walter Lisboa complementa informando que o Brasil é um País rico em leis, reconhecidas por suas excelências. “Mas infelizmente não cumpridas pela falta de preparo dos cidadãos e do poder público. Por exemplo, na Constituição que já têm vinte e dois anos, é a lei máxima que diz que toda criança têm a direito à escola de qualidade e próximo a sua residência e que é dever da família, do Estado e da sociedade proteger, garantir saúde e educação… Isso não acontece!”, lamentou.


Segundo ele é um absurdo pensar que registra-se dados alarmantes no País e que em nenhuma guerra registrou-se estatísticas tão monstruosas quando o que se ver no Brasil. “Nos últimos oito anos o Disque Denúncia recebeu 52 mil casos de violência sexual contra crianças e adolescentes, sendo esse apenas os casos registrados quando nós sabemos que milhares deles são abafados pela ignorância das pessoas que acham que não denunciar é a melhor coisa a se fazer em defesa da identidade do criminoso, inclusive na maioria das vezes é alguém da família”, frisou.
“É por isso que continuaremos a ver abusos, violências, mortes, agressões entre famílias por que muitas das vezes é cultuada na sociedade uma moda de que as leis são arcaicas, retrógradas e que por isso elas não impõem a devida severidade perante todos”, salientou.

Destacou como fato o exemplo da nova lei do estupro que trata o beijo roubado como abuso sexual e a sociedade têm reclamado, alegando que ela irá punir o cidadão de bem. “Neste caso começo a questionar: será que a sociedade estar de fato preparada para leis boas? Ou está apenas querendo fazer de conta?”, indaga Lisboa.


“As crianças brasileiras vivem como bolinhas de tênis sendo jogadas de um lado para o outro, quando a família se nega a cumprir com sua responsabilidade que é de educar desde os primeiros passos de suas crianças, jogam essa tarefa para os Conselhos Tutelares, para as escolas e para o Estado, que nem se quer estão preparados nem existem para isso. Então vemos nossas crianças tornarem-se verdadeiras criaturas irracionais, desumanas, quando que por banalidade cometem crimes absurdos, escravizadas pelas drogas e sob o poder do mundo do crime organizado”, lamentou.


Joselito adentra no debate para lembrar de que a juventude de nossa cidade tem caído cada vez mais no mundo das drogas e no poder dos criminosos quando a mesma não desfruta de meios de ocupação úteis e atrativas.
“Pois não existe em Vitória de Santo Antão nenhuma forma de entretenimento, o que os fazem levar uma vida ociosa deixando-os expostos nas praças, nos bares, nas esquinas, quando nossas escolas já deveriam estar preparadas com planos de educação integral e o poder público garantir a todos meios de entretenimento saudáveis. Pois é absurdo ver que nossas praças que deveriam ser locais de encontro entre amigos e famílias servir na verdade como boca de fumo, reforçando essa cultura do não ter o que fazer. Lá estão nossos jovens expostos a tudo o que não presta”, sentenciou Joselito.

“O que se ver de fato é um total despreparo do poder público de todas as esferas para garantir lazer, e uma ocupação de qualidade para os nossos jovens”, defende.

Armando Macedo reflete historicamente o que aconteceu de tão importante para o dia dezoito de Maio viesse a ser escolhido para marcar o Dia Nacional dessa luta tão árdua que vivemos há décadas em nosso País. Lembra de que foi um ato impune que ocorreu em 1973 em Vitória do Espírito Santo onde houve um crime bárbaro que chocou todo o Brasil e ficou conhecido como o “Crime de Aracelli”.

Foi uma criança brasileira assassinada violentamente em 18 de maio de 1973. Seu corpo foi encontrado somente seis dias depois, desfigurado e com marcas de abuso sexual. Vinte e sete anos depois, a data de sua morte foi transformada no Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes pelo Congresso Nacional.

“Vitória hoje passa por uma situação alarmante, pois aqui se registra diversos casos de abuso sexual, pensando nisso e eu suplico ao poder público maior atenção para nossas crianças. E que essa atenção se estenda não apenas para a criança e sim para toda a sociedade. Nesse sentido organizamos para a próxima terça-feira (31), saindo às 8 horas da manhã da Praça do Fórum e indo até a Câmara de Vereadores da Vitória, para a 8ª Passeata de Conscientização da Sociedade, lembrando ao Poder Público que precisamos dar mais atenção aos nossos jovens Toda a população vitoriense sinta-se convidada a participar conosco desse ato”, reforçou Armando.


Armando lembrou quanto a importância de denunciar os casos de abuso e violência contra crianças e adolescentes e informa que isso pode ser feito pelos telefones:


Conselho Tutelar de Vitória de Santo Antão

(81) 3523-1425


Batalhão da Polícia de Militar da Vitória de Santo Antão

(81) 3526-8901


Disque 100, Direitos Humanos que funciona 24 horas por dia.



Apresentação: Lissandro Nascimento.
Produção: Jader Siqueira, Josimar Cavalcanti, Emerson Lima.