Ceclin
set 12, 2011 1 Comentário


A Volta dos Que não Foram

Não foram honestos com as promessas de campanha.

Não foram competentes no exercício da função para que foram eleitos.

Não convenceram seus eleitores que o voto recebido valeu a pena.

Agora resta voltar com carga total. Começar a reaproximação necessária depois de longo e estratégico afastamento do povão, dos eleitores.

Freqüentar missas, cultos, sessões espíritas, acompanhar enterros, ir a jogos de futebol, batizados, casamentos, aniversários sempre distribuindo farto e simpático sorriso, abraços e o infalível aperto de mão acompanhado de tapinha nas costas.

É imprescindível, fazer circular por ruas e becos ambulância onde esteja estampado bem grande o nome do candidato e em letras menores a informação: “adquirida com recursos próprios”.

Faz parte, caminhar pela feira falando com todos, pagar três cervejas para os freqüentadores de botecos e botequins de ponta de ruas, distribuir “padrão” de camisas para time de peladeiros, patrocinar ônibus que leve caravanas de romeiros para “São Severino dos Ramos”, moradores de comunidades para praia de Gaibú ou Rio Doce. Para mostrar serviço encaminhar diariamente uma ruma de doentes para o Hospital das Clínicas e Hospital de Santo Amaro (RMR).

Cada um com perfil definido: tem o que arruma emprego, outro dá remédio, outro consegue operação, outro solta presos, outro fornece tijolo, telhas, até cimento, tudo com muita competência e agilidade. Tem os que prometem, prometem e só prometem, mas com tanta autoridade e competência que assim mesmo convencem.

Todos são perfeitamente admiráveis no seu ofício e jogam o jogo que a platéia aceita tranquilamente para recompensar com seu voto.

Trânsito caótico, ruas esburacadas, praças interditadas, obras inacabadas, rodovias de acesso com crateras mortíferas, calçadas invadidas por barracas, tabuleiros e carros de mão com frutas e legumes, são detalhes que ninguém põe a mão para não se queimar com eleitores.

Estamos em fase de INTERNACIONALIZAÇÃO: o comércio é uma verdadeira Babilônia, as ruas, Saigon após bombardeio, quando chove parece Veneza, o tráfico de drogas lembra a Colômbia, o transito parece Bangaladesh, o serviço público uma verdadeira África, a organização geral mais parece a China.

Logo terão início os encontros cívicos (comícios) oportunidade onde serão renovadas as promessas de trabalhar pela saúde, educação, segurança e mais empregos para o povo, assim, resta-nos preparar os aplausos e vivas aos nossos queridos e valorosos representantes. Vamos trazê-los de volta ?

VIVA O POVO BRASILEIRO !

por Valdemiro Cruz,

Colunista do Blog.