Ceclin
jul 06, 2017 0 Comentário


A Tigre deve gerar mais de 300 empregos na cidade de Escada

A Tigre, que desde 2009 está instalada em Escada, será a empresa que vai contratar o maior número de pessoas: ao todo serão 346 novas vagas. Foto: Alcione Ferreira/Arquivo

A Tigre, que desde 2009 está instalada em Escada, será a empresa que vai contratar o maior número de pessoas: ao todo serão 346 novas vagas. Foto: Alcione Ferreira/Arquivo

Até 2019, mercado pernambucano deve abrir 930 novas vagas de trabalho. As vagas estão vinculadas a 29 projetos de incetivos fiscais a empresas que têm interesse de se implantar ou ampliar a operação no Estado

Por Sávio Gabriel – Diario de Pernambuco

O mercado de trabalho pernambucano receberá um incremento de 930 novas vagas nos próximos dois anos. O número foi divulgado na manhã desta quinta-feira (06), durante 98ª reunião do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic). No encontro, foram aprovados 29 projetos de concessão de incentivos fiscais para empresas interessadas em se implantar no Estado ou ampliar as atividades já existentes. A aprovação dos projetos deve gerar vagas em 19 municípios, sendo 15 na Região Metropolitana e 14 no interior.

A maior parte das vagas será destinada ao interior: serão 792 postos criados. A Região Metropolitana vai absorver 138 vagas. Somados, os investimentos em implantação e ampliação representam um aporte de R$ 69,1 milhões na economia pernambucana. “Cada empresa tem seu prazo específico. A construção de uma fábrica, por exemplo, não passa de dois anos. (A geração de empregos) varia de cada caso, mas dois anos seria um limite”, disse o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), Leonardo Cerquinho.

Dos 29 projetos aprovados, 17 são de indústrias, oito de importadoras e quatro de centrais de distribuição.

A empresa que deve empregar o maior número de pessoas é a Tigre, que está investindo R$ 16,8 milhões na ampliação da fábrica no município de Escada, na Zona da Mata Sul: serão 346 vagas geradas. Em seguida, vem a indústria de laticínio Leta, que vai empregar 115 pessoas após a implantação de sua fábrica em Brejão, no Agreste. A terceira maior empregadora será a D’Campo Comércio e Fabricação de Produtos Domissanitários, que vai ampliar a fábrica sediada em Paudalho. A empresa, que atua na área de higiene e limpeza, deve abrir 86 novas vagas.

Os municípios contemplados pelos projetos serão: Goiana, Glória do Goitá, São Bento do Una, Paudalho, Jaboatão dos Guararapes, Recife, Gravatá, Garanhuns, Brejão, Tabira, Petrolina, Caruaru, Paulista, Paranatama, Escada, Vitória de Santo Antão, Ipojuca, Olinda e Cabo de Santo Agostinho.

Apesar do número significativo, houve uma redução nos investimentos e na geração de empregos, quando comparada à última reunião do Condic, ocorrida em abril. Na ocasião, foram aprovados 42 projetos, que somavam investimentos de R$ 201,2 milhões e com uma previsão de gerar 1030 empregos.