• Ceclin
ago 15, 2008 3 Comentários


A Maçonaria na história pela Voz da Vitória

“A história da Maçonaria no Brasil”, foi o tema discutido pela Mesa Redonda do Programa A VOZ DA VITORIA pela Rádio Tabocas FM (98.5) nesta sexta-feira (15), logo após ao meio-dia. Como parte de sua essência, o programa abre espaços para todos os setores da comunidade e desta vez contamos com a honrosa participação dos representantes das duas principais instituições dos Maçons na cidade. Esteve na Mesa Redonda o Venerável Mestre, Ubirajara Carneiro Júnior, da Segredo e Verdade VI – Loja 851, além dos representantes da Segredo e Verdade VI – Loja 53, os professores José Augusto e Almílcar Oliveira.

A Maçonaria foi criada com a união dos três primeiros mestres: Salomão, Hiran Habib e Hiran de Tiro. Quando Salomão assume o reino de Israel, resolve construir um grande Templo, pelo qual até hoje todo Templo Maçônico se espelha no Templo de Salomão.

Em meados do século XVIII, a Maçonaria chega ao Brasil. Quando no Rio de Janeiro em 1815 é fundada a Loja Comércio e Artes. Porém em 30 de março de 1818 foram proibidas as sociedades secretas. Em 1821 a agitação pela Independência cria um clima que possibilita a reativação da Ordem no Rio. Em 1822 as Lojas Comércio e Artes, União e Tranquilidade e a Esperança de Niterói criam o Grande Oriente do Brasil. Foi a síntese relatada por Ubirajara Júnior, que também é Diretor Geral da FAINTVISA e dirige a Loja mais antiga da região da Vitória de Santo Antão, com 102 anos.

Comemorado o dia do Maçom em 20 de agosto, Ubirajara Júnior explicou que esta não se trata da real data, pois o calendário a que se refere o dia vem do gregoriano. O sr. Amílcar Oliveira esclareceu os reais objetivos da filosofia Maçom e destacou a quebra de alguns tabus existentes ainda na sociedade que valorizam o preconceito relativo a instituição Maçônica. O Prof. José Augusto destacou entre outros os principais personagens históricos brasileiros declaradamente Maçons, a exemplo de José Bonifácio considerado importante para a Independência do Brasil, e o outro D. Pedro I que recebeu influência do Bonifácio, seu tutor. Além de Duque de Caxias. Questionado sobre a postura destes personagens históricos, pelo que a Maçonaria preza pelo indivíduo com caráter ilibado, Amílcar esclareceu: “Não devemos esquecer que lidamos com seres humanos e em qualquer instituição há de se questionar algumas posturas. Não aceitamos pessoas que sejam ateus ou de caráter social vergonhoso. Prezamos pela caridade humana sem propaganda”, explicou. Destacaram que apesar dos equívocos de Pedro I ele foi o artífice importante para a unicidade nacional. Há comprovações que atestam que Tiradentes tenha sido também Maçom.

Levantando os principais acontecimentos recentes da história da política brasileira, o professor de História, Jason Ayres, perguntou como a Maçonaria influenciou na libertação dos escravos, na fase Getúlio Vargas e na negra fase da ditadura militar no País. “Getúlio perseguiu a todos os setores sociais, inclusive a Maçonaria, pelo seu caráter facista, apesar do pai dele ter sido maçom”, pontuou Ubirajar Jr. Estes explicaram o motivo da Maçonaria ser rodeada por mistérios e segredos. “Não há nada demais nisso. Foi lenda criada. Devido as perseguições históricas sofridas tivemos que nos resguardar e nos comunicavámos por códigos e a prática de rituais”, assinalaram. “A palavra ‘inefibile‘, quer dizer: não pode ser pronunciado! Vale frisar que usamos a bíblia em nossas reuniões e cultuamos a essência do homem que é Deus”, frisou Ubirajara Júnior. Eles encerraram esclarecendo que apesar de resquícios da lenda popular pejorativas em torno dos maçons afirma: “Só tenho uma coisa a dizer. Perdão para estes leigos. Procure se informar, hoje as informações a respeito de nossa irmandade está disponível em todo lugar”, concluiu. Eles agradeceram a oportunidade e elogiaram o Programa por ter tomado esta iniciativa. “Nunca vimos um meio de comunicação fazer isto em Vitória como vocês estão fazendo”, disse José Augusto.
VEJA AS FOTOS NO SLIDE

Apresentação: Lissandro Nascimento.
Produção: Jáder Siqueira.
Equipe: Gilberto Júnior, Genilda Alves e Felipe França.
Colaboração: Vandson Cássio, Jason Ayres e Fernando Araújo.