• Ceclin
nov 26, 2008 4 Comentários


3ª via na disputa da Assembléia

Publicado em 26.11.2008

Jorge Cavalcanti

Diante do impasse entre os deputados estaduais João Fernando Coutinho e Aglaílson Júnior (ambos do PSB) para a primeira-secretaria da Assembléia Legislativa, um grupo de parlamentares – já apelidado na Casa de G-20 – começou a discutir a possibilidade de lançar uma “terceira via” para o cargo. Nos bastidores, o nome apontado é o do deputado André Campos (PT).

O grupo se reuniu, ontem à noite, no escritório político do petista, no Bairro de Boa Viagem. Pela manhã, a líder do PSB na Casa, Carla Lapa, enviou um documento ao presidente Guilherme Uchoa (PDT), em que oficializa Aglaílson como candidato da legenda. A iniciativa radicalizou ainda mais o embate interno, pois João Fernando é o atual primeiro-secretário e quer se reconduzido para mais um biênio.
O encontro do G-20 – uma referência ao grupo de países desenvolvidos e emergentes – foi articulado para ocorrer em sigilo, só com a presença dos que foram convidados. Os parlamentares não permitiram sequer fotografias da reunião. Pelo menos 11 deputados estiveram presentes, entre eles o líder do governo, Isaltino Nascimento (PT).

Mas o petista saiu logo no início. O grupo escalou André e o deputado José Alves (PDT) como porta-vozes. André admitiu que a reunião era para tratar da eleição da mesa diretora, agendada para a próxima segunda-feira. “Tem gente que tem simpatia por Aglaílson, tem gente que tem por João Fernando e tem gente que não simpatiza com nenhum dos dois”, disse André.
Ao ser indagado se o encontro poderia apontar para uma terceira via, ele foi incisivo: “pode”. José Alves chegou a apontar André como uma opção.
ESPAÇO PRIVILEGIADO
O primeiro-secretário é o responsável por administrar todas as finanças da Assembléia, considerado o homem que detém a chave do cofre do Legislativo. Para o próximo ano, a expectativa é que a Casa tenha um orçamento de cerca de R$ 241 milhões. A quantia é comparada à arrecadação anual do município de Olinda (Grande Recife).
Diante do prestígio e poder do cargo, o governador Eduardo Campos (PSB) não simpatiza com a idéia de um nome de outro partido arrematar a função e reduzir o espaço da sua legenda no Legislativo. Avalia que o PT já ocupa a liderança do governo e que possui uma bancada de cinco deputados, dois a menos do que a do PSB.
Após ser informado na noite de ontem da reunião do G-20 pelo líder do governo, o Palácio do Campo das Princesas emitiu sinais de que não avalizaria um deputado de outro partido na primeira-secretaria. Para o governo, André – que inicialmente estava cotado para a terceira-secretaria – poderia até ocupar a presidência da Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante.
Ao ser informada, também à noite, da reunião do G-20, Carla Lapa disse estar ciente de que o impasse no PSB poderia implicar uma perda de espaço do partido, mas preferiu acreditar que os colegas iriam seguir a orientação partidária. Do PSB, apenas João Fernando não assinou o ofício de Lapa.
(Jornal do Commercio).