Ceclin
abr 12, 2022 0 Comentário


12 de abril: Dia do Obstetra 

Dr. Stevam Rios é Ginecologista e Obstetra do Centro Clínico da Vitória de Santo Antão (CECLIN)

Neste dia, homenageamos este profissional e aproveitamos para lembrar a importância do pré-natal e dos principais exames nesse período tão importante para a mãe e para o bebê

Em 12 de abril é celebrado o Dia do Obstetra, profissional responsável por monitorar a gestação e conduzir o pré-natal, que nada mais é do que o acompanhamento da gravidez por meio de consultas e exames específicos. Mas, afinal, você sabe qual é a importância do pré-natal? Confira as principais informações e não deixe de consultar um médico obstetra, se possível, assim que surgir a ideia de aumentar a família, ou logo que a gravidez for descoberta.

Qual é a importância do pré-natal?

É neste acompanhamento que a gestante tem conhecimento sobre a sua saúde e a do bebê ao longo da gravidez. Segundo o Dr. Stevam Rios, médico ginecologista e obstetra, responsável pelo Centro Clínico da Vitória de Santo Antão (CECLIN), na Zona da Mata pernambucana, também é o momento de ser orientada pelo obstetra e por uma equipe multidisciplinar sobre os melhores hábitos, o que fazer ou evitar, sobre as mudanças em seu corpo, sobre o parto, o puerpério e até sobre os seus direitos como gestante.

“É importante que a mulher use esse espaço para tirar as suas dúvidas e compartilhar as suas experiências com os especialistas. Um pré-natal bem-sucedido pode evitar a prematuridade, complicações ao longo da gestação ou durante o parto e a transmissão de doenças da mãe para o feto, como HIV e hepatites, por exemplo”.

Consultas 

Nos casos em que a gravidez é planejada, o acompanhamento deve ser iniciado antes mesmo da concepção, na chamada consulta pré-concepcional. Nesta oportunidade, o médico obstetra orientará sobre a realização de exames para verificar a saúde da mulher, indicará a suplementação de vitaminas, realização de vacinas e eventualmente a mudança de alguns hábitos importantes nesta fase.

Após a concepção, o Ministério da Saúde recomenda que o pré-natal seja composto por, no mínimo, seis consultas, sendo uma durante o primeiro trimestre de gestação, duas durante o segundo trimestre e três no terceiro trimestre. Mas cada caso deve ser avaliado individualmente e poderá necessitar de consultas extras, especialmente em casos de gestação de risco.

Exames de pré-natal

Assim como as consultas, o Dr. Stevam explica que os exames de pré-natal são divididos entre os trimestres de gestação.

“No primeiro trimestre, serão realizados exames de sangue (tipagem sanguínea, glicemia, dosagem de TSH e T4 livre, sorologias infecciosas, entre outros) e de urina, além de ultrassonografias, como a morfológica de primeiro trimestre, que analisa o risco de síndromes cromossômicas, como a síndrome de Down. No segundo trimestre, os exames pré-natais incluem teste de tolerância oral à glicose, para o diagnóstico de diabetes gestacional, e a ultrassonografia morfológica de segundo trimestre, na qual, em muitos casos, já será possível identificar o sexo do bebê. Já no terceiro trimestre de gestação, são repetidos alguns exames do primeiro trimestre e realizados outros, conforme os resultados anteriores, além de outra ultrassonografia, desta vez para a avaliação do crescimento do feto”.

É importante ressaltar que as gestações consideradas de risco devem ser monitoradas rigorosamente, com a necessidade de mais consultas e exames durante o pré-natal.

STEVAM RIOS Ginecologista e Obstetra do Centro Clínico da Vitória de Santo Antão (CECLIN), na Zona da Mata pernambucana, atende em seu consultório, em breve com novas instalações, localizado na Rua Melo Verçosa, nº 306, no Bairro Matriz da Vitória. O médico também é Especialista em Colposcopia e Citologia Oncótica, e ainda realiza a Reversão Tubária. Telefone: 81.3523.2874.