Ceclin
nov 24, 2008 0 Comentário


1ª secretaria tem semana decisiva

MAIORIA da Assembléia Legislativa prefere Coutinho, enquanto Aglailson espera ter o apoio do seu partido

ARTHUR CUNHA

Disputando a indicação do PSB para primeira secretaria da Assembléia Legislativa, os deputados estaduais João Fernando Coutinho e Aglailson Júnior entram na última semana da corrida pela vaga com estratégias semelhantes. Os dois tentarão sacramentar o apoio dos outros 47 parlamentares, mantendo conversas individuais. Os argumentos, entretanto, serão diferentes. Enquanto João Fernando – atual titular do cargo – vai destacar a tese do “sentimento de continuidade”, para a recondução dos integrantes dos atuais postos-chaves na Casa, Aglailson vai bater na tecla de um suposto acordo, firmado pelos socialistas em 2006, através do qual o colega de bancada abriria espaço para ele, no segundo biênio desta legislatura.

A eleição está marcada para o dia 2 de dezembro. Para ser eleito, um deputado precisa de pelo menos 25 votos, o que caracteriza maioria absoluta, segundo determina o regimento interno. Na hipótese de os dois estaduais não chegarem a um consenso, a direção do PSB promete intervir no embate, por temer que a imagem da legenda saia arranhada. O governador Eduardo Campos (PSB) pode ser chamado para apagar um iminente “incêndio”, mas a sua situação não é fácil. Fontes palacianas garantem que ele prefere João Fernando, mas não revela porque não quer se indispor com Aglailson, cujo grupo político é aliado histórico dos Arraes.
Pesa, ainda, a favor de João Fernando a preferência de uma significativa parcela dos servidores da Assembléia por ele. A predileção pode influenciar na escolha dos demais parlamentares. Há dois anos no posto, o atual primeiro secretário tem a gestão bem avaliada, com destaque para ações de qualificação do funcionalista e recuperação das estruturas do Legislativo. Coutinho ainda conta com apoio da maioria dos deputados.

O trunfo de Aglailson são as seis assinaturas que o socialista diz ter entre os integrantes da bancada do seu partido. Mesmo não declarando abertamente, com medo de sofrer alguma represália dentro do PSB, os socialistas garantem que assinaram documento em prol de Aglailson. Contra o parlamentar, contudo, também pesa a análise de que ele não teria o perfil necessário para ocupar o segundo posto mais importante da Assembléia.

APOIOS
“Espero que as conversas (com os deputados) sejam produtivas, e que a bancada do meu partido entenda o sentimento de continuidade na Casa”, destacou João Fernando, numa tentativa de mostrar que se o PSB indicar o concorrente, estará indo na contramão dos fatos. “Conversarei com todos. Já tenho seis assinaturas, precisa do apoio de mais 19 colegas”, rebateu Aglailson Júnior.

Do ponto de vista político, João também leva vantagem. Seu pai, Eduardo Coutinho (PSB), acaba de eleger-se prefeito de Água Preta, e outros 12 candidatos apoiados por ele também venceram. Enquanto que o pai de Aglailson, José Aglailson (PSB), não conseguiu emplacar sucessor em Vitória de Santo Antão, mesmo tendo sido eleito vereador com o maior número de votos. Além disso, Aglailson Júnior enfrentou problemas, durante o pleito municipal, tendo sido acusado de cometer abuso de poder econômico e crime eleitoral, no dia 5 de outubro. O deputado chegou a ser detido, sob acusação de comandar uma carreata fora do prazo legal. (Folha de Pernambuco).

Leia também

Uchoa tem recondução garantida