• Ceclin
abr 13, 2009 1 Comentário


“Minha casa, minha vida” inicia hoje

NOVAES critica: falta de informações é prejudicial para o início do programa

LUCIANA MOROSINI

O programa habitacional do Governo Federal, intitulado “Minha casa, minha vida” e lançado no dia 25 de março pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entra em vigor hoje. A Caixa Econômica Federal (CEF) começa a receber hoje as propostas das incorporadoras e de potenciais compradores de imóveis, mas ainda faltam informações sobre os procedimentos para o acesso ao programa.
A CEF informou que só vai divulgar mais detalhes, como quais documentos serão necessários e como os interessados devem proceder, hoje porque o programa está passando por ajustes operacionais. Para o presidente do Sindicato da Habitação de Pernambuco (Secovi-PE), Luciano Novaes, a falta de informações é prejudicial para o início do programa.
“Não sei o que o Governo pretende com esse tipo de divulgação. Era preciso esclarecer mais rapidamente quais vão ser os documentos necessários e como vai ser a liberação do subsídio”, afirmou, para depois completar que, mesmo assim, a entidade vê o programa habitacional com bons olhos.
“A nossa preocupação é como ele vai ser operacionalizado, mas se o Governo conseguir fazer funcionar, vai ser um plano muito bom. Principalmente se houver subsídios para famílias de baixa renda e produção e redução fiscal. Dessa forma, vai trazer desenvolvimento para toda cadeia produtiva do mercado imobiliário”, concluiu.
Para o presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE), Marcello Gomes, um programa deste porte não se faz da noite para o dia. O primeiro passo, do anúncio político, já foi dado. O segundo será dado hoje, com informação das medidas. E o terceiro, de como os projetos se encaixarão no programa virá por último. “O empresariado aplaude, mas por enquanto isso é apenas um programa. Só acredito quando acontecer a entrega da primeira casa”, disse.
Com investimento de R$ 34 bilhões, o objetivo do “Minha casa, minha vida” é diminuir o déficit habitacional do Brasil, com a construção de um milhão de casas para famílias com renda mensal de até dez salários mínimos. Pernambuco será beneficiado com 44.706 moradias, que representa percentual de 4,5% do montante total.
(Folha de Pernambuco).