• Ceclin
fev 19, 2016 0 Comentário


Vereadores prometem cobrar responsabilidade da Compesa quanto aos esgotos da Vitória de Santo Antão

por Lissandro Nascimento

esgotosTodas as intervenções no grande expediente ocorridas durante a sessão plenária da Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão no final da tarde da quinta-feira (18/02), se deram em torno da responsabilidade da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), no tocante a situação precária em que se encontra o esgotamento sanitário do Município, bem como a epidemia que se alastrou com as doenças advindas do mosquito da Dengue.

Dos faltosos justificados apenas dois vereadores nesta sessão ordinária: Edvaldo Bione (Pros) e o Irmão Duda (PSDC), este último chegou e depois teve que se ausentar. Na pauta de votação, apenas dezenas de Requerimentos, 43 deles de autoria do Prof. Edmo Neves (PMN).

Nos últimos meses, o vereador Toninho (Pros) tem levantado a bandeira da fiscalização dos esgotos estourados e foi o primeiro a iniciar o debate nesta sessão. Ele afirmou que pretende intensificar este trabalho em razão de segundo o mesmo – “meu eleitor está convivendo no meio dos esgotos sem manutenção” -, aproveitando para ironizar a pecha de que nas redes sociais alguns já o batizaram de “vereador gabiru”. Não incomodado, ele tem acionado, inclusive com recursos próprios, consertos em algumas vias sanitárias.

Reforçando as críticas à Compesa e ausência de ações mais efetivas por parte da Prefeitura de Vitória quanto ao combate ao mosquito da Dengue, Geraldo Filho (Solidariedade) denunciou a falta de assistência do governo municipal, sobretudo as pessoas acamadas pela zika e chikungunya, as quais têm superlotado as unidades de Saúde, principalmente a alta demanda registrada no Hospital João Murilo de Oliveira.  No aparte, o presidente da Câmara, Bau Nogueira (PSD), publicizou que a partir do domingo (21) haverá uma Força Tarefa em Vitória, reforçada pelo Exército brasileiro, no combate ao mosquito Aedes Aegypti. “Se depender do prefeito Elias Lira não vai sobrar um pra contar a história”, ovacionou Bau.

Resolutivo, o Professor Edmo Neves se lembrou de uma série de ações que propôs ano passado a Prefeitura, através dos indicativos aprovados pelo Legislativo, no sentido de prevenir os efeitos da Dengue na cidade, inclusive cobrando pessoalmente soluções dos dirigentes dos órgãos públicos envolvidos diretamente. Partes destas iniciativas foram reapresentadas nesta sessão e aprovadas, a exemplo do Hospital de Campanha do Exército e o pedido de contratação emergencial de Bombeiros Civis para ajudar os agentes de endemias no combate ao mosquito. “Diante do caos instalado, falta de aviso não foi. Por qual razão a Prefeitura não se preparou antes?”, indagou.

 

Críticas: Geraldo, Edmo Neves e Toninho consideram serviço da Compesa "famigerado". Fotos: Pedro Silva / A Voz da Vitória

Críticas: Geraldo, Edmo Neves e Toninho consideram serviço da Compesa “famigerado”. Fotos: Pedro Silva / A Voz da Vitória

 

O Professor também aproveitou para tecer críticas a Compesa e testemunhou uma série de denúncias advindas das comunidades que sofrem há meses com esgotos estourados em diversas localidades. “Apesar da alta arrecadação da taxa de esgotos que esta empresa leva de Vitória, se ver muito pouco junto a intervenção nos esgotos urbanos. O povo de Vitória paga um alto preço e a Compesa não retribui, pois não tem compromisso com os vitorienses”, avaliou Edmo. Para ele, só uma ação conjunta do Legislativo pode forçar uma solução para o problema, a exemplo do que ocorreu há dois anos quando se cobrou melhorias no abastecimento d’água.

 

Bau Nogueira - AVV ImagemEleições 2016 – Porta voz de pelo menos seis vereadores da ba$e aliada ao atual prefeito, o presidente da Câmara Bau Nogueira (PSD), pretende que seu nome seja exposto nas negociações do grupo para a disputa majoritária nas eleições 2016. Convencido de que o candidato a prefeito será o Secretário de Governo, Ozias Valentim (PSD), Bau que ver seu nome como vice-prefeito.

A pretensão foi exposta durante entrevista concedida recentemente ao “Jornal da Vitória”, do jornalista José Edalvo. Cobrando melhor atenção da atual gestão, Bau sinaliza que se não for ouvido ameaça tomar outro rumo nas eleições deste ano.

A depender de sua postura “acalentadora” na sessão da quinta (18) junto ao governo, tudo indica que Elias e Joaquim Lira entenderam o recado e trataram de amaciar o idoso parlamentar.