• Ceclin
dez 02, 2015 0 Comentário


Unilever começa a contratar para fábrica em Escada

unilever em EscadaFolha PE

A multinacional Unilever está buscando fornecedores para a implantação da sua nova fábrica em Pernambuco, no município de Escada, na Mata Sul. Até a conclusão da unidade, até o fim de 2017, haverá oportunidades para prestadoras de serviços nas obras civis, equipamentos, automação, fornecedoras de mão de obra, caldeiraria, eletromecânica, compressores, segurança, limpeza, entre outras demandas. Para aproximar as empresas do polo metalmecânico  e da construção civil do Estado dos contratadores, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Sdec), promoveu um encontro empresarial que reuniu 160 empresas.

“Na fase atual de terraplanagem temos três empresas atuando, todas locais. Além das fornecedoras, estamos prevendo pelo menos 500 vagas para profissionais na fase de construção. No período de operação as vagas chegam a 1,6 mil”, detalhou o vice-presidente de assuntos corporativos da Unilever Brasil, Antônio Calcagnotto, sem detalhar quais serão os produtos no portifólio da fábrica, voltada a alimentos.

O executivo garantiu que os negócios locais serão privilegiados nas contratações para novas etapas de produção. Contudo, existem critérios a serem obedecidos pelas futuras prestadoras. “A empresa precisa ser uma atuação consistente no ramo, certificações como ISO e um custo competitivo”, listou a responsável pela área de compras da empresa, Patrícia Viviani. Ela acrescentou que há oportunidades para empresas de vários portes, desde multinacionais até os pequenos atores da cadeia local. Os interessados podem enviar propostas para o e-mail: seja.fornecedor@unilever.com.

O encontro entre as empresas e os executivos da Unilever está entre as ações do Arranjo Produtivo Local (APL), uma iniciativa da Sdec para fomentar a competitividade do setor. Atualmente está em fase de consolidação. “Temos 237 empresas no polo pernambucano metalmecânico. Essa aproximação é uma oportunidade para que elas possam alcançar o nível de especificação exigido”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Thiago Norões.