Arquivos da Tag: TRE

Prefeito eleito de Água Preta toma posse de novo

(Foto: Vicente Luiz).

JC Online 

O prefeito recém-eleito de Água Preta, na Mata Sul, Armando Souto (PDT), vai tomar posse do cargo nesta sexta-feira terceira vez, em menos de dez dias. O imbróglio começou no último dia 20, quando Souto foi à Câmara para ser diplomado e, à revelia do presidente da Casa, Elias de Alegrete (PTN), três vereadores decidiram empossá-lo no cargo. No dia seguinte, Elias conseguiu uma liminar e derrubou o ato de posse.

Diante da situação, o juiz da comarca local, Carlos Eugênio Montenegro, determinou que em 72 horas úteis ao dia da diplomação o novo prefeito tomasse posse, o que aconteceu na segunda-feira passada. Só que ontem o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decidiu reavaliar decisão de primeira instância e afastou o prefeito do cargo, marcando a posse para esta sexta, às 20h.

O TJPE atendeu a mandado de segurança impetrado pelo presidente da Câmara, Elias de Alegrete, que governava o município interinamente, o qual considerou que a posse de Souto, na segunda, feriu os trâmites legais do Legislativo. Segundo ele, a transmissão do cargo já havia sido marcada anteriormente para a dia 29 (esta sexta-feira).

 

Em Água Preta, após confusão, Armando toma posse como prefeito

(Foto: Clemilson Campos/JC Imagem).

Blog do Jamildo

O prefeito eleito de Água Preta – na Zona da Mata Sul de Pernambuco, na eleição suplementar do último dia 3, Armando Souto (PDT) tomou posse nesta segunda-feira (25) em meio à confusão. Ocorre que o pedetista tentou ser empossado no dia da diplomação, na quarta passada (20), mas precisava atender a um prazo regimental, então o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) suspendeu a cerimônia, a pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), determinando que a Câmara convocasse para esta segunda uma sessão extraordinária para realizar a posse.

Com a instabilidade administrativa no poder executivo local, já que há mais de um ano a cidade não tem prefeito definido, o MPPE pediu também, na semana passada, que as contas da Prefeitura fossem bloqueadas até a posse do pedetista, o que significa uma movimentação monitorada pelo poder judiciário, e não um impedimento ao acesso dos recursos.

Como a Câmara não acatou a decisão judicial que determinou a convocação de sessão extraordinária para esta segunda, o MPPE, sob o argumento de descumprimento, requereu ao juízo da 2ª Vara da Comarca de Água Preta, que providenciasse a posse judicial.

Com medo de não receberem salário, prestadores de serviço fizeram um protesto nesta segunda (25). Entretanto, como Armando foi empossado, com o aval da Justiça, o cofre municipal será reaberto nesta terça (26).

Armando Souto venceu a disputa do ano passado com 52,75% dos votos, mas teve o registro de candidatura cassado porque o próprio partido questionou sua postulação. Como o pedetista obteve mais da metade dos votos válidos, em maio, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu por realização de novo pleito, o que ocorreu no início do mês, quando ele ganhou novamente, desta vez com uma diferença de 531 votos.

 

Em Água Preta na Mata Sul, Armando Souto é diplomado

Diário da Mata Sul

O prefeito eleito de Água Preta, Armando Souto (PDT), foi diplomado no final da tarde desta quarta-feira (20) no fórum da cidade. O ato foi prestigiado pelo prefeito de Belém de Maria, Tio Correia (PSB), que, na ocasião, representou o Consórcio de Municípios do Agreste e Mata Sul (Comagsul), entidade da qual é vice-presidente.

Em seu discurso, Armando Souto agradeceu o apoio da população e dos que participaram da sua campanha e, como não poderia deixar de ser, alfinetou o ex-prefeito Eduardo Coutinho (PSB), seu adversário na eleição suplementar realizada no último mês de outubro.

“Davi derrotou um Golias. Nós, com a ajuda de Deus, derrotamos doze grandes Golias”, disse o pedetista, se referindo ao número de políticos que estiveram presente no palanque de Eduardo Coutinho.

Apesar do clima de rivalidade instalado no município desde o pleito do ano passado, Armando garantiu que, a partir do próximo mês, vai governar para a população como um todo, “independente se votou no 20, no 30 ou no 40”, e que, a partir de então “a perseguição política chegou ao fim”, finalizou o novo gestor.

 

Justiça Eleitoral afasta vereadora de Pombos e suplente assumiu vaga nesta segunda-feira

Eleita com 939 votos na última eleição, Sandra Valéria da Silva Oliveira - conhecida por Irmã Sandra (PTB), vereadora de Pombos, no Agreste do Estado, foi afastada do cargo após notificação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de que seus votos foram considerados inválidos.

A justificativa é de que a parlamentar não havia se desincompatibilizado no prazo legal do cargo público pelo qual exercia quando registrou sua candidatura para as eleições 2012.

Com esta decisão, assumiu o lugar da vereadora o suplente da coligação, Aglailson da Carne (PT), em Sessão Extraordinária na Câmara de Vereadores de Pombos, ocorrida na manhã desta segunda-feira (18).

Irmã Sandra tinha sido notificada há quatro meses pelo Tribunal Regional Eleitoral – TRE/PE quando foi condenada com a perda do mandato que conquistou junto ao palanque da então candidata a reeleição Cleide Jane (Jane Povão – PR), que acabou derrotada pelo atual prefeito Josuel Vicente (PSDB).

Diante do fato, Irmã Sandra recorreu ao TSE, não obtendo êxito, pois o órgão superior em último recurso na quarta-feira passada (13) sentenciou pela nulidade de seus votos.

 com informações de Jairo Rubens

 

É barulho, diz José Patriota sobre cassação

do Blog de Jamildo

O prefeito de Afogados da Ingazeira – no Sertão de Pernambuco – e presidente da Associação Municipalista, José Patriota (PSB), classificou como “barulho” a decisão da juíza da 66ª zona eleitoral, Maria da Conceição Godoi, de cassar seu mandato. “Os outros fazem as coisas e você paga o pato?”, reclamou.

Saiba mais:

Em Afogados da Ingazeira, prefeito é cassado na primeira instância

Ele se disse tranquilo com a decisão e confiante de que o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) reformulará a determinação.

Além de Patriota, a magistrada decidiu pela cassação da vice-prefeita, Lúcia Moura (PTC), e do presidente da Câmara, Augusto Martins (PTB).

Os três são citados em uma ação movida pela ex-candidata a prefeita Giza Simões (PSDB) – que faleceu em setembro após um transplante de medula – por compra de votos. O processo continuou sendo tocado pelo Ministério Público Eleitoral.

 

Presidente da Amupe é cassado em seu município

Prefeito teria transportado eleitores de forma irregular (Foto: Hesíodo Goes/Arquivo Folha)

Blog da Folha

A juíza da 76ª zona eleitoral, Maria da conceição Godoy cassou o mandato do prefeito de Afogados da Ingazeira e presidente da Associação Municipalista de Pernambuco, José Patriota (PSB), por suposto transporte irregular de eleitores durante o pleito do ano passado. No entanto, por já indicar que ingressará com recurso ainda nesta quinta-feira (14), o socialista não precisará se afastar de suas atribuições de comando do Executivo do município.

O transporte de eleitores só pode ocorrer com a autorização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e não deve ser executado por envolvidos/candidatos na eleição em questão. O recurso a ser apresentado por José Patriota será impetrado no próprio TRE.

 

Em Petrolina, Júlio Lóssio é afastado da prefeitura

(Foto: Marcio Souza / A Voz da Vitória).

Blog do Jamildo

Em decisão monocrática, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), desembargador José Fernandes de Lemos, determinou nesta terça-feira (12) o afastamento imediato do prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), da cargo e mandou empossar o segundo colocado nas eleições, o deputado federal Fernando Filho (PSB).

A expectativa é de que a decisão seja comunicada nesta quarta (13) ao Juiz da 83ª Zona Eleitoral de Petrolina, que deve repassar ao presidente da Câmara de Vereadores, Osório Siqueira (PSB). O socialista assumirá a Prefeitura até a convocação de Fernando Filho, que, para ser diplomado, precisa renunciar ao cargo de deputado.

O parlamentar já afirmou que pretende deixar o mandato, mas apenas depois de o peemedebista recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O vice-prefeito, Guilherme Coelho, que também foi afastado, disse ao Blog que já foi avisado da decisão pelos advogados e que respeita, mas vai recorrer tanto do afastamento quanto da cassação. “A decisão não é definitiva. Acredito que o recurso vai reformar a medida”, destacou.

Além da cassação, o TRE-PE deliberou pela punição de oito anos sem direito de disputar eleição e multa no valor de R$ 10 mil. Lossio foi reeleito com 18.294 mil votos de diferença.

 

Voto no Brasil poderá ser facultativo

Estado de Minas

Foi aprovada ontem pelo grupo de trabalho que trata de reforma política na Câmara dos Deputados uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que estabelece diversas mudanças no sistema eleitoral e partidário no país. O texto será apresentado ao presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e seguirá para apreciação por uma comissão especial.

Entre os pontos principais do projeto estão o fim da reeleição para cargos executivos, a instituição do voto facultativo, a implementação de uma cláusula de desempenho partidária – chamada comumente de cláusula de barreira – e a criação de circunscrições eleitorais – chamadas de distritos – nos Estados.

Coordenador do grupo de trabalho, o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) considerou a aprovação do projeto um grande avanço: “É a primeira mudança de fundo do sistema político desde 1945”, afirmou. O petista destaca a ideia de criar circunscrições dentro de cada estado, pois, segundo afirma, a mudança aproximaria o eleito do eleitor e reduziria gastos de campanha. O artigo que estabelece um percentual mínimo de votação que corresponda a 10% do quociente eleitoral para o candidato poder ser eleito também merece destaque, segundo o deputado. “Assim você evita uma situação que houve na Câmara, de um cidadão que teve dois votos ser eleito deputado.”

Membro da comissão que elaborou o projeto, o deputado Luciano Castro (PR-RR) também comemora diversos pontos aprovados, mas alerta para a falta de tempo para aprovação do texto, já que o próximo ano é eleitoral. “Pela minha experiência de 22 anos na Câmara, acredito que dificilmente esse projeto será votado em plenário no ano que vem. Se ele passar pela comissão especial até o recesso parlamentar no fim do ano, temos que ficar muito felizes”, diz ele. Para Castro, a instituição do voto facultativo atenderia um anseio antigo da população. “O povo deseja essas mudanças no sistema eleitoral agora”, responde, quando perguntado sobre as expectativas criadas pelos protestos de junho.

O projeto também prevê a perda de mandato para o parlamentar que se desfiliar voluntariamente do partido pelo qual foi eleito e facilita a criação de partidos, permitindo que 5% dos deputados criem uma legenda sem coletar assinaturas, ou que 0,25% dos eleitores referendem uma nova agremiação (atualmente é necessário 0,5%). Outra mudança prevista é a criação de um teto nominal em reais para doações de campanha. Atualmente, empresas podem doar 2% de seu faturamento bruto e pessoas físicas 10% do rendimento bruto.

O cientista político da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Bruno Reis considera que a PEC, se aprovada como está, terá “efeitos ambivalentes” no sistema político. Para ele a chance de piorar é maior do que de melhorar, mas há pontos positivos no texto. “Muda um bocado a dinâmica das eleições se você divide os distritos em espaços que não vão ter 10 representantes cada um. As chapas ficarão menores e mais discerníveis, talvez fique mais parecido com a eleição do Senado, mas com mais pessoas eleitas do que somente três”, avalia.

O professor se diz contrário à ideia de coincidência de eleições, que, segundo ele, reduz o debate eleitoral com uma “intenção mesquinha de economizar dinheiro, como se isso fosse o mais importante”. Bruno condena também o voto facultativo: “O fato de o voto ser facultativo tem efeito político relevante e sistemático. No mundo perfeito o voto teria que ser facultativo. No mundo real ele piora o clientelismo, e na maioria dos países ele elitiza o voto. O rico vota mais do que o pobre, o branco vota mais do que o negro, os universitários votam mais do que os que têm menor escolaridade”.

 

Prefeito eleito de Água Preta se mostra magoado com o governador

Folha de Pernambuco

Pedetista também reclama que não teve qualquer apoio do seu partido

No dia seguinte à sua eleição para prefeito de Água Preta, Armando Souto (PDT) deixou claro que não se conforma com a atitude do governador Eduardo Campos (PSB), no pleito suplementar realizado domingo passado, em favor do ex-prefeito Eduardo Coutinho (PSB). Ontem, havia uma especulação de que o pedetista teria pedido ao secretário estadual de Articulação Regional e Social, Aluísio Lessa (PSB), para viabilizar uma conversa com Campos, contudo ele mesmo tratou de negar.

“Eu não tenho que viabilizar nada, eu sou prefeito, ele é candidato a presidente da República, eu ganhei a eleição”, declarou. “Eu poderia estar até no palanque dele para presidente e a Prefeitura à disposição. Se quiser, Eduardo coloque os aliados para me procurar”, avisou.

O prefeito eleito também se mostrou magoado com o seu partido pela falta de apoio nas duas disputas municipais. “Não me ajudaram com nada, me prejudicaram na outra eleição – eu não assumi por culpa do partido – e agora, nesta (eleição), o partido não ajudou com um centavo e me deixou sozinho contra o Estado”, protestou Souto, aludindo ao que classificou como “estadualização”, quando uma comitiva do PSB participou do último comício de Eduardo Coutinho, quarta-feira passada.

Armando Souto explicou que sua relação com o presidente estadual do PDT, José Queiroz, já está reestabelecida, porém culpou pelo fato de não ser prefeito há mais tempo. “Foi por culpa dele (Queiroz) e culpa do partido que eu não pude assumir, mas ele me procurou, o partido me devolveu (o comando municipal) e eu passei uma esponja nisso”, afirmou.

Embora reclame dos correligionários, o pedetista disse que continuará na legenda. “Apesar de todos os partidos terem dono e eles resolvem como querem, eu tenho que ter um. De qualquer jeito, a gente fica à mercê”, explicou o Souto, recordando que apenas o secretário-geral do PDT e presidente da Juventude Socialista da legenda no Estado, Túlio Gadêlha, lhe deu apoio.

Após a convenção do PDT, que havia empossado a direção local e oficializado a postulação de Armando Souto à Prefeitura, José Queiroz destituiu a comissão provisória para apoiar a candidatura do ex-prefeito Eduardo Coutinho, na disputa em Água Preta. Souto recorreu, concorreu sub judice e venceu com uma diferença superior a 800 votos, mas não foi diplomado. Segundo ele, para garantiu o pleito suplementar, realizado domingo, o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, reuniu os membros da executiva e ratificou a sua candidatura. A vitória foi por 531 votos de vantagem.

 

Com 51,62% dos votos, Armando Souto vence pela segunda vez a eleição em Água Preta

Água Preta endossa mais uma vez o candidato apoiado pelo Senador Armando Monteiro. Foto: Divulgação

Com informações do Blog de Jamildo

O candidato Armando Souto (PDT) foi eleito, neste domingo (3), o novo prefeito do município de Água Preta. O pedetista teve 8.455 votos, o que equivale a 51,62% do total dos votos válidos. O vice-prefeito será Thiago Barreto (DEM). Saúde e Educação serão as pastas prioritárias na gestão de Souto.

As eleições suplementares do município foram encerraram às 17h. O ex-prefeito Eduardo Coutinho (PSB) ficou em segundo lugar com 48,38 % dos votos. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos 17.055 eleitores que foram às urnas, 465 votaram nulo.

Água Preta foi palco da disputa entre o PTB, do senador Armando Monteiro Neto, e o PSB, do governador Eduardo Campos. A campanha deste ano foi marcada por rivalidade exacerbada e agressões, tanto entre os candidatos quanto entre moradores. Durante a manhã deste domingo (3), dois grupos de eleitores entraram em confronto em frente a Praça Marcionilo Pedro, principal da cidade. Os militantes trocaram xingamentos e arremessaram garrafa nos opositores.

Na votação de outubro passado, Armando Souto venceu a disputa com 52,75% dos votos, mas teve o registro de candidatura cassado porque o próprio partido questionou a postulação dele. Como o pedetista obteve mais da metade dos votos válidos, em maio, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu por realização de novo pleito.

 

 

Tempo quente em Água Preta para a eleição suplementar

Fotos: Clemilson Campos/JC Imagem

Basta chegar em Água Preta, município situado na Zona da Mata Sul de Pernambuco, para perceber que há algo diferente acontecendo por lá. A maioria das casas sustenta no telhado uma bandeira, vermelha ou amarela e laranja. Carros de som transitam a toda hora. Ocorre que, neste domingo (3), cerca de 22 mil pessoas devem ir às urnas para escolher novamente um prefeito.

Na votação de outubro passado, o candidato Armando Souto (PDT) venceu a disputa com 52,75% dos votos, mas teve o registro de candidatura cassado porque o próprio partido questionou a postulação dele. Como o pedetista obteve mais da metade dos votos válidos, em maio, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu por realização de novo pleito.

A nova campanha foi marcada por rivalidade exacerbada e agressões, tanto entre os candidatos quanto entre moradores. Na disputa, estão Armando – que, por meio da direção nacional, conseguiu apoio do partido para se candidatar – e Eduardo Coutinho (PSB).

A disputa também foi parar na Justiça. Armando entrou com uma ação questionando a candidatura de Coutinho alegando que, se eleito, ele terá o terceiro diploma seguido de prefeito, o que não é permitido pela legislação eleitoral. Ocorre que o socialista cumpriu um mandato (2008-2012) e, após vencer na Justiça, assumiu o Poder Executivo entre janeiro e outubro deste ano até o TSE resolver pelas novas eleições. Quando houve a decisão de outro pleito, o presidente da Câmara, Elias de Alegrete (PTN), ficou no posto interinamente.

Armando perdeu na primeira instância e diz que pediu aos advogados para não recorrerem ao TRE-PE. Ela afirma que quer “vencer no voto, não no tapetão”.

Clima acirrado 

A Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco expediu nessa sexta-feira (1º) uma portaria que decreta lei seca durante este domingo (3) em Água Preta. A ação tem por objetivo promover a segurança durante as eleições municipais na cidade.

Pelo documento, fica proibido a venda e o consumo de bebida alcoólica, das 6h até as 18h no dia da eleição. A fiscalização das medidas será feita pelas polícias Militar e Civil.

Mais de 22 mil eleitores devem ir às urnas no município. O pleito deve ocorrer das 8h às 17h, horário vigente no Estado.

Entenda o caso

Nas eleições de outubro, Eduardo Coutinho ficou em segundo lugar, mas o candidato mais votado, Armando Souto (PDT), foi cassado porque o registro da candidatura dele estaria irregular. Eduardo Coutinho foi então diplomado prefeito do município, em dezembro passado. Logo depois, o TSE decidiu anular as eleições e convocar um novo pleito.

Em agosto, o Tribunal Regional Eleitoral decidiu afastar Eduardo Coutinho do cargo. Ele conseguiu, porém, uma liminar no TRE para ficar na prefeitura até uma nova decisão do tribunal, decisão esta que saiu no dia 27 de agosto e determinou que a prefeitura do município ficaria sob a responsabilidade do presidente da Câmara Municipal, Elias de Alegrete (PTN).

 com informações do Blog de Jamildo

 

Dilma sanciona lei que inibe novos partidos políticos

Presidente do País aprovou lei que torna mais rigorosas as regras para criação de partidos Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

Agência Estado

A presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei 12.875, que torna mais rigorosas as regras para criação de partidos políticos. A norma limita o acesso a verbas do Fundo Partidário e restringe o tempo de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão para os novatos.

A nova lei mantém os atuais porcentuais de distribuição do Fundo Partidário, mas ressalva que serão desconsideradas do cálculo as mudanças de filiação partidária. O rateio do fundo consiste em 5%, em partes iguais, para todos os partidos com estatutos registrados no Tribunal Superior Eleitoral e 95% para os partidos na proporção dos votos obtidos na última eleição geral para a Câmara dos Deputados.

Quanto à propaganda em rádio e TV, a lei elimina a exigência de representação na Câmara dos Deputados, permitindo que todas as siglas com candidatos tenham acesso ao tempo nesses veículos. Apesar dessa mudança, o novo texto reduz o espaço destinado às novas legendas. Assim como no rateio do Fundo Partidário, as mudanças de partido não serão consideradas no cálculo do tempo reservado aos partidos.

 

TRE confirma os mandatos de quatro prefeitos pernambucanos

(João Mendonça).

Com informações do Blog do Inaldo Sampaio

Na sessão dessa quarta-feira (30), o Tribunal Regional Eleitoral confirmou os mandatos dos prefeitos de Belo Jardim, São José do Belmonte, Petrolândia e Agrestina – respectivamente João Mendonça (PSD), Marcelo Pereira (PR), Lourival Simões (PR) e Thiago Nunes (PDT).

João Mendonça teve o registro impugnado pela coligação adversária por ter tido três prestações de contas rejeitadas pelo TCE – 2002, 2003 e 2005. Ele ganhou na primeira e na segunda instância, o que levou a coligação adversária a recorrer ao TSE. O Tribunal Superior devolveu o processo ao TRE-PE para que reanalisasse os motivos da rejeição das contas.

Como o julgamento, pela Câmara Municipal de Belo Jardim havia sido anulado pela Justiça Comum, o TRE, por meio do desembargador Alfredo Hermes, manteve o registro da candidatura com parecer favorável do Ministério Público Eleitoral. Os outros três prefeitos tiveram seus registros impugnados por abuso de poder político econômico, mas todos foram inocentados.

O processo de Belmonte teve como relator o desembargador Janduhy Finizola, o de Petrolândia o desembargador Alfredo Hermes e o de Agestina o desembargador Paulo Roberto de Oliveira Lima.  Atuou na defesa dos três primeiros o advogado Márcio José Alves de Souza.

 

Esquenta a briga pelo voto em Água Preta

Diário de Pernambuco

Água Preta. Uma cidade dividida entre os que apoiam o empresário Armando Souto (PDT) e os que defendem a candidatura do ex-prefeito Eduardo Coutinho (PSB). De um lado, o PTB do senador Armando Monteiro Neto vem se articulando para eleger o pedetista. Do outro, o PSB do governador Eduardo Campos está apostando as suas fichas para garantir a vitória do correligionário. O município, localizado na Mata Sul, está vivendo um clima de disputa acirrada. Neste domingo, os moradores voltarão às urnas, depois que a Justiça Eleitoral decidiu anular o pleito de outubro do ano passado e determinar uma nova disputa.

Em 2012, Armando Souto concorreu sub judice e venceu a eleição com 52,75% dos votos. Na época, a direção estadual do PDT tomou sua legenda e, em função disso, sua candidatura foi impugnada pela Justiça. O segundo colocado, Eduardo Coutinho, ficou com 47% dos votos válidos e chegou a assumir o cargo, mas o Tribunal Superior Eleitoral decidiu anular o pleito e determinou por uma nova eleição.

Com os ânimos à flor da pele, os dois candidatos trocam acusações sobre suposto tráfico de influência e abuso do poder político e econômico. A cidade está pintada nas cores vermelha, representando apoio a Armando Souto, e amarela, em alusão ao PSB. “O candidato adversário não tem tradição na política. Ele tem força do poderio econômico”, criticou Coutinho. Hoje à noite, o socialista realiza seu último comício da campanha e faz uma caminhada.

O prefeito do Recife, Geraldo Julio, está sendo aguardado na reta final para reforçar a campanha do aliado. Os secretários da Casa Civil, Tadeu Alencar, o da Saúde, Antônio Figueira e o de Transporte, Isaltino Nascimento, também foram à cidade para ajudar Coutinho. “Sou aliado histórico do PSB, integrante do diretório nacional. É normal que as pessoas do partido venham me ajudar”, afirmou.

A decisão de apoiar Eduardo Coutinho, no entanto, não é unânime no ninho socialista.

O secretário de Articulação Social e Regional, Aluízio Lessa, optou por ficar com Armando Souto. O deputado estadual Sílvio Costa Filho (PTB) e o federal, Eduardo da Fonte (PP), também estão com o pedetista. “Ao contrário de Aluízio Lessa, que tem votado contra as indicações do partido, os demais do PSB estão comigo”, destacou.

O comício de Armado Souto está marcado para amanhã à noite. (Cláudia Eloi)

Saiba mais

Entenda o caso de Água Preta:

O candidato com maior votação, Armando Souto (PDT), tem candidatura impugnada pelo juiz eleitoral Carlos Eugênio de Castro Montenegro porque seu registro eleitoral estaria irregular. Como o pedetista obteve mais da metade dos votos válidos, o juiz determinou nova eleição no município

O candidato Eduardo Coutinho (PSB), que ficou em segundo lugar na disputa, entrou com um recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra a anulação da decisão da eleição, tomada em primeira instância. Eduardo Coutinho é diplomado prefeito.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) concede uma liminar para que Eduardo Coutinho

se mantenha como prefeito. Posteriormente, o mesmo TRE decidiu, por cinco votos a um, derrubar a liminar que mantinha no cargo o socialista, após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que anulou a eleição.

Com o afastamento de Eduardo Coutinho, o presidente da Câmara Municipal, Elias Alegrete (PTN), ficou com a responsabilidade de administrar a cidade até nova eleição

A Corte do TRE escolheu o dia 3 de novembro para a nova eleição em Água Preta.

 

Câmara empossa 1ª vereadora de Jaboatão dos Guararapes

Sandra do Gás assume lugar de vereador condenado por propaganda irregular (Foto: Reprodução)

A Câmara de Vereadores de Jaboatão dos Guararapes empossará, nesta quarta-feira (30), a primeira mulher a conquistar o direito de representar o município no Parlamento. A suplente Sandra Maria de Lima Silva (PRP), conhecida como Sandra do Gás, assumirá uma cadeira em cerimônia marcada para as 11h. Ela tem 41 anos e recebeu ao todo 1.836 votos na última eleição.

A vaga de Sandra foi conquistada em função da condenação do vereador Nivaldo do Gás (PRP) por propaganda irregular – processo nº 966-51.2012.6.17.0101, que pode ser acompanhado no Tribunal Regional Eleitoral(TRE). Nivaldo obteve 2.223 votos nas eleições de 2012.

 

Página 2 de 4412345102030...Última »