Arquivos da Tag: SINTEPE

SINTEPE: Nota de Pesar

O SINTEPE lamenta o trágico falecimento do Ex-Governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos. As circunstâncias que levaram à morte de Eduardo Campos, de seus quatro assessores e dos dois pilotos do avião, chocaram o País.

O SINTEPE, nesse momento de consternação, abre espaço no debate cotidiano e nas divergências sobre a política educacional do Estado e manifesta as suas condolências aos familiares de Eduardo Campos.

O SINTEPE estende o seu pesar e a sua solidariedade aos familiares dos pilotos Geraldo Cunha e Marcos Martins, aos familiares do assessor de imprensa Carlos Augusto Leal Filho (Percol), aos familiares do fotógrafo Alexandre Severo, aos familiares do cinegrafista Marcelo Lira e aos familiares do assessor Pedro Valadares Neto. Estendemos ainda, o nosso pesar e a nossa solidariedade ao Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco – SINTEPE

 

 

Em Vitória, Deputada Teresa Leitão reúne amigos para bate-papo

A deputada estadual e presidente do PT em Pernambuco, Teresa Leitão, está marcando cerrado na busca de apoios nas principais cidades polos do Estado. Reunindo dezenas de amigos em Vitória de Santo Antão, capital da Zona da Mata, no último Sábado (09), a deputada e candidata a reeleição, deu o pontapé inicial em sua campanha no Município. Teresa tem o apoio de grande parte do PT vitoriense, principalmente dos professores Jeová Williams e Clícia Roberta, além do líder sindical Severino Vítor - Guiné.

“Estou animada com a organização de nossa campanha em Vitória, pelo conteúdo político e pelo compromisso partidário de nossos amigos. Nossa candidatura representa o projeto de Dilma e isso aumenta a responsabilidade e a alegria com a campanha”, comentou a candidata. Entendendo que os pleitos eleitorais em Vitória são complicados, em razão, segundo ela, da hegemonia política das famílias que dominam Vitória há décadas, Teresa lembrou na reunião que não irá competir com esta estrutura milionária, contudo, considera importante a construção de uma campanha com debate aliada ao comitê de Armando e João Paulo na cidade, valorizando os legados dos governos Lula e Dilma.

Teresa criticou o modelo educacional defendido pelos aliados de Eduardo Campos (PSB), que pretende universalizar o ensino através das escolas integrais. “É preciso entender educação de forma ampla e integrada. O compromisso do futuro governo de Armando Monteiro é fazer os necessários ajustes neste modelo e sobretudo, investir e valorizar o ensino infantil com construção de creches e valorização da docência”, sintetizou.

Durante a reunião, a parlamentar delegou aos presentes para que elabore o formato da campanha em Vitória e discuta um nome para Federal, a fim de dobrar com a sua campanha no Município. Na luta por garantir o seu terceiro mandato, Teresa assegurou continuar firme na postura de um mandato popular. “Quando foi preciso abrir as portas da Assembleia Legislativa, assim procedemos. Porque nessa jornada, nossa prioridade foi praticar a política que chegue nas pessoas e beneficie a maioria de nossa população”, afirmou.

PERFIL

Deputada estadual reeleita com 37.405 votos, assumiu como Presidente da Comissão de Educação e Cultura da ALEPE. Professora da rede pública estadual, aposentou-se quando assumiu seu primeiro mandato de deputada, depois de 30 anos de exercício profissional. Começou sua carreira no Estado, recém-formada, no Jardim da Infância Ana Rosa, para onde foi nomeada por ter sido aluna laureada do curso pedagógico do Instituto de Educação de Pernambuco.

Prosseguindo os estudos, Teresa Leitão graduou-se em Pedagogia, com habilitação em Orientação Educacional e mais tarde concluiu, em nível de pós-graduação, a especialização em Magistério de 2º grau.

A organização dos orientadores educacionais foi o primeiro passo de sua luta sindical, quando compôs a direção da Associação dos Orientadores Educacionais de Pernambuco (AOEPE). Foi vice-presidente entre 1984 e 1987 e depois conselheira na gestão 1987/1990. Essa gestão foi responsável pela articulação em favor da unificação dos educadores e suas entidades representativas em um só sindicato. Daí nasceu o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (SINTEPE).

Teresa Leitão não só foi uma ativa defensora da unificação como participou do congresso de fundação do SINTEPE e compôs a primeira diretoria na função de vice-presidente, em 1990, bem como fez parte da CNTE por três vezes. Mais adiante foi eleita presidente – a primeira mulher a ocupar a presidência do sindicato – sendo reeleita duas vezes, deixando o terceiro mandato para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Teresa Leitão é presença constante na Tribuna das sessões plenárias, com temas não apenas da educação, mas todos os temas de interesse público, além de exercer com rigor a atribuição de fiscalizar o Poder Executivo. O mandato é muito articulado com os movimentos sociais, sendo essa uma exigência do perfil da deputada.

 

SINTEPE – Governo Reprovado

O SINTEPE continua recebendo denúncias a respeito da lentidão no trâmite de processos administrativos relativos à vida funcional de trabalhadores em educação. Os processos que tratam, por exemplo, de licenças-prêmio, contagem de tempo de serviço, dentre outros assuntos, estão parados na Secretaria Estadual de Educação. Existem processos que iniciaram a sua tramitação há dois anos e até agora continua sem nenhuma conclusão.

A inércia da Secretaria Estadual de Educação levou o SINTEPE, mais uma vez, a cobrar explicações do porque de tanta morosidade no trâmite dos processos. As propostas dão conta de que uma empresa terceirizada, a TCI, responsável pela digitalização de processos, foi afastada pelo Governo de Pernambuco e até agora não houve substituição. Outra informação, que nos causou estranheza, é a de que a TCI ao ser afastada, ficou de posse de documentos, não devolvendo por falta de acerto financeiro entre o Estado e a própria empresa. Concluímos assim, que o Governo está refém da TCI. Uma situação lastimável.

Mais uma vez, a incompetência administrativa do Governo impõe prejuízos à nossa categoria. Paciência tem limites e o SINTEPE exige respeito ao servidor e exige também a normalização no trâmite dos processos que se encontram na Secretaria de Educação.

O descaso do Governo no trato de questões relativas aos trabalhadores em Educação, explicitado na falta de diálogo decorrente da ausência de reuniões, tão cobradas pelo Sindicato, levam a um acúmulo absurdo de demandas que prejudicam a nossa categoria, profissionalmente e salarialmente, provocando e/ou aumentando no cotidiano um desgaste físico e psicológico. Lamentavelmente, o Governo de Pernambuco não quis manter aberto um canal permanente de negociação com o SINTEPE. Neste item, o Governo de Pernambuco também fracassou, sendo, portanto, reprovado.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.  

Professores de Pernambuco estão velhos, diz pesquisa

Do LeiaJá

Os professores das escolas públicas de Pernambuco estão envelhecendo. Essa foi a conclusão da pesquisa realizada pelo Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente (Gestrado), da Universidade Federal de Minas Gerais, em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), divulgada recentemente. Segundo a avaliação, 46% do corpo docente das escolas municipais e estaduais têm docentes com mais de 20 anos de carreira, enquanto apenas 15% dos entrevistados têm menos de 10 anos na Rede Pública de Ensino.

Denominada “Trabalho na Educação Básica em Pernambuco”, a pesquisa ainda aponta que entre os funcionários de escolas, mais da metade apresenta tempo de atuação acima de 20 anos. De acordo com pesquisadores, os números causam preocupação, por causa da iminência do período de aposentadoria para grande parte da categoria e a falta de concursos públicos que promovam o ingresso de jovens na carreira.

Ainda segundo o estudo, a grande maioria dos professores é de mulheres. São 82% professoras e, em relação aos funcionários, o percentual é de 75% dos trabalhadores. Sobre questões raciais, apenas 29% dos docentes se autodeclaram brancos e que a idade média dos professores é de 40 anos e a dos funcionários de 41.

No que diz respeito à realidade socioeconômica dos educadores, 78% das mulheres são as principais provedoras da renda do grupo familiar. No universo masculino, o número chega a 87%. No quesito escolaridade, o estudo apontou que 84% dos professores são formados em pedagogia ou cursos de licenciatura, porém, apenas 56% têm pós-graduação. A pesquisa foi realizada em 60 escolas de 17 cidades pernambucanas, incluindo o Recife. Ao todo, 1591 pessoas foram entrevistadas, entre professores e funcionários.

“O BDE é momentâneo”, assevera Heleno Araújo

 ”O BDE é momentâneo, não valoriza o professor e não tem transparência. Defendemos que seja cumprido o Plano de Cargos e Carreiras, que determina a progressão na carreira a partir de uma avaliação conjunta do docente, dos seus colegas, alunos e dos pais. Isso, sim, seria valorização”, diz o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), Heleno Araújo.

 

 

SINTEPE – Junta médica: problema para o interior

A necessidade de obter licença médica continua prejudicando a vida de muita gente, principalmente dos servidores estaduais que moram distante da capital. O fato é que a Junta Médica atende somente no Recife. No caso de Petrolina, por exemplo,  a GRE local informou, após contato com o IRH, que o servidor ao entrar de licença deve obrigatoriamente ir direto para a Junta Médica que, como já dissemos, fica no Recife.

O deslocamento, saindo de Petrolina para a capital, tem um custo alto para o servidor. Além dos custos, os problemas de saúde são outros dificultadores para aqueles que precisam da licença médica. As queixas são muitas e são recorrentes, os questionamentos a favor de uma possível descentralização e consequente interiorização dos serviços da Junta Médica são frequentes.

O SINTEPE, não é de hoje, já reivindicou e continua reivindicando que o atendimento da Junta Médica do Estado seja levado para todo o interior. A postura governamental de ignorar a nossa reivindicação é revoltante e segundo os desabafos, que chegam até o Sindicato, considerada até ‘’criminosa’’. Impor uma viagem longa para aqueles que têm dificuldade de custeá-la ou para quem apresenta fragilidade no seu estado de saúde, ou ainda, as duas coisas juntas, realmente gera grande revolta.

Ao Governo do Estado, que continua demonstrando a sua falta de sensibilidade, a sua inoperância e a sua falta de competência, reivindicamos, mais uma vez, a descentralização dos serviços da Junta Médica do Estado.

AGENDA

05/08 – Reunião dos Aposentados, às 15h, no SINTEPE;

07/08 – O SINTEPE em parceria com o Ministério Público de Pernambuco e o Núcleo de Apoio a Mulher estarão na Praça do Diário, centro do Recife, às 9h, para juntos comemorar o oitavo aniversário da Lei Maria da Penha, que é reconhecida pela ONU como uma das três melhores legislações do mundo. Na ocasião, estarão presentes entidades como: SINTEPE, CNTE, CUT, Ministério Público e entidades representativas das mulheres.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.  

 

 

SINTEPE: SOS SASSEPE – Nossa contribuição aumentou e a assistência não melhorou

Desde outubro do ano passado, o conjunto dos servidores representados por seus sindicatos, através do FÓRUM coordenado pela CUT, juntamente com a ASSEPE, vem num processo de mobilização a favor da preservação do Sistema de Assistência à Saúde do Servidor do Estado de Pernambuco (SASSEPE).

A terceira e maior crise do sistema, desde que foi foi criado em 2001, tem trazido grandes prejuízos para a assistência dos seus mais de 190 mil beneficiários. São exames como: ultrassom, raio X cardiológicos e preventivos marcados para mais de 90 dias. Cirurgias e outros procedimentos de urgência, principalmente os que precisam de material especial, aguardam liberação por mais de 30 dias, mesmo estando o paciente hospitalizado.

Na Rede Credenciada, leito de enfermaria ou UTI tem sido difícil. As consultas, especialmente no Interior têm ficado cada vez mais escassas, quando marcadas são para mais de 30 dias. A Rede própria, que sozinha não atende toda a demanda, funciona com precariedade. O HSE, por exemplo, se encontra em reforma há mais de dois anos. E para piorar, os credenciados têm suspendido atendimento ou reduzido a cota, já tão pequena. Os pagamentos atrasados e o débito estocado são as justificativas para descredenciamentos.

Nós, beneficiários que decidimos em assembleia aumentar nossas contribuições, buscando solução para o problema de caixa do Sassepe, até o momento não sentimos melhoras. O aumento foi efetivado há três meses e a situação está piorando. Exigimos, enquanto credores majoritários do caixa do Sassepe, que o governo seja transparente e apresente solução para a péssima situação da assistência prestada pelo Sistema. O SASSEPE é a maior conquista da luta do conjunto dos servidores, dele não vamos abrir mão. SAÚDE É VIDA!

Atenção Aposentados/as! Fiquem atentos!

A nossa reunião mensal marcada para esta terça-feira (29), às 15h, no SINTEPE, poderá ser adiada caso se confirme a greve dos motoristas de ônibus. Havendo a greve, a reunião será no dia 05 de agosto, na mesma hora e no mesmo local.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.  

SINTEPE: Cotidiano de lutas

O SINTEPE continua cobrando uma audiência com o Secretário de Educação de Pernambuco, a intenção é buscarmos soluções para pendências relativas ao cotidiano e à vida profissional dos trabalhadores em educação. À medida que problemas existentes não são resolvidos, novas demandas começam a surgir levando a conflitos desnecessários nos locais de trabalho e a prejuízos de ordem funcional.

Os problemas são muitos, na semana passada, por exemplo, o SINTEPE recebeu a denúncia de que uma professora aposentada há dois anos continua aguardando a liberação do pagamento de sua licença-prêmio em dinheiro, direito assegurado em lei. O processo da aposentada está há dois anos parado na Secretaria de Educação, segundo informações por falta de pessoal para dar andamento. Se confirmada a informação, será mais um absurdo do Governo do Estado. E ainda existem outros processos na mesma situação.

Numa outra frente de atuação, o SINTEPE acompanhou professores de Educação Física da rede estadual, reunidos no sindicato, na tarde da sexta-feira (18), para discutir a atuação do Conselho Regional de Educação Física (CREF) nas escolas, avaliada pelos docentes como indevida. Na ocasião, os participantes da reunião afirmaram que o Conselho está coagindo os professores a se filiarem.

Para tratar do assunto junto ao Jurídico do SINTEPE, os professores de educação física formaram uma comissão para propor medidas de proteção aos profissionais da área. A comissão formada por membros das Universidades Federal e Rural, por estudantes, por membros do Sintepe e por professores lotados em diversas GREs, decidiu solicitar ao Ministério Público uma medida cautelar contra o CREF. Nesta segunda-feira (21), na reunião da direção do SINTEPE o assunto será debatido.

SEMINÁRIO SOBRE O RESULTADO DA PESQUISA ENVOLVENDO OS TRABALHADORES NA EDUCAÇÃO BÁSICA EM PERNAMBUCO

22/07 - Gravatá, Hotel Casa Grande, 9h às 13h.

24/07 - Recife, auditório do SINTEPE, 14 às 18h.

Plenária dos Funcionários Administrativos

25/7 - No auditório do SINTEPE, às 9h.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.  

SINTEPE: O BDE e outros problemas

Na semana passada, foram muitas solicitações de informação a respeito do Bônus de Desempenho Educacional (BDE), instituído pela Secretaria de Educação de Pernambuco para contemplar escolas da rede estadual que atingem metas estabelecidas pelo Governo do Estado. Os telefones do SINTEPE tocaram com mais frequência do que o normal. As perguntas se concentraram em duas situações: quais as unidades de ensino terão direito ao BDE e quando será pago?

O Governo de Pernambuco não divulgou até o momento qualquer informação oficial a respeito do pagamento BDE neste ano de 2014. Assim, o SINTEPE não tem como atender aos vários pedidos de informações relativos ao referido bônus. Vale salientar que o SINTEPE também já se manifestou por diversas vezes apresentando as suas divergências com relação a este formato de “premiação” que é o BDE.

Mudando de assunto, na última semana o SINTEPE fez contato com o Gabinete do Secretário de Educação de Pernambuco para cobrar respostas aos ofícios solicitando uma audiência com o próprio Secretário. O objetivo é discutir, entre outros assuntos, as questões relativas às cargas horárias dos trabalhadores em educação, considerando a redução do número de escolas com horário regular (03 turnos) a partir do processo de municipalização do ensino imposto pelo Governo e da implantação de escolas de horário integral.

Outros temas também precisam ser discutidos, dentre eles o direito à licença prêmio sem prejuízo financeiro para os trabalhadores em educação lotados em escolas de referência. E ainda destacamos na pauta, para a reunião com o Secretário, os problemas no “Centro de Educação Especial de Casa Amarela (Recife)”. O SINTEPE “aguarda” a confirmação de data para a reunião.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br

SINTEPE: Reflexão e ação

Nas visitas aos locais de trabalho, o SINTEPE tem percebido uma certa apreensão com o futuro que se constrói nas escolas. Que tipo de cidadão e de cidadã estamos formando? Quais são verdadeiramente as condições que, enquanto trabalhadores em educação, temos para educar? O quê e como fazer no tocante à formação humana? E no tocante ao conhecimento, à informação e ao conteúdo programático, estamos no caminho certo?

Enquanto profissionais da educação, mal remunerados e com jornadas de trabalho estressantes, temos historicamente reivindicado as condições necessárias para cumprirmos o papel social que nos cabe. Porém, enfrentar a falta de sensibilidade dos governantes, a falta de estrutura familiar e a concorrência desleal de grande parte dos meios de comunicação que deseducam e deformam, principalmente os adolescentes e jovens, impondo um padrão social baseado na inversão de valores, não é tarefa fácil para quem está na sala de aula.

ATENÇÃO!

O Governo do Estado publicou no Diário Oficial de 2 de julho, mais uma lista de aposentados. Convém lembrar que muitas aposentadorias se encontravam retidas há quase um ano na Secretaria de Educação. O Sintepe interveio e num rápido processo de negociação as aposentadorias começaram a ser liberadas. Com essa, são duas listas em dois meses. Continuamos atentos, assegurando à nossa categoria agilidade ao seu direito à aposentadoria.

Os trabalhadores em educação que detectaram problemas relativos ao vale transporte devem procurar o seu gestor, munidos do último extrato de pagamento e de cópia de comprovante de residência. Segundo informação do Governo, nos locais de trabalho deve ser preenchido um formulário a ser encaminhado pelo gestor para a Gerência Regional de Educação (GRE) a fim de ser efetuado um novo cadastramento.

Na Escola Senador Ermírio de Moraes, localizada em Itapissuma, educadores estão pagando passagem para trabalhar. O transporte de acesso à escola, não aceita o Cartão Vem e por conta desse problema, os educadores da unidade procuraram a Secretaria de Educação em busca de uma solução. O órgão informou que não vai implantar gratificação de locomoção.  O Sintepe defende que o valor do vale transporte seja repassado em dinheiro.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.

“Pesquisa”, é a nota do SINTEPE desta semana

(Foto: Marcio Souza / A Voz da Vitória).

Pesquisa feita com mais de 14 mil professores e cerca de mil diretores de 1070 escolas públicas e privadas de todos os Estados brasileiros, aponta que os docentes utilizam somente 67% do tempo da aula, o resto é “desperdiçado” com atividades burocráticas e no controle da “bagunça”. A pesquisa realizada entre os meses de setembro e novembro de 2012, foi coordenada em âmbito nacional pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC).

O tempo gasto para por “ordem na bagunça” dos estudantes representa 20% do tempo total de aula. Com serviços administrativos (burocráticos), são gastos 12%. De aula mesmo, ou seja, atividades de ensino e de aprendizagem, sobra para o professor utilizar apenas 67% do tempo total de aula. É a pior situação entre todos os países avaliados. Na média dos outros países pesquisados, quase 80% do tempo é voltado, exclusivamente, para a aprendizagem.

A pesquisa mostra também que os professores brasileiros de escolas de ensino fundamental passam 24% a mais de tempo em sala de aula do que o tempo gasto em outros 30 países, dentre os quais Finlândia, Estados Unidos, Coréia, México e Cingapura. Além de usar mais horas por semana ensinando, parte considerável dos professores brasileiros ainda sofre com o desgaste em deslocamentos. Isso porque, muitos trabalham em mais de um estabelecimento de ensino.

No Brasil, cerca de 40% dos mais de 2 milhões de professores da educação básica trabalham em cinco ou mais turmas. Aproximadamente 20% ensinam em pelo menos dois estabelecimentos. Em São Paulo, 26% dos professores “dão” aulas em duas escolas. Os dados são do Censo Escolar 2013 divulgado no início deste ano pelo MEC.

Aqui em Pernambuco a nossa situação não é muito diferente do que revela a pesquisa, temos enormes desafios no tocante à carga horária e à jornada de trabalho, dentre outros aspectos de relevância para a nossa categoria profissional e que continuarão na ordem do dia para os debates e os embates com o atual Governo e com o Governo que será empossado no início do próximo ano.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.

SINTEPE: Cotidiano de Lutas

Em reunião com a Gerência de Pessoal da Secretaria de Administração do Estado, o SINTEPE apresentou o seu entendimento no tocante à incorporação da chamada “gratificação do curso noturno ou código 207″ aos vencimentos dos funcionários administrativos da Educação. O SINTEPE argumenta que a referida incorporação seja imediata e com o devido registro no extrato de pagamento. Atualmente, o Governo fez a incorporação no momento da aposentadoria.

O SINTEPE destacou também a necessidade da continuidade da discussão a respeito dos funcionários administrativos educacionais que se aposentaram antes da vigência da nova legislação e ficaram com a incorporação do conhecido “código 207″. Na prática, uma parcela remuneratória recebida por muitos anos e perdida no ato da aposentadoria. O SINTEPE compreende que a legislação eleitoral prejudica o desfecho desse assunto, mas não vai deixar a questão cair no esquecimento.

Conforme divulgamos nesta coluna na semana passada, o SINTEPE e o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio Econômicos (DIEESE), estiveram reunidos para discutir a questão previdenciária nos municípios. A discussão girou em torno do regime próprio de previdência e do regime geral. O assunto é complexo e chega a ser preocupante, no entanto as aposentadorias de forma digna têm que ser asseguradas. Ao final da reunião ficou encaminhada a necessidade do levantamento de dados para análise e uma nova reunião foi marcada para 15 de julho.

O SINTEPE representa atualmente os professores de mais de 30 municípios no Estado de Pernambuco. O SINTEPE entrou em contato com a Secretaria de Administração e com a Secretaria de Educação do Estado para cobrar uma solução diante das muitas reclamações que o Sindicato recebeu nesta semana a respeito do bloqueio do Vale Transporte. Aguardamos um retorno oficial do Governo para um posicionamento do SINTEPE.

A municipalização do ensino já começa a provocar novas frentes de conflito entre a nossa categoria e o Governo do Estado. O tema é recorrente e conflituoso, precisa ser tratado com muita responsabilidade por parte dos governantes. O SINTEPE está cobrando uma audiência com o Secretário para discutir este e outros assuntos não menos importantes. Aguardamos a confirmação da audiência!

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.

SINTEPE: Sempre atentos

(Foto: Marcio Souza / A Voz da Vitória).

As aposentadorias retidas na Secretaria de Educação e que foram o motivo de muitas reclamações da nossa categoria e de cobranças do SINTEPE  e ao Governo de Pernambuco, começaram a ser publicadas no Diário Oficial do Estado. Outra lista com novos aposentados será publicada, ainda este mês, segundo informações da própria Secretaria de Educação. O SINTEPE segue atento e acompanhando o desenrolar dos acontecimentos.

O Plano Nacional de Educação (PNE), outro assunto abordado com certa frequência em nossa coluna semanal, caminha para um desfecho. Após aprovado no Congresso Nacional, ele segue para sanção da Presidência da República. De acordo com PNE o percentual do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, o investimento na educação vai atingir nos próximos cinco anos, 7% e nos próximos dez anos 10%. Após a sanção, os Estados e os municípios terão o prazo de um ano para a aprovação dos seus respectivos Planos de Educação.

Um assunto que ainda se encontra pendente e incomoda parcela dos Funcionários Administrativos Educacionais é a incorporação aos vencimentos da conhecida ”gratificação do curso noturno ou código 207″ por ocasião da aposentadoria. O SINTEPE com muita persistência e luta conseguiu a referida incorporação para os Administrativos aposentados a partir de 11.7.2011. Em consequência, os Funcionários Administrativos aposentados antes da citada data não foram contemplados com a incorporação. Vale salientar que o SINTEPE não considera o “207″ com uma gratificação, pois somente trabalhando três horas diárias a mais se tinha o direito a recebê-la. Vamos seguir insistindo junto ao Governo do Estado, para que todos os Funcionários Administrativos da Educação possam ser contemplados, independente da data de aposentadoria com a incorporação aos vencimentos do chamado “código 207″.

O SINTEPE representa atualmente trabalhadores em educação de mais de 30 redes municipais. A discussão com prefeitos e secretários nos municípios tem passado por questões de grande relevância, dentre as quais destacamos duas: Plano de Cargos e Carreira (PCC) e previdência. Em relação à previdência, o SINTEPE tem reunião esta semana com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio Econômicos (DIEESE) na perspectiva de promover um grande debate sobre o tema.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.

SINTEPE: A escola de referência e a licença prêmio

Os professores lotados em escolas de referência estão se sentindo prejudicados no tocante às licenças-prêmio. Para estes, é um verdadeiro castigo pensar em licença prêmio. Se usufruírem desse direito, durante o gozo da licença, deixam de receber a gratificação que é exclusiva para aqueles que estão vinculados às escolas de referência. Na prática,  um mês de licença–prêmio significa prejuízo financeiro.

A situação dos professores das escolas de referência com relação à licença-prêmio nos coloca diante de um fato inusitado: “se correr o bicho pega e se ficar o bicho come”. Ou seja, não tem saída, perde de todo jeito. A licença-prêmio é mais um direito consagrado em lei negado pelo Governo. O SINTEPE novamente abordou o assunto junto ao Governo, em reunião com o Secretário de Administração.

O assunto que já é recorrente permanece na nossa pauta de queixas e de reclamações. Vamos continuar argumentando em defesa do que consideramos direito do professor da escola de referência de legitimamente viver a sua licença-prêmio sem o prejuízo financeiro da perda de gratificação.

Com força e determinação vamos continuar firmes na certeza de que o respeito ao professor e ao seu direito se dá através da sua valorização salarial, da garantia de uma jornada de trabalho decente, da implantação uma carreira atraente, da sua formação continuada e da ampliação e melhor gestão dos recursos destinados ao financiamento da educação pública como alternativa para uma sociedade e um mundo melhores.

RECESSO ESCOLAR!

O SINTEPE informa que está assegurado o recesso no período de 12 a 27 de junho  para toda a comunidade escolar. Com exceção dos professores e estudantes, que cumprem o recesso integralmente, os demais segmentos da escola cumprem o recesso em rodízio, direito garantido pelo Acordo Coletivo 91/92, renovado anualmente e portanto em pleno vigor.

AGENDA JUNINA

11/06 - Reunião festiva dos aposentados/as, às 15h, no Sintepe.

13/06 - Festa dos Trabalhadores em Educação, no Clube Português, às 20h30. O tema deste ano é: O Trem da Educação Conduzindo o Brasil.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.

SINTEPE: Aposentadorias retidas

No dia 28, foi aprovado na Câmara dos Deputados, em Brasília, o texto-base do Plano Nacional de Educação (PNE). Nesta semana ainda serão votados dois destaques. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) continua atenta e acompanhando.

Aqui em Pernambuco o problema do atraso nas liberações de aposentadorias de trabalhadores em educação continua sem solução e piorando. Um fato inusitado que aconteceu esta semana chamou a atenção. A Superintendência de Pessoal da Secretaria de Educação do Estado determinou a suspensão do pagamento de salário de uma professora que completou 70 (setenta) anos e cujo processo de aposentadoria datado de 14 de janeiro de 2013 ainda está na FUNAPE. O caso é absurdo e muito grave, a professora está impedida de trabalhar devido à aposentadoria compulsória, tem um processo que não tramita e agora sem salário. O SINTEPE vai acompanhar o caso.

Na segunda-feira, 26, em reunião com o Secretário de Administração do Estado, apresentamos várias demandas de interesse da nossa categoria. A questão das aposentadorias que não estão sendo liberadas esteve entre as demandas. Outro ponto da pauta foi a necessidade da reformulação do nosso Plano de Cargos e Carreira (PCC), uma comissão com representantes do SINTEPE e do Governo está sendo constituída e terá prazo até 31 de agosto para conclusão dos trabalhos. A licença–prêmio do professor lotado na escola de referência, que na prática tem sido impedida, foi outro tema abordado.

AGENDA

05/06 – Plenária dos Administrativos, às 9h, no Sintepe. Pauta: ‘trava’ do 207, reformulação do PCC, implantação das 8h e graduação.

06/06 – 7º Encontro LGBT, das 8h às 17h, no auditório do Sintepe.

11/06 – Reunião festiva dos aposentados/as, às 15h, com comemoração junina no sindicato.

13/06 – Festa Junina do Sintepe (O trem da educação conduzindo o Brasil), às 20h30, no Clube Português. Atrações: Banda Nordestinos do Forró, Raiz do Nordeste, Forró Pé de Serra e Contadores de Causos.

 

Página 1 de 3112345102030...Última »