Arquivos da Tag: SINTEPE

Estado limita oferta de crédito a servidor


569bb04220b6a8fb91523d463e934dc6Desde a última segunda-feira, os servidores públicos de Pernambuco passaram a contar com um número restrito de bancos realizando operações de crédito consignado. A medida obedece a um decreto editado em outubro de 2015, que tem como proposta garantir mais segurança nas operações. Antes da mudança, 17 bancos e cinco cooperativas de crédito ofertavam consignado no Estado. A partir de agora, cinco instituições estarão autorizadas a operar o serviço: Bradesco, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e mais duas instituições ainda em fase de definição.

“A intenção do governo foi organizar a oferta de crédito. Existia um excesso de bancos operando o consignado. Muitos não tinham sequer agência e seus representantes chegavam com uma pasta debaixo do braço, abordando o servidor na porta do trabalho. Percebemos que o alto endividamento estava comprometendo o desempenho dos profissionais. A existência de 22 bancos e cooperativas dificultava o controle. Além de definir um pool de bancos também iniciamos em 2015 uma programação de cursos de educação financeira, que será permanente a partir deste ano”, diz o secretário de Administração de Pernambuco, Milton Coelho.

Pelas contas da Secretaria de Administração, dos 251 mil servidores do Estado (ativos, aposentados e pensionistas) 50% estão comprometidos com o pagamento de crédito consignado. A legislação estadual limita a 30% do salário o comprometimento com o consignado. O pool de bancos autorizado a operar oferece juro com teto máximo de 2,9% ao mês e a possibilidade de parcelar em até 72 vezes.

“O que define a qualidade do consignado não é a quantidade de bancos, mas a definição de critérios como os que estabelecemos agora. As instituições financeiras terão que se enquadrar às exigências”, defende Coelho. Servidores chegaram a questionar a redução do número de bancos operando o consignado, mas a própria Central Única dos Trabalhadores (PUC) defende a cautela nos empréstimos.

“São muitos os exemplos de servidores que chegam ao final do mês sem ter o que receber, em função do comprometimento do salário com consignado, cartão de crédito e outras despesas vinculadas ao salário. Já faz algum tempo que estamos tentando agendar uma reunião com os bancos e a Secretaria de Administração para discutir o assunto, mas ainda não conseguimos”, diz o vice-presidente da CUT e coordenador do Fórum dos Servidores Estaduais, Paulo Rocha, dizendo que quer fazer um balanço do comprometimento da renda do servidor com cartão de crédito.

Jornal do Commercio

 

 

Carnaval: Sintepe na Folia


carnaval_web4493O SINTEPE convida você para o seu Carnaval 2016. O tema deste ano é Educação sem carreira o bicho pega!. Vamos nos concentrar no dia 05 de fevereiro (sexta), a partir das 14h30, na Praça Oswaldo Cruz com a banda Raízes da Terra. Às 16h ganharemos as ruas do Recife acompanhados com a orquestra de frevo: Contemporânea e Raízez do Pinho. Contamos com a participação de todos para uma grande e animada festa da nossa categoria.

 ATENÇÃO: haverá distribuição de camisas (aguardem informações no site do SINTEPE).

BOM CARNAVAL !

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br  

SINTEPE em movimento


sintepeCALENDÁRIO DE PAGAMENTO

O Governo do Estado divulgou no Diário Oficial da sexta-feira (22), o calendário de pagamento contemplando os quatro primeiros meses de 2016. Repetindo o que aconteceu em 2015, o pagamento não será dentro do mês trabalhado. Mesmo sendo legal, já que respeita o limite do 5º dia útil do mês seguinte ao trabalhado, continuamos cobrando o pagamento dentro do mês de competência. Confira o calendário no site do Sintepe.

FECHAMENTO DE ESCOLAS

O SINTEPE vem acompanhando e apoiando a luta das comunidades em defesa de unidades educacionais que estão sob ameaça de fechamento. O Governo tem encontrado resistência na sua tentativa de encerrar as atividades em diversas escolas, dentre elas, a Escola Nestor Gomes de Moura em Vila Rica (Jaboatão dos Guararapes), a Escola Alice de Barros (Camaragibe) e a Escola Joaquim Nabuco (Ribeirão).

CARNAVAL

Sem perder a irreverência o Carnaval do Sintepe que será no dia 05 de fevereiro, vem com o tema: Educação sem carreira o bicho pega!

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br  

 

 

SINTEPE – Reajuste do Piso: 11,36%


Sintepe-2 (1)O piso salarial do magistério deve ser reajustado em 11,36%, retroativo a 1º de janeiro deste ano, conforme o artigo 5º da Lei 11.738/2008, passando a valer R$ 2.135,64 para jornada de no máximo 200 horas-aula mensais, com formação em nível médio, na modalidade normal.

O reajuste considera a variação do valor anual mínimo nacional por aluno referente aos anos iniciais do ensino fundamental urbano, definido nacionalmente na Lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007. A metodologia para o cálculo leva em conta os dois exercícios ao ano em que a atualização deve ocorrer.

Para discutir o alinhamento do investimento salarial para os professores com a receita dos entes federais, em novembro último, foi instalado o Fórum Permanente para o Acompanhamento da Atualização Progressiva do Valor do Piso Salarial Nacional para os Profissionais do Magistério Público da Educação Básica. O fórum acompanha uma das estratégias da meta 17 do Plano Nacional da Educação (PNE), que trata do piso.

Participaram do fórum, representantes do Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED), da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME), da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e do Ministério da educação (MEC).

Na terça-feira (12), antes do pronunciamento do Ministério da Educação, ocorrido na quinta (14), a respeito do reajuste do Piso, o SINTEPE, a partir de informações da CNTE, enviou ofício para o Gabinete do Governador do Estado, com cópias para os secretários de Educação e de Administração, reivindicando os 11,36%, por dentro do Plano de Cargos e Carreira (PCC), contemplando assim, toda a categoria, incluindo administrativos e analistas.

No mesmo ofício, cobramos, ao Governador, a sua promessa de campanha de dobrar o salário dos professores e, ainda, a diferença e o retroativo de 2015, quando conquistamos na greve 7,01% parcelados e a partir do 2º semestre. O reajuste no ano passado foi de 13,01% aplicado só no piso sem considerar a carreira.

A luta continua!

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br 

Piso salarial dos professores sobe 11,36% e passa a ser de R$ 2.135


"Muitos estados e municípios têm uma situação mais sensível, o que a gente pede é que haja disposição de diálogo, de busca de negociação entre sindicatos e governos, para que seja pactuado ? onde não há condições ?, com transparência, uma política de pag Foto: Agência Brasil

“Muitos estados e municípios têm uma situação mais sensível, o que a gente pede é que haja disposição de diálogo, de busca de negociação entre sindicatos e governos, para que seja pactuado onde não há condições, com transparência, uma política de pagamentos”. Foto: Agência Brasil

Pela lei, o piso vale a partir de janeiro, mas o ministro destacou que isso pode ser negociado entre trabalhadores e governos

Agência Brasil

O piso salarial dos professores terá reajuste de 11,36%, anunciou nesta quinta-feira (14) o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Com isso, o valor passa de R$ R$ 1.917,78, em 2015, para R$ 2.135,64, em 2016. O índice representa um aumento real de 0,69%, considerando a inflação oficial de 10,67%.

Nesta quarta-feira (13), o Ministério da Educação (MEC) recebeu dos estados e municípios pedido de adiamento do reajuste para agosto e que o índice fosse 7,41%. Ao anunciar o valor hoje, Mercadante ressaltou que a pasta apenas cumpre a lei vigente.

“Muitos Estados e municípios têm uma situação mais sensível, o que a gente pede é que haja disposição de diálogo, de busca de negociação entre sindicatos e governos, para que seja pactuado –  onde não há condições –, com transparência, uma política de pagamento do piso que seja compatível [com a situação local]”, disse Mercadante.

Pela lei, o piso vale a partir de janeiro, mas o ministro destacou que isso pode ser negociado entre trabalhadores e governos.

Lei do Piso

O piso salarial dos docentes é reajustado anualmente, seguindo a Lei 11.738/2008, a Lei do Piso, que vincula o aumento à variação ocorrida no valor anual mínimo por aluno definido no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Desde de 2009, com o início da vigência da lei, até 2015, segundo Mercadante, o piso dos docentes teve aumento real, ou seja, acima da inflação no período, de 46,05%. Mercadante disse que o percentual de aumento foi um dos maiores entre todas as categorias, públicas ou privadas, mas reconheceu que há uma desvalorização histórica dos salários dos professores.

“Herdamos uma situação de salários muito baixo dos professores. Apesar desse crescimento, ainda é um salário pouco atrativo”.

O piso é pago a profissionais em início de carreira, com formação de nível médio e carga horária de 40 horas semanais. Pela lei, os demais níveis da carreira não recebem necessariamente o mesmo aumento. Isso é negociado em cada ente federativo.

Em um contexto de crise, estados e municípios alegam dificuldade em pagar o valor definido pela lei.  Ontem, os estados pediram que o MEC complementasse o valor aos governos em situação mais delicada, o que também está previsto em lei. Mercadante disse que a complementação pode ser negociada, desde que haja uma proposta consensual entre estados e municípios. Quando receber a proposta, a pasta avaliará a viabilidade, segundo o ministro.

Histórico

Em 2009, quando a Lei do Piso entrou em vigor, o pagamento mínimo para professores passou de R$ 950 para R$ 1.024,67, em 2010, e chegou a R$ 1.187,14 em 2011. No ano seguinte, o piso passou a ser R$ 1.451. Em 2013, subiu para R$ 1.567 e, em 2014, foi reajustado para R$ 1.697. Em 2015, o valor era R$ R$ 1.917,78. Na série histórica, o maior reajuste do piso foi registrado em 2012, com 22,22%.

Apesar dos aumentos, atualmente, os professores recebem cerca de 60% do salário das demais carreiras com escolaridade equivalente. A melhora do salário dos professores faz parte do Plano Nacional de Educação (PNE), lei que prevê metas para a melhoria da educação até 2024. Até 2020, os docentes terão que ter rendimento equiparado ao dos demais profissionais com escolaridade equivalente.

 

 

CNM solicita adiamento do reajuste do piso do magistério para agosto à presidente Dilma


piso_magisterioA Confederação Nacional de Municípios (CNM) protocolou na manhã dessa terça-feira, 12 de janeiro, ofício para presidente da República, Dilma Rousseff, relativo ao reajuste do piso salarial do magistério. No documento, a CNM pede o adiamento do reajuste do piso do magistério.

Uma estimativa de receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), realizada pela área técnica da CNM, revelou que o reajuste do piso dos professores para 2016 deverá ser de 7,41%. O percentual é menor do que os 11,36% de reajuste calculado com base na receita projetada pelo governo federal, divulgada na Portaria Interministerial 8/2015.

O índice do reajuste do piso nacional do magistério tem sido fixado com base na última estimativa do valor anual mínimo por aluno, nacionalmente definido, para os anos iniciais do ensino fundamental urbano do Fundeb, que leva em conta os dois exercícios fiscais anteriores. Como anualmente o piso do magistério é divulgado entre janeiro e fevereiro, a CNM enviou ofício à presidente solicitando que o reajuste seja divulgado somente em agosto.

A situação econômica atípica deste ano, que compreende a retração da atividade econômica e seus reflexos na redução da arrecadação dos impostos que compõem a receita do Fundeb, precisa ser levada em consideração na fixação do índice de reajuste do piso. Nessa linha, a CNM reitera que o reajuste precisa ser compatível com as finanças dos Estados, Distrito Federal e Municípios, a fim de não intensificar ainda mais os conflitos entre governos e sindicatos docentes.

Desta forma, a CNM entende que se faz primordial a união de todos os entes federados neste momento e, por isso, a entidade solicita, no ofício enviado, que seja pleiteada a divulgação do reajuste do piso. Veja aqui o ofício protocolado.

Portal CNM

 

 

SINTEPE: 173 mil vidas


sintepe okHá 15 anos nascia o Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Pernambuco (SASSEPE). De lá para cá, os 173 mil beneficiários têm arcado com as despesas do plano. Enquanto esses retiraram dos seus bolsos em 2015 um montante de 19 milhões de Reais, o governo do Estado retirou apenas R$ 6 milhões e 500 mil. Essa diferença em termos de repasse acaba comprometendo a qualidade dos serviços oferecidos para os servidores que dependem do sistema.

Em termos de investimento na rede própria há muito o que se fazer, a começar com as reformas no hospital que já duram anos por falta de repasse de recursos do governo e as dificuldades de pessoal se agravam com a não realização de concurso. Devido à faixa etária dos usuários do plano, os serviços de saúde são constantemente procurados. Mais de 60% dos que necessitam de atendimento na rede têm mais de 50 anos. Os problemas de saúde, sendo os mais frequentes relacionados à voz, à coluna, às questões emocionais e ao sistema vascular se agravam por conta da demora na marcação de consultas, de exames e de cirurgias.

No ano de 2015, várias reuniões a respeito do Sassepe foram realizados entre os representantes dos servidores e do Governo para discutir o sistema de saúde. Raio X e ultrassom foram alguns exames que não estavam sendo marcados e que para 2016 já não estão sendo. A situação das três maiores prestadoras de serviço oftalmológico: Hope, Santa Luzia, e IOR melhorou. Essas melhorias são indicativos de que a luta é constante na busca de avanços para beneficiar o trabalhador.

As reivindicações da categoria são antigas: ampliação da contribuição do governo, zeramento da dívida com a rede credenciada, realização de concurso, dentre outras. Após o Carnaval, o Sintepe vai realizar assembleia, na qual atualizará as informações a respeito do Sassepe.

A luta continua!

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br 

Kaio Maniçoba quer garantir desconto para professores na compra de livros e material didático


Dep Fed Kaio Maniçoba- Crédito- Lucio Bernardo Junior _ Câmara dos DeputadosO deputado federal Kaio Maniçoba (PHS-PE) é a favor da garantia aos profissionais da educação de desconto mínimo de 20% na aquisição de livros e material didático. A sugestão é do projeto de lei PL 2098/15 de autoria do deputado Marcos Abrão (PPS-GO). Maniçoba, que é relator da matéria, deu parecer favorável à matéria que tramita na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados.

De acordo com Kaio, a medida vai beneficiar tanto os professores da rede pública quanto da área privada de ensino. ”O projeto é amplo, para beneficiar quem tenha diploma de licenciatura ou bacharelado, independente de ser da rede pública ou da rede privada, para que todos possam se capacitar”, salienta.

A proposta ainda será analisada em caráter conclusivo pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

 

SINTEPE – 2016 firmes na luta


luta2014! Isso mesmo ! Ano da campanha eleitoral para o Governo do Estado. A Educação é lembrada, está no guia eleitoral, nos palanques, nos programas de governo, nos debates, . . . e principalmente nas promessas”… vou dobrar o salário dos professores…”

2015! Logo no início do ano vem a posse! Olha a educação de novo ocupando lugar de destaque. Agora nos discursos dos eleitos e empossados. O ano começa pra valer! Governo de Pernambuco nega os 13,01% de reajuste para os professores. Que contradição!

O ano avança! Apesar da “Crise”, concursos públicos são anunciados. A desvalorização da Educação é exposta mais uma vez! Diversos concursos para nível médio com salários iniciais: o dobro, o triplo e até o quádruplo do salário do professor com nível universitário.

Apesar das mobilizações, das paralisações, das passeatas, dos atos públicos, das notas de repúdio, das marchas locais e nacionais e das greves, os profissionais de Educação continuam, no ano que passou, desprestigiados pela grande maioria dos governantes.

Em 2015, continuamos sem valorização profissional, sem formação continuada, sem uma carreira atraente, com uma jornada estressante e com precárias condições de trabalho. Com todas as dificuldades, enfrentaremos os desafios em 2016 e a nossa luta coletiva seguirá firme e forte, pois ENSINO DE QUALIDADE  passa necessariamente pela VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO.

A luta continua!

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br 

SINTEPE: Boas Festas!


O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – SINTEPE deseja a todos/as trabalhadores/as em Educação do País, Boas Festas e um Ano Novo repleto de luz, força e coragem para levar a luta adiante.

Que em 2016, consigamos, através da nossa união, conquistar outras reivindicações nessa extensa pauta, que é a chamada educação pública estadual de qualidade social. 2016 repleto de realizações.

A nossa luta segue forte !  Sintepe  www.sintepe.org.br.

A nossa luta segue forte ! Sintepe – www.sintepe.org.br.

 

 

SINTEPE – Concurso Público


O SINTEPE, considerando o grande número de contratados temporários na rede estadual de ensino, vem mantendo permanentemente em suas pautas de reivindicações a cobrança pela realização de concurso público, para o preenchimento das 17 mil e 500 vagas, ocupadas precariamente sem a realização do correto instrumento de ingresso no serviço público.

No último movimento grevista, ocorrido no primeiro semestre deste ano, a nossa categoria conquistou a realização de concurso público para professores, porém num quantitativo de 3.000 vagas, número bem inferior às 17 mil e 500, atualmente ocupadas pelas contratações ditas temporárias.

No último dia 12 de dezembro, o Governo do Estado publicou o edital de convocação para a realização do concurso. Além do quantitativo questionável somente 3.000 cagas, um outro problema são as vagas para professores de Matemática, Física e Química que podem ser preenchidas por profissionais não habilitados para a docência. Uma outra questão a ser observada e questionada no Edital, é a ausência de vagas para os componentes curriculares: História, Geografia, Filosofia, Sociologia, Língua Estrangeira e Arte.

O SINTEPE, a partir da sua instância deliberativa denominada Conselho Estadual de Representantes, encaminhará em reunião com a Assembleia Jurídica, nesta segunda-feira (21), medidas cabíveis para questionar os equívocos e as omissões do Edital publicado e cobrar as devidas providências.

 FELIZ NATAL. A nossa luta segue forte !!!

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br.  

Pernambucanos voltam às ruas contra Golpe e a favor da Democracia


#FicaDilmaAscom Sindsep-PE

Milhares de pessoas ocuparam as ruas centrais do Recife na última quarta-feira (16) em apoio à democracia brasileira e contra o golpe. Como aconteceu em todo o Brasil, militantes, integrantes de movimentos sociais, políticos e muita gente do povo, de diversas idades, vestiram-se de vermelho contra o impeachment e o ajuste fiscal e pelo #ForaCunha. No Recife, o Dia Nacional de Mobilização iniciou com uma concentração na praça Oswaldo Cruz.

#naoaogolpeNa concentração já dava para perceber que a passeata contaria com um número bem maior de pessoas do que as anteriores. “Isso aqui está parecendo com o segundo turno das eleições de 2014”, comentou o arquiteto André Aguiar. A estimativa foi de cerca de 10 mil pessoas em todo o percurso.

Da praça Oswaldo Cruz, os manifestantes seguiram em passeata pela avenida Conde da Boa Vista até o monumento Tortura Nunca Mais, na rua da Aurora. Diversas pessoas se reversavam em falas contra o impeachment nos carros de som que acompanharam o cortejo. Maracatus, orquestras  de frevo e batucadas animavam os militantes de esquerda.

“Não podemos admitir que uma presidenta da República seja condenada politicamente por causa de sua impopularidade, sem ter cometido nenhum crime. Pedalada fiscal todos já fizeram e fazem. Isso não é justificativa. Agora, estão querendo dilapidar o patrimônio do povo brasileiro e querem tirar a presidenta porque ela não está deixando isso acontecer”, comentou Graça Oliveira, coordenadora geral do Sindsep-PE.

@foracunha

O Sindicato é contra o impeachment da presidenta Dilma porque acredita que não há comprovação de crime, portanto, trata-se de mais uma manobra do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e da direita brasileira que quer assumir o poder. Cunha abriu o processo de impedimento no mesmo dia que o PT anunciou que votaria a favor do processo de cassação dele por quebra de decoro parlamentar. O deputado mentiu numa sessão do Congresso sobre a existência de contas na Suíça, que ao que tudo indica eram usadas para lavagem de dinheiro.

#ficadilma

O #ForaCunha é uma tentativa também de barrar uma agenda conservadora imposta por ele no Congresso. Desde que assumiu a presidência da casa, projetos prejudicais à classe trabalhadora foram pautados, como o PL da terceirização, a proposta de redução da maioridade penal e uma “contrarreforma” política.

“No momento que assistimos a união das forças mais conservadoras do País, que sempre trabalharam contra o trabalhador, tentando incriminar, sem motivo, uma presidenta que foi eleita pela maioria do povo brasileiro, entendemos como um golpe. E temos o dever de cerrar fileiras em defesa da democracia”, destacou o secretário-geral do Sindsep, José Carlos Oliveira.

#dilmaficaecunhasai

 

 

 

Teresa critica incorreções de Edital que prevê contratação de professores


Dep Teresa Leitão Foto Josimar Cavalcanti - AblogPEA deputada e presidente da Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa Teresa Leitão (PT) criticou na tarde dessa segunda-feira (14/12), durante reunião plenária, o edital para seleção de 3 mil professores para a rede pública estadual de ensino, publicado no Diário Oficial do Estado, no último sábado (12). De acordo com Teresa, o edital descumpre o Estatuto do Magistério de Pernambuco e ainda propõe um número de vagas insuficiente, diante dos 17.853 postos ocupados por contratos temporários.

Baseando-se em dados apresentados pelo secretário estadual de Educação, Frederico Amâncio, em audiência pública realizada no dia 19 de agosto na Assembleia, a deputada lembrou que mesmo com o concurso, haverá um déficit de mais de 14 mil servidores efetivos.

Teresa destacou, ainda, que ao permitir o ingresso de professores de Matemática, Química e Física com bacharelado em outras áreas, como Engenharia, a portaria descumpre a Lei 11.329/1996, cuja redação dispõe sobre o Estatuto do Magistério Público. Pela norma, para o exercício do cargo, é exigida licenciatura plena, compatível com a disciplina a ser ministrada. Teresa ressaltou, também, que na contratação de 342 professores para a Educação Especial, o edital não cumpre outra exigência prevista na legislação, a de cursos específicos em nível de especialização – lato sensu – com carga horária mínima de 360 horas/aula.

“Essa é uma portaria que aparentemente merece aplauso, mas quando vai analisar os detalhes, desvaloriza o professor. Que não corresponde ao perfil do magistério e a importância que sua a formação tem para o exercício profissional. Lamento e espero que o Estado possa vir a corrigir os deslizes praticados na convocação desse concurso”, registrou.

com informações da Assessoria

 

 

SINTEPE: Conselho Nacional de Entidades


lutaO SINTEPE participou nos dias 10 e 11 de dezembro, em Brasília, do Conselho Nacional de Entidades (CNE). Uma importante instância deliberativa da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), na qual o SINTEPE é filiado. O CNE reúne todos os sindicatos estaduais de trabalhadores em educação e diversos sindicatos municipais.

Na pauta do Conselho: análise de conjuntura, debate sobre à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), reajuste do piso e calendário de mobilização e atividades para 2016. Para sintonizar e articular a luta local com a programação e encaminhamentos nacionais, o SINTEPE realizará nos dias 17 e 18 desse mês, o Conselho Estadual de Representantes (CRE), previsto no estatuto do Sindicato e que reune todas as representações de base de nossa categoria.

Outro assunto é o calendário escolar de 2016. Observando a legislação e considerando ser 1º de janeiro feriado, 2 de janeiro, sábado e 3 de janeiro, domingo, as férias coletivas dos professores terão início no dia 4 de janeiro e término em 2 de fevereiro, com retorno às atividades (aulas) no dia 3. A formação continuada  planejamento acontecerá nos dias 11 e 12, quinta e sexta-feira após o carnaval.

O fechamento  de turmas em escolas estaduais, tem sido outro assunto presente na agenda do SINTEPE. Exemplo disso é a Escola Joaquim Nabuco, em Ribeirão, na Mata Sul, onde será realizada uma reunião, nesta terça-feira (15) , às 10h. Participarão da reunião: comunidade escolar, Gerência Regional de Educação (GRE). Secretaria de Educação e SINTEPE. A mobilização da comunidade Escolar é de fundamental importância para a manutenção das turmas. De acordo com os pais e estudantes há muita disposição para defender as vagas que atendem a comunidade. O SINTEPE está acompanhando tudo.

Mantendo a tradição, o SINTEPE também realizou semana passada, mais um encontro das/os Aposentadas/os. A participação foi animadíssima e contemplou esse importante segmento da nossa categoria.

 AGENDA

Após a percepção da necessidade da alteração do calendário escolar, houve entendimento entre o SINTEPE e a Secretaria de Educação que oficializará essas alterações nesta segunda-feira (14).

16/12 – Defesa da democracia, às 15h, na Praça Oswaldo Cruz.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe

www.sintepe.org.br

 

 

Edital de concurso para professores da rede estadual deverá ser lançado ainda este ano


secretário de Educação, Fred AmâncioO edital do concurso público para professores da rede estadual, previsto para ser lançado em novembro, será divulgado ainda este ano. A previsão foi feita ontem pelo secretário de Educação, Fred Amâncio, que explicou o atraso da publicação pela adição de vagas para docentes de cursos técnicos.

“O edital deve sair por esses dias, estamos nos ajustes finais. É a primeira vez que o Estado vai contratar docentes de cursos técnicos através de concurso público, então, exige-se um trabalho novo específico”, justificou Amâncio. Ele não informou, porém, quantas das 3 mil vagas anunciadas em outubro serão reservadas para a modalidade.

Pelo menos a metade dos cargos do certame será para docentes das áreas de exatas (matemática, física, química e biologia). Haverá vaga também para professores de educação especial, como libras e braille. “Queremos fortalecer o quadro de docentes da área especial, principalmente, para deficientes visuais”, revelou o secretário.

Pernambuco tem um alto número de docentes com contratos temporários – cerca de 17 mil. Segundo destacou Fred Amâncio, as contratações só podem ser feitas quando o Estado ficar abaixo do limite prudencial, ou seja, não há previsão para contratação de professores para o ano letivo de 2016. Do lançamento do edital até a conclusão do processo seletivo, são necessários cerca de quatro meses.

Jornal do Commercio

 

Página 1 de 4212345...102030...Última »