• Ceclin
out 09, 2018 0 Comentário


Socioeducandos da Funase Vitória gravam músicas de autoria própria e podem seguir como MCs

adota o nome artístico MC Rock MC Teco

Os dois adotaram os nomes artísticos como MC Rock e MC Teco. Fotos: Divulgação/Funase

Uma das composições, por exemplo, fala de saudade, arrependimento e expectativa de construir novo projeto de vida 

A expressão de sentimentos e emoções por meio da música também é uma aliada do trabalho desenvolvido pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase). Na unidade de Vitória de Santo Antão, na Mata Sul de Pernambuco, dois socioeducandos ganharam a oportunidade de gravar canções da autoria deles. A atividade foi realizada em um estúdio no bairro de Água Fria, no Recife. O resultado foi considerado satisfatório e pode abrir portas para projetos de carreiras profissionais para esses e outros adolescentes.

Socioeducandos da Funase Vitória gravam músicasA letra criada por um dos socioeducandos, D.B., de 17 anos, fala de saudade, de arrependimento e da expectativa por construir um novo projeto de vida com a chegada da liberdade. Nas mãos do produtor musical Giovanni Lima, responsável por criar os arranjos, virou o batidão romântico “Amor, senta aqui pra gente conversar”. “Sei que eu errei, eu te peço perdão / Me desculpa, meu amorzão / E quando o alvará chegar / Pro mundão eu vou voltar / Sei que eu errei, eu não vou mais errar”, diz um trecho.

O adolescente, que adota o nome artístico MC Rock, diz que já tinha gosto pela música antes de ser atendido pela Funase. “A gente veio com o papel, com o que a gente escreveu, e aqui foi feita a música”, explica.

Já a outra música, com letra do jovem M.S.C., de 18 anos, o MC Teco, é um brega funk. Ambos os socioeducandos fizeram duas visitas ao estúdio para finalizar os trabalhos. Na semana passada, a dupla participou da produção de fotos para a capa dos CDs que estão sendo preparados com as primeiras trilhas profissionais deles. “O retorno está sendo muito positivo. Eles dizem que jamais imaginavam estar fazendo uma atividade como essa, realizando um sonho, dentro da Funase”, explica a coordenadora técnica do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Vitória de Santo Antão, Karolinna Ferreira, que acompanhou os socioeducandos no estúdio.