• Ceclin
mai 16, 2016 0 Comentário


SINTEPE: Novo Ministro da Educação não nos representa

Entrevista com o lider do DEM, Mendonça Filho

Quando vice-governador de Pernambuco e depois governador, substituindo Jarbas Vasconcelos, então candidato ao Senado, o agora Ministro da Educação, Mendonça Filho, impôs um brutal arrocho salarial à nossa categoria. Não satisfeitos, Jarbas e Mendonça tentaram enfraquecer o SINTEPE, cortando o desconto consignado para o sindicato. O que consistiu na época, em proibir a contribuição mensal e espontânea do filiado para a sua entidade sindical, que era operacionalizada através da folha de pagamento e previdência autorizada pelo sindicalizado, sendo, portanto, o desconto efetuado na própria remuneração do trabalhador em educação em favor do SINTEPE.

Com a medida, o governo Jarbas/Mendonça dificultou de forma bastante acentuada a arrecadação financeira do nosso sindicato. O efeito foi contrário ao esperado pelo governo. Com o lema: SINTEPE vivo, ativo e combativo, mantivemos toda a tradição de luta do nosso sindicato, mesmo com todas as dificuldades impostas pelo governo Jarbas/Mendonça. O autoritarismo e a arrogância foram marcas da passagem de Mendonça Filho pelo Governo de Pernambuco. No Congresso Nacional, verificamos a postura de Mendonça Filho, enquanto deputado federal não mudou. Mendonça conseguiu apenas um novo título: golpista.

Na verdade, Mendonça Filho, enquanto gestor público não deixou saudades naqueles que, efetivamente, fazem a educação pública estadual em Pernambuco, a não ser para os seus apadrinhados políticos. A avaliação que fizemos do governo Jarbas/Mendonça não foi exclusiva nossa. O povo pernambucano que rejeitou, nas urnas, a continuidade do governo Jarbas/Mendonça, compartilhou conosco a opinião de que a gestão iniciada por Jarbas Vasconcelos e concluída por Mendonça Filho não era digna do respeito e da confiança da população. Assim, com essas lembranças, não podemos projetar boas expectativas para o desempenho de Mendonça Filho à frente do Ministério da Educação, que a partir de agora acumula a pasta da Cultura.

No plano local, a negociação da Campanha Salarial Educacional 2016 não será no dia 19. Recebemos um ofício da Secretaria de Educação, solicitando esclarecimentos sobre cinco pontos da nossa pauta de reivindicações. Vale lembrar que a negociação marcada para o dia 10 não aconteceu, pois, cumprindo deliberação da última assembleia, a Comissão do SINTEPE se recusou a negociar sem a presença do Secretário de Administração.

 

#TAMOJUNTOPELAEDUCAÇÃO

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco – Sintepe