• Ceclin
dez 18, 2017 0 Comentário


Romero, irmão do prefeito de Vitória, será o presidente da Câmara a partir de 2019

De perfil discreto, silente e de nunca ter se utilizado da Tribuna para se posicionar sobre nada, Romero Queralvares foi eleito presidente da Câmara de Vitória. Foto: Arquivo

De perfil discreto, silente e de nunca ter se utilizado da Tribuna para se posicionar sobre nada, Romero Queralvares foi eleito presidente da Câmara de Vitória. Foto: Arquivo

Por Lissandro Nascimento

Durante sessão extraordinária realizada no final da tarde desta segunda-feira (18/12), a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão, na Mata Sul, decidiu antecipar a eleição da próxima Mesa que irá conduzir os trabalhos da Casa Diogo de Braga no biênio 2019/2020. Para isso, a unanimidade do Legislativo consagrou a eleição do vereador Sérgio Romero Glaser Queralvares, chamado de Romero Queralvares, do PSB, irmão do atual prefeito de Vitória, Aglailson Júnior (PSB).

Impossibilitado de concorrer a reeleição, o atual presidente Edmilson Zacarias, o Novo da Banca (PSD), preferiu compor um “acórdão” na Casa e assegurou a partir de 2019, o cargo de 1º Secretário. Em virtude da reeleição do presidente não ser permitida pela Lei Orgânica e o Regimento Interno da Câmara (mecanismo alterado na legislatura passada para evitar a reeleição do ex-vereador Edmo Neves), Novo da Banca, em seu quinto mandato consecutivo, até então não conseguia aglutinar a maioria necessária para alterar esse impedimento, pois a oposição composta por oito parlamentares não aceitava aprovar a reeleição.

Atual presidente da Câmara de Vitória, Novo da Banca, se articula para assegurar reeleição no cargo. Foto: Arquivo / AVV Imagem

Atual presidente da Câmara de Vitória, Novo da Banca está impedido da reeleição no cargo. Foto: Arquivo / AVV Imagem

De pronto, Romero Queralvares foi eleito como o próximo presidente da Câmara de Vitória a partir de 2019, tendo o Irmão Celso Bezerra (PSDB) como 1º Vice-presidente, Antonio Gabriel – Toninho (PRB) eleito como 2º Vice-presidente, Novo da Banca – 1º Secretário e Carlos Frasão (PRP) na 2ª Secretaria.

Na votação aberta entre os 19 parlamentares, apenas Toninho e Frasão tiveram uma abstenção cada. Alegando que ambos não haviam externado pessoalmente o pedido de voto ao mesmo, o vereador Mano Holanda (DEM), protagonizou as únicas abstenções registradas no pleito. A sessão foi acompanhada pelo Secretário de Governo da Prefeitura de Vitória, Lívio Amorim, bem como o Procurador Municipal Waschington Amorim.

De perfil discreto, silente e de nunca ter se utilizado da Tribuna para se posicionar sobre nada, Romero Queralvares denota no seu perfil na Câmara que o seu forte mesmo são as conversas e articulações nos bastidores políticos da Casa. Em sua breve fala após ser eleito por unanimidade, Romero pediu que seus pares o ajudassem na condução da Casa quando ele vier assumir, frisando ainda que a futura gestão terá o dialogo como preceito básico.

Uma questão que ficou na estranheza política foi o fato de Novo da Banca desistir antecipadamente da sua reeleição, pois ele teria ainda o ano de 2018 para tentar a mudança na legislação e buscar por conquistar mais votos, a fim de assegurar o mecanismo de renovação do cargo, contudo, se entregou a esse desfecho político. Outra dificuldade encontrada pelo atual presidente seria o gradativo fortalecimento da bancada de oposição que já sinalizava a vontade em ter André de Bau (PSD) como provável candidato a presidência. Logo, com Romero na presidência, o prefeito de Vitória terá no irmão a certeza de que os projetos serão votados “à toque de caixa”, menosprezando o papel das Comissões legislativas que detêm a atribuição em analisar antecipadamente todos os projetos de lei que irão à votação no Plenário.