• Ceclin
out 18, 2017 0 Comentário


Protestos fecham rodovias contra cortes no orçamento para a classe trabalhadora

Manifestantes-bloquearam-os-dois-sentidos-da-BR-101-em-Escada-Foto-Divulgação-PRF

Manifestantes bloquearam os dois sentidos da BR-101 em Escada. Foto: Divulgação / PRF

Protestos fecham rodovias federais em Pernambuco. Os atos são realizados contra o corte no orçamento 2018 para a agricultura

Uma série de protestos interdita rodovias federais em diversas partes de Pernambuco na manhã desta quarta-feira (18/10). Os manifestantes fazem parte de vários movimentos sociais do Estado. No total, nove trechos de rodovias que cortam o Agreste, Sertão, Zona da Mata e Região Metropolitana do Recife estão interditados.

Os movimentos são organizados pela Federação dos Trabalhadores da Agricultora de Pernambuco (Fetape), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG). Uma das reivindicações também é o orçamento para a agricultura pelo Governo Federal em 2018, destinado à classe trabalhadora, como a verba para a reforma agrária e a agricultura familiar.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), há interdições na BR-101, em Goiana, na BR-408, em Paudalho, na Zona da Mata Norte, na BR-101 em Escada, na Zona da Mata Sul, e na BR-232, em Moreno, no Grande Recife. Ao todo, são nove pontos de bloqueio no Estado, contando com o protesto nos dois sentidos de um trecho da BR-232 em Caruaru, Agreste de Pernambuco. Ainda em Serra Talhada, no Sertão. Os dois bloqueios causam retenções nos trechos da rodovia. Na cidade de Belém de São Francisco, no Sertão do São Francisco, há três bloqueios: nas Brs 116, 428 e 316.

Às 9h40, a BRs 232 foi totalmente liberada, assim como o bloqueio em Escada.

A mobilização também faz parte da Jornada Nacional de Lutas de Outubro. Iiniciada segunda-feira passada, com mobilizações em nove Estados e no Distrito Federal, a Jornada atingiu 16 unidades da federação nesta terça-feira. São mais de 15 mil trabalhadores realizando ações em todo país.

Foram ocupadas sedes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) nas seguintes localidades: Fortaleza, João Pessoa, Recife, Petrolina-PE, Maceió, Salvador, Ponto Novo-BA, Aracaju, Palmas, São Luís, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, São Paulo e Belo Horizonte.

CORTES - No Ministério do Desenvolvimento Social, os cortes no orçamento para a promoção da inclusão de famílias em situação de pobreza são de 52,5%; na distribuição de alimentos a grupos tradicionais a redução de recursos é quase total:   99.4%; e no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), nas modalidades de compra com doação simultânea, aquisição de sementes e compra direta os cortes chegam a 99,8%, saindo de R$ 318.627.982,00, em 2017, para R$ 750.000,00 , em 2018.

Os recursos para a obtenção de terras para a reforma agrária serão reduzidos drasticamente de R$ 257 milhões para R$ 34,2 milhões; enquanto os voltados para Habitação cairão de R$ 6,9 bilhões (2017) para R$ 0,00 (2018).