• Ceclin
set 01, 2015 0 Comentário


WhatsApp: Pontilhão da antiga estação ferroviária de Vitória em precárias condições físicas

Pelo aplicativo de mensagens WhatsApp, o leitor pode encaminhar sua sugestão de conteúdo para nossa equipe, com fotos, vídeos, denúncias e reclamações. Basta adicionar nosso número (81) 9 9992-9364 e ver sua matéria publicada no maior Portal de Notícias da região.

Pelo aplicativo de mensagens WhatsApp, o leitor pode encaminhar sua sugestão de conteúdo para nossa equipe, com fotos, vídeos, denúncias e reclamações. Basta adicionar nosso número (81) 9 9992-9364 e ver sua matéria publicada no maior Portal de Notícias da região.

O pontilhão da antiga estação ferroviária, popularmente chamado de “Trepa Bode”, o qual facilita o deslocamento dos transeuntes para o Centro Comercial da Vitória de Santo Antão, há quase um século foi construído para oferecer segurança ao Bairro do Livramento, em virtude do intenso movimento dos vagões dos trens que passavam, até três décadas atrás, na capital da Zona da Mata, servindo também como facilitador de acesso a comunidade escolar do inestimado Colégio Municipal 03 de Agosto.

Hoje representa “descaso e abandono” por parte do Prefeito Elias Lira (PSD), que menospreza o patrimônio público e se utiliza das praças públicas a sua volta para empreender licitações milionárias, que futuramente a história dirá que foi uma intervenção de envergonhar os cofres públicos da República da Terra das Tabocas. O Trepa Bode se tornou uma preocupação para moradores, comerciantes e pais de alunos que transitam na localidade.

De acordo com os relatos enviados para nosso WhatsApp A Voz da Vitória (81) 9 9992-9364, há constantes assaltos e tem representado perigo de acidentes, pois não há por onde evadir-se, caso o cidadão seja surpreendido pelos atos infratores, diante das condições físicas precárias do acesso, que nem corrimão há mais. O local virou ponto de encontro entre usuários e traficantes de drogas que se aproveitam também da ausência de iluminação no local. Há denúncias, inclusive que atestam, o fato de adultos e adolescentes também usarem do espaço para se prostituirem.