• Ceclin
set 13, 2018 0 Comentário


Na Mata Sul, Usina Agrocan/Pumaty vai gerar cerca de seis mil empregos diretos

Na Mata Sul, Paulo Câmara celebra início da safra 20182019 da Usina AgrocanPumaty . Fotos: Douglas Fagner/SEI

Na Mata Sul, Paulo Câmara celebra início da safra 2018-2019 da Usina AgrocanPumaty . Fotos: Douglas Fagner/SEI

Gerando cerca de seis mil empregos diretos na região, a expectativa é de que sejam produzidas 700 mil toneladas de cana-de-açúcar este ano, movimentando R$ 100 milhões na economia local

JOAQUIM NABUCO - Em visita à Mata Sul pernambucana, na ultima quarta-feira (12.09), o governador Paulo Câmara (PSB) deu início oficialmente à moagem da safra 2018/2019 de cana-de-açúcar da Usina Agrocan/Pumaty. A unidade, que foi reaberta em 2015, conta com incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado. Atualmente, o parque fabril emprega diretamente cerca de seis mil pessoas da região, gerando uma movimentação econômica de aproximadamente R$ 100 milhões. A expectativa é moer 700 mil toneladas de cana-de-açúcar nesta safra.

“Está de parabéns a Agrocan por, pelo quinto ano consecutivo, conseguir gerar emprego e renda e fazer a Usina Pumaty, que tem tanta tradição, servir aos pernambucanos. É muito importante para a economia e para a geração de emprego. Vamos continuar apoiando o setor e ajudando na questão tributária. A Usina vai continuar moendo se depender de nossa vontade. Mas sabemos que ainda temos muito o que fazer com relação à atração de indústria, de investimentos e de emprego porque isso é fundamental para o desenvolvimento dessa e de outras regiões”, ressaltou o governador.

Usina Agrocan PumatyPara a retomada e desenvolvimento do setor no Estado, o Governo de Pernambuco concedeu benefício fiscal nas operações com Álcool Etílico Hidratado Combustível (AEHC), proporcionando uma redução de 50% na carga tributária para usinas em recuperação judicial inativas há mais de um ano e que estejam arrendadas a cooperativas de produtores de cana-de-açúcar. O setor também foi beneficiado com a alteração das alíquotas do ICMS do álcool, reduzidas de 25% para 23%.

Em média, o faturamento do setor é de R$ 2,4 bilhões anuais, dos quais aproximadamente R$ 552 milhões são arrecadados para o Estado por meio do ICMS. “Essa usina tem uma repercussão muito importante para a economia da região, porque gera trabalho, gera renda e gera negócios. Uma usina dessas, com essa capacidade, movimenta diversas atividades econômicas direta e indiretamente no período da moagem. É dinheiro que circula na região”, defendeu o secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Wellington Batista.

Satisfeito com o início de mais uma safra, o diretor da Cooperativa do Agronegócio da Cana-de-Açúcar (AGROCAN), Gerson Carneiro Leão, agradeceu aos funcionários e a parceria com o Governo do Estado. “Nossos funcionários são os responsáveis pela volta da moagem. E eu sou muito agradecido a eles por toda dedicação, pelo amor à causa que eles demonstraram, e por isso merecem todo nosso respeito. Mas eu não podia deixar de agradecer também ao Estado, que reduziu a carga tributária, tornando possível a nossa chegada aqui, hoje”, pontuou. Desde sua reabertura, a unidade já produziu mais de 1 milhão de toneladas de cana.

Empregado desde a reabertura do parque fabril, Ivanildo Ireno, de 56 anos, também comemorou a nova safra, o que para ele significa a garantia do sustento de sua família. “Foi uma benção essa usina ter voltado a operar. A gente vivia aqui desempregado, fazendo bicos, o maior sufoco. E, hoje, nós estamos trabalhando aqui na Usina, recebendo o salário em dia. É a renda que nós temos”, disse.

EMPREGO E RENDA - Atualmente, Pernambuco é o segundo maior produtor de cana-de-açúcar do Nordeste, com uma produção média estimada em 12 milhões de toneladas/ano, gerando cerca de 265 mil empregos diretos e indiretos. O setor sucroalcooleiro é o que mais emprega no Brasil. Atualmente, em Pernambuco, 13 usinas estão em operação. São mais de 40 municípios pernambucanos que têm na indústria sucroalcooleira a sua principal atividade, sendo a Zona da Mata a maior produtora do Estado. Na safra 2017/2018, a produção chegou a 11 milhões de toneladas: 353.145 m³ de etanol e 809.527 toneladas de açúcar.