• Ceclin
jan 15, 2018 0 Comentário


Multidão acompanha sepultamento de casal envolvido em tragédia familiar

Vizinhos do casal ficaram perplexos com o crime Foto: Reprodução

Vizinhos do casal ficaram perplexos com o crime e sepultamento levou centenas de pessoas às ruas. Foto: Reprodução / Leitor

Morte em Vitória volta a chamar a atenção para casos de violência contra a mulher. De maio a novembro do ano passado, 46 mulheres foram vítimas de feminicídio, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS)

O fim de semana foi de tristeza em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul pernambucana. O soldado da Polícia Militar José Ailton Francisco da Silva, de 36 anos, matou a esposa, Daiana Joice Silva Serafim, de 25 anos, e se suicidou em seguida.

O corpo do PM, lotado no 21° Batalhão/GATI, foi velado na igreja católica do bairro Jardim Ipiranga (Paróquia de Santa Luzia), onde o casal morava. De acordo com a Polícia Militar (PM), o crime aconteceu na manhã do sábado (13/01), na residência do casal. A motivação ainda é desconhecida.

Centenas de pessoas acompanharam o sepultamento do casal quando caminharam do Jardim Ipiranga até o Cemitério São Sebastiao de Vitória de Santo Antão, na tarde do domingo (14). Na saída do enterro vários veículos da PM e fileiras formadas por policiais militares guiavam a multidão, também foi acompanhada por inúmeros veículos e motoqueiros, sob forte comoção de familiares e amigos. Vizinhos do casal ficaram perplexos com o crime. Dayanne e José Ailton viviam juntos havia cerca de dez anos e não tinham filhos. Testemunhas relataram que os corpos do casal foram encontrados na cozinha e na sala da residência deles.

. O soldado da Polícia Militar José Ailton Francisco da Silva, de 36 anos, matou a esposa, Daiana Joice Silva Serafim, de 25

A família de José Ailton não permitiu que a imprensa acompanhasse o velório. No sábado, o mecânico Wedson Carvalho, 32 anos, que conhecia o PM desde quando ambos eram crianças, mostrou-se surpreso. “Na semana passada, marcamos de assistir a um jogo de futebol. Ailton foi na minha oficina, prestei um serviço para ele. Parecia tranquilo. Foi uma surpresa o que aconteceu”, destacou.

A Polícia Civil deve se pronunciar nesta segunda-feira sobre o caso, que será conduzido pelo delegado João Gaspar Ribeiro, da 17ª Delegacia de Homicídios de Vitória. De maio a novembro do ano passado, 46 mulheres foram vítimas de feminicídio, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS): oito no Recife, seis em outras cidades da Região Metropolitana e 32 no interior do Estado. Outras 30.182 mulheres sofreram violência doméstica e familiar em Pernambuco, de janeiro a novembro de 2017.

OUTROS CASOS

A estudante de pedagogia Remis Carla Costa, de 24 anos, foi assassinada no dia 17 de dezembro do ano passado pelo namorado, o pedreiro Paulo César de Oliveira Silva, 25 anos, no Recife. Após matá-la, ele enterrou o corpo num terreno próximo da sua casa, no bairro da Caxangá, Zona Oeste da cidade. Remis só foi encontrada sete dias depois. Paulo foi preso e está no Cotel, em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Outra vítima recente de feminicídio foi Marcela Gomes Leite, 32 anos, auxiliar de ensino, assassinada com mais de 30 facadas no dia 26 de dezembro, no bairro de Aguazinha, em Olinda, no Grande Recife. Ela foi encontrada com sinais de violência sexual, apresentando ferimentos nas costas, tórax e rosto. O suspeito de praticar o crime era vizinho dela.