• Ceclin
fev 22, 2016 0 Comentário


Guaiamum Treloso reúne Orquestra Ciclone e foliões para ressaca

Orquestra de Frevo Ciclone agita o Guaiamum Treloso de Casa Forte. Foto - Pedro Silva / A Voz da Vitória / Cobertura Fest.

Orquestra de Frevo Ciclone agita o Guaiamum Treloso de Casa Forte no Recife. Foto – Pedro Silva / A Voz da Vitória / Cobertura Fest.

 

Dez dias depois da Quarta-feira de Cinzas, que encerrou oficialmente o carnaval do Recife e Olinda, ainda teve gente botando o bloco na rua. O tradicional Guaiamum Treloso, com mais de 20 anos de folia no currículo, resolveu reunir foliões que ainda aguentavam frevo no pé, maracatu e uma cerveja gelada. A concentração ocorreu na Rua Dr. Samuel Lins, próxima à Paróquia de Casa Forte, na Zona Norte do Recife. Inicialmente, o bloco desfilaria pelas ruas do Poço da Panela, bairro histórico que sempre recebeu a agremiação carnavalesca. No entanto, em função da Festa de Nossa Senhora da Saúde, que ocorre na localidade, a direção do Guaiamum Treloso transferir a festa para Casa Forte. Este ano, o bloco não realizou o tradicional desfile pelo Poço da Panela e entorno, uma vez que houve uma mudança na programação.

“Este ano não realizamos o desfile de rua por conta do novo formato que levamos a Aldeia, o Guaiamum Treloso Rural. Seria no Poço da Panela, mas com a Festa de Nossa Senhora da Saúde entramos em um consenso de que seria melhor transferir para Casa Forte”, explicou Felipe Cabral, um dos fundadores do bloco. Razões para o desfile dez dias depois o fim do carnaval? “Alegria, nada mais. A diversão justifica o encontro, mesmo após o carnaval, de forma muito sadia”, pontuou Cabral.  Nas edições passadas, o desfile era organizado 15 dias antes da abertura oficial do carnaval. Muita gente, por diferentes razões, não conseguia brincar. Até mesmo que não curtiu o carnaval resolver aproveitar a festa hoje. Caso do analista de suporte Eric Lages. Morador da rua onde o Guaiamum Treloso concentrou, ele levou a filha Valentina, de 1 ano e dois meses, para dar os primeiros passos na folia com direito a fantasia de Mulher Maravilha.

“Eu e minha esposa não brincamos este ano por conta dela, que ainda é muito novinha. Mas como hoje o bloco concentrou aqui na frente do prédio nós viemos com ela para dar uma olhada. Está mais calmo e o clima familiar ajuda muito, a brincadeira fica até mais segura”, disse Eric. Valentina estava sorridente ao ver a Orquestra de Frevo Ciclone fazer o público rasgar o passo. Além do grupo, o Maracatu Casa Forte, do Mestre Ulisses Santana, também animou o Treloso.

A Orquestra de Frevo Ciclone, sob a regência do Maestro Givaldo Barros, da cidade de Vitória de Santo Antão, foi a responsável por animar a festa por mais de quatro horas de folia “ A orquestra é muito boa, além de tocarem  as tradicionais musicas do nosso frevo os meninos inovaram coisa que eu nunca vi por aqui” Destacou um dos organizadores da festa.

Mestre Chacon, do Maracatu Nação Porto Rico, agremiação homenageada do carnaval 2016 do Recife no ano em que celebra 100 anos de existência e que se sagrou campeã do Grupo Especial, foi convidado pela direção bloco para participar do desfile, assim como Mestre Teté, do Maracatu Almirante do Forte, campeão da Série B do carnaval, que também entrou na brincadeira.

 

com informações do Diário de Pernambuco