• Ceclin
jun 05, 2018 0 Comentário


Fazendo as contas da Prefeitura de Vitória de Santo Antão

Prefeito Aglailson Júnior continua um verdadeiro Tio Patinhas. Foto: Divulgação / PMV

Prefeito Aglailson Júnior continua um verdadeiro Tio Patinhas. Foto: Divulgação / PMV

Por Elias Martins 

No final de Janeiro do ano em curso, anunciei no A Voz da Vitória, as primeiras impressões sobre o comportamento do Prefeito Aglailson Júnior (PSB) em relação à estratégia de aplicação dos recursos que fluem sobre as contas do Município de nossa Vitória de Santo Antão.  Um verdadeiro Tio Patinhas.

Na época anunciei que indiferente a todos os “N” problemas encontrados nos diversos segmentos de Prestação de Serviços de responsabilidade da PMVSA, o prefeito, de acordo com o Relatório Resumido de Execução Orçamentária – RREO, elaborado pelo Contador do Município e referendado pelo atual prefeito, de uma Arrecadação total de R$ 245.414.099,78, houve uma poupança de R$ 33.257.654,00 (SUPERAVIT).

Ao se iniciar um novo ano (Exercício 2018), zeram-se os contadores financeiros de entrada, preservando a memória dos recursos que ficaram em contas no dia 31 do ano anterior.

Como venho acompanhando as contas de nosso Município de Vitória passo a passo, pois tem sido para mim um verdadeiro laboratório de geração de relatórios mais eficientes na apresentação de meu trabalho de Consultoria pelas cidades pernambucanas afora, anunciei em redes sociais replicando as informações contidas no RREO 1/18 emitido em 30.03.2018, cujos números apresentados elevaram as Reservas do Município para R$ 47.053.487,57 nos primeiros 14 meses da atual gestão.

Emitido o RREO 2/18 no ultimo dia 30.05.18, surge uma informação que nos salta aos olhos. As Reservas teriam caído em apenas dois meses para R$ 16.295.638,38.  Quase Trinta Milhões de Reais teriam sido gastos das reservas, somados aos Quarenta e Nove milhões e meio arrecadados entre Março e Abril de 2018.  Cheguei a anunciar em Redes Sociais, mas pela estranheza do volume, resolvi conferir.  Pois bem! Lembrem-se que ao se iniciar o ano, os contadores financeiros de entrada são zerados, preservando a memória dos recursos que ficaram em contas no dia 31 do ano anterior.

Receitas 2018 PMV

São seis relatórios bimestrais dentro de cada ano. Significa dizer que, a partir do segundo, até o quinto, descartam-se os anteriores, somando-se o resultado do novo ao resultado do fechamento do ano anterior.  No Sexto e ultimo, descartam-se todos os anteriores, por se tratar do fechamento do ano (Exercício).

Portanto, não eram R$ 47 milhões em 28.02.2108 e sim R$ 42,8 milhões.

Também não eram R$ 16,2 milhões em 30.04.18, e sim R$ 49,5 milhões.

Tio Patinhas continua ativo em toda sua plenitude!!!

A Saga continua…           “PLANEJAMENTO ZERO”

E os Vitorienses continuam a sofrer pelas suas péssimas escolhas!

Erro Contábil ou Malícia de Gestão?

Lembrando que os Tribunais responsabilizam os Prefeitos pelas informações consolidadas. Os relatórios são assinados eletronicamente, com a ultima assinatura, sempre do Prefeito.

Por Fim, comparando os períodos de Jan à Maio 2017/2018 temos os seguintes números de Vitória de Santo Antão:

Receita Corrente Liquida 2018 PMV

Estes números desmistificam a ideia de que o Município não pode cumprir a determinaçâo da Portaria Ministerial MEC 1.595/17, reajustando os vencimentos dos professores em 6,81% no ano em curso.

E os gastos com Pessoal?  Não há como jogar mais a culpa na gestão anterior.

Depois de fechar as despesas em 54,92% em Dezembro de 2017,  resolveu desobedecer a orientação conjunta do TCE-PE e MPPE, subindo as despesas para 56,52% no Relatório de Gestão Fiscal de abril/18, observando-se um pequeno detalhe:

Os gastos com Pessoal Comissionado e Contratos, cresceu aproximadamente 17,53%, saltando de R$ 31 milhões de Janeiro/Dezembro 2017, para aproximadamente R$ 36,5 milhões entre Mai/17 e Abr/18.

Haaaaaaa!!!!

E sabem aquela Casta que venho falando a tempo de 31 Servidores que custaram ano passado pouco mais de R$ 12 milhões em vencimentos aos cofres de nosso Município?

A nova plataforma do RGF 2018, mostra ao cruzarmos o mesmo com Demonstrativos do VitóriaPrev, que eles custam anualmente, quase o custo de todo o Corpo Funcional Efetivo da Secretaria de Saúde de Vitória de Santo Antão, que em 2017 era de 396 Servidores, e que foi de R$ 13 milhões de Reais.

POBRE VITÓRIA!!!!

 Elias Martins (14.444)

 

Por Elias Martins, 

consultor em Gestão Pública e Colunista do Blog.

 

 

 

 

LEIA TAMBÉM:

VITÓRIA DE SANTO ANTÃO – Relatório de gestão 2017 destaca maior volume de demissões de efetivos da história do Município

- Dinheiro parado, a história se repete na Prefeitura de Vitória

Prefeitura de Vitória: poupando de um lado, excedendo de outro