• CEAM
  • Ceclin
mai 06, 2010 20 visualização 11 Comentários


Faculdade Miguel Arraes: do pó ao pó

O que foi feito do projeto da Faculdade Miguel Arraes no Centro da Vitória, substituída por uma franquia de Cursos Profissionalizantes?
Vitória de Santo Antão já se estabelece como polo universitário da região, saindo fortalecido com o possível ingresso da Faculdade idealizada pela família Querálvares. O ex Prefeito e Vereador licenciado da Vitória, José Aglaílson (PSB) rompeu de vez com esta contribuição para a cidade, a partir do momento que não vai mais instalar a Faculdade no Centro do Município.
Afastado da Câmara de Vereadores para assumir um suposto cargo de Assessor no Palácio do Campo das Princesas, Aglaílson com esta iniciativa de não instalação da Faculdade passa a ideia de que não tem mais interesse com a Terra das Tabocas.
A Faculdade Miguel Arraes (FMA) em que ele tanto fazia gosto em divulgar nos seus meios de comunicação, atestando que a instituição de ensino superior seria para o filho do homem do campo, não passou de uma ilusão a estes jovens que tanto sonharam em um dia com a possibilidade de fazer um curso superior “a baixo custo”.

Em suas declarações o ex Prefeito José Aglailson sempre ressaltou que no início de janeiro de 2010 a Faculdade de Direito Miguel Arraes e diversos outros cursos de nível superior, entre os quais Pedagogia, Gestão em Cidades e Rádio e TV, entrariam na grade curricular da instituição.

O que foi tão alardeado na campanha política passada chegou a ser cantada em versos e prosas, sucumbiu antes mesmo de tomar forma.
A tão esperada e desejada Faculdade Miguel Arraes voltou ao pó mesmo antes do sopro de vida e foram fazer parte do legado de promessas vazias, juntamente com o Restaurante Popular e o Projeto da Sulanca com suas incontáveis máquinas de costura industrial, ambas abandonadas desde a gestão anterior.
Para a população da Vitória de Santo Antão resta agora estudar muito para tentar uma vaga no campus local da UFPE ou pagar mensalidades nas outras duas faculdades particulares do Município.

Como prêmio de consolação está sendo implantado no local que ia ser a FMA, um curso técnico de uma franquia chamada NIPOTEC.
Confira o site desta franquia http://www.gruponip.com.br/ , que está oferecendo cursos técnicos e profissionalizantes ao preço de suas mensalidades de R$ 60,00.

Parece que o vereador licenciado ao se afastar de seu cargo indo fazer parte do estaff estadual levou com ele alguns sonhos de emprego, formação acadêmica e o mínimo que o cidadão de poucos recursos poderia ter: alimentação a baixo custo.

por Emerson Lima.