• Mata Sul
  • Ceclin
nov 10, 2017 0 Comentário


Dos 04 PMs presos na Operação em PE, 03 seguem para prisão e um recebe tornozeleira

operação-pf

Tenente-coronel fica preso em regime domiciliar, enquanto dois coronéis e um coronel aposentado foram levados

Os quatro oficiais da Polícia Militar de Pernambuco presos temporariamente pela Polícia Federal (PF), na quinta (9/11), tiveram participação efetiva nas fraudes de recursos federais destinados a ações de reconstrução de cidades pernambucanas atingidas por enchentes, neste ano e em 2010. A informação foi repassada pela PF, no fim da manhã, durante o balanço da Operação Torrentes. São investigadas fraudes que podem chegar a até 30% em contratos que totalizam R$ 450 milhões para compra de comida, colchões, filtros de água e lonas de proteção para flagelados das cheias na Zona da Mata Sul do Estado.

De acordo com decisão da juíza titular da 36ª Vara Federal, Carolina Souza Malta, os presos Antônio Manoel de Andrade Junior, Antônio Trajano da Rocha Neto, Heverton Soares da Silva, Ricardo Henrique Reis dos Santos, Ricardo José de Padilha Carício, e Daniel Pereira da Costa Lucas, foram encaminhados para o COTEL em cumprimento à ordem de prisão temporária pelo prazo de 05 dias.

Laurinaldo Félix Nascimento teve decretada sua prisão domiciliar com monitoramento eletrônico, em razão da necessidade de submissão a procedimento médico em hospital particular, previamente marcado.

Roseane Santos Andrade, Taciana Santos Costa, Rafaela Carrazzone da Cruz Gouveia Padilha e Rafaela Carrazzone da Cruz Gouveia Padilha foram encaminhadas para a Colônia Penal Feminina do Recife (Bom Pastor) em cumprimento à ordem de prisão temporária pelo prazo de 5 dias.

Fábio de Alcântara Rosendo, Roberto Gomes de Melo Filho e Waldemir José Vasconcelos de Araújo foram encaminhados para recolhimento na Academia da Polícia Militar do Estado de Pernambuco, em Paudalho, em cumprimento à ordem de prisão temporária pelo prazo de 5 dias.