• Ceclin
  • SESI
set 26, 2011 17 Comentários


Delegado já identificou suspeito de executar mulher de Glória do Goitá

Emanaíra teve o corpo carbonizado no Engenho Una 

com informações de José Sebastian

O corpo carbonizado da mulher que foi encontrado em um matagal da Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul do Estado, na última sexta-feira, foi da jovem Emanaíra Costa da Luz, de 28 anos. Ela era funcionária de uma fábrica de alimentos que funcionava na cidade e estava desaparecida desde a última quinta-feira. Além de queimado, o corpo estava amarrado e com uma perfuração na nuca.

De acordo como a tia da vítima, que se identificou como Jane, o corpo de Emanaíra foi encontrado por moradores de uma localidade conhecida como Engenho Una. Emanaíra saiu para trabalhar na quinta-feira e não voltou mais para casa. “Quando a mãe dela foi atrás, descobriu que nem na fábrica ela tinha chegado. Só recebemos a notícia na sexta-feira à noite. Foi tudo muito chocante, muito cruel”, comentou Jane.

No local do crime, a polícia encontrou duas garrafas de refrigerante vazias e uma fita crepe. O material foi levado para o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) para a realização de perícias. “Temos um suspeito, mas iremos em busca de indícios que possam embasar a sua prisão”, comentou o delegado de Vitória de Santo Antão, que está responsável pelo caso, Halisson Pontes. O Delegado não descarta nenhuma hipótese, mas a principal linha de investigação  é de crime passional.

A partir de hoje, o delegado já inicia a coleta de depoimento dos familiares de Emanaíra. A jovem deixou uma filha de seis anos, que agora será criada pelos pais. Emanaíra já foi casada. Ela se separou do marido há cerca de três anos e estava namorando há mais ou menos dois anos com outro homem. O corpo da jovem foi liberado do IML por volta das 16h do sábado. De lá, foi levado por familiares ao município de Glória de Goitá, onde ela morava, e enterrado no cemitério municipal.

 Confira o vídeo…