• Ceclin
fev 18, 2016 0 Comentário


Concursados cobram maior transparência da Prefeitura da Vitória de Santo Antão

Protesto PMV 18.02.16

por Lissandro Nascimento

 

Mais uma manifestação ocorreu na manhã desta quinta-feira (18/02) por parte dos aprovados no último concurso público da Prefeitura da Vitória de Santo Antão, Zona da Mata. Composto por dois grupos de interesses distintos, eles juntaram os classificados dentro do número de vagas que ainda não foram convocados, a exemplo dos professores do fundamental II, motoristas, nutricionistas; bem como o outro grupo que se refere aos aprovados que não se classificaram, mas tomaram conhecimento de que há muitos desistentes, principalmente no cargo de professor 1 e Serviços Gerais.

Homologado em 14 de agosto do ano passado, o concurso da Prefeitura de Vitória tem validade de 02 anos, prorrogáveis por mais dois, contudo, o Edital deixa claro que a convocação é imediata. Raquel Ramos, uma das aprovadas, relatou ao Blog A Voz da Vitória que inúmeros da lista classificada não estão tendo acesso de quem de fato está apto para tomar posse nos cargos, pois há suspeitas de que com as possíveis desistências não estejam chamando por vez a lista de quem aguarda a vaga. “Não há transparência na divulgação da lista dos nomeados e nem tampouco das desistências. Isso reitera a dúvida na medida em quem não há documentos oficiais publicados atestando o andamento das convocações e nomeações”, salientou.

Durante visita a Prefeitura, eles cobraram a convocação dos professores do Fundamental 2, pois muitos classificados dentro das vagas ainda não foram chamados, principalmente na área de inglês, espanhol e artes, estimulando o descumprimento da Lei dos Dias Letivos, com a volta às aulas. Há casos, como o dos motoristas, que ainda não se convocou nem a metade.

Por sua vez, a Prefeitura de Vitória garante que não vai recorrer aos contratados em detrimento dos que aguardam assumir suas vagas homologadas em concurso. A garantia foi dada pelo Controlador Geral do Município, Flávio Costa. Ele esclareceu que dos 232 professores convocados, precisamente 115 aguardam posse, pois estes dependem do resultado dos exames de admissão. Contudo, o secretário assegurou que os professores chamados tomarão posse até o dia 03 de março.

Quanto às suspeitas de que há desistências, Flávio Costa adiantou que o número de desistentes é pequeno. “A Prefeitura vem adotando os procedimentos normais, convocando de acordo com a lista, mas lembrando de que temos todo o tempo de validade para fazê-lo”, salientou. Ele informou que os nomeados têm cerca de 30 dias para tomar posse no cargo e que a prioridade é para aqueles do setor da Educação, em razão do início do ano letivo. Diante do fato, há registros de que estudantes começaram a largar cedo na rede municipal de ensino devido as aulas vagas, em decorrência da falta de professor.